Arquivo do blog

COLOG responde pedido do DEFESA por mais insumos para PJ

Com o impedimento de Dilma, como fica o porte de armas?

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

Depois da vitoriosa votação pela admissibilidade do processo de impedimento contra a atual Presidente da República, Dilma Rousseff, no dia de ontem (17), o Instituto DEFESA vem recebendo uma enxurrada de questionamentos de mesmo teor:  com a queda do PT do poder, como fica a questão das armas?

Confira a breve análise de Lucas Silveira no vídeo de hoje. Leia o artigo completo »

Deputado Peninha publica perguntas e respostas sobre PL 3.722/12 em sua página

O Dep. Rogério Peninha Mendonça, autor do PL 3.722/12 que revoga o Estatuto do Desarmamento, publicou na sua página no Facebook uma série de perguntas e respostas reiteradamente feitas sobre a iniciativa.

peninha abril

Colocamos o texto aqui na íntegra e convidamos a todos a curtirem a página do Deputado Peninha no Facebook para acompanhar eventuais futuras publicações.

“Muitas pessoas me questionam diariamente sobre o andamento do PL 3722/12, de minha autoria, que revoga o Estatuto do Desarmamento e cria regras mais razoáveis para que os brasileiros honestos possam adquirir uma arma de fogo LEGALMENTE, com o objetivo de protegerem as suas vidas, suas famílias e seu patrimônio.

Nesta postagem, respondo a algumas perguntas.

QUANDO O PL VAI SER VOTADO?
Há um compromisso da Mesa Diretora da Câmara, de pautar o PL 3722 no plenário da Casa tão logo finde o processo de impeachment. É impossível, em virtude do atual momento político, votarmos o projeto antes disso.

O QUE PODE ATRASAR A VOTAÇÃO?
Faremos uma sondagem minuciosa nas bancadas, deputado por deputado, para medirmos a probabilidade de vitória. Caso não haja certeza, trabalharemos nos bastidores para reverter os votos necessários. Só quando houver garantia de vitória, o PL 3722 irá à votação. Às vezes é necessário aguardar mais alguns dias para vencermos a guerra, do que sermos derrotados e voltarmos à estaca zero.

ESTÁ SENDO FEITO TRABALHO DE BASTIDORES?
Elegemos um coordenador do PL 3722 em cada partido. Este grupo se reúne semanalmente para tratar de estratégias no intuito de aprovarmos o projeto. Cada coordenador traz para a reunião, um retrato de sua bancada. A partir daí, analisamos os votos que podem ser revertidos, quais argumentos utilizaremos, quem tem influência sobre determinado parlamentar… Nenhuma informação vaza.

SE A VOTAÇÃO FOSSE HOJE, VENCERÍAMOS?
Provavelmente não. Há uma margem de deputados indecisos acerca do tema, e que só formarão opinião a nosso contento, se houver um apelo popular muito forte. Na votação da proposta que estendia o porte de arma para auditores e analistas da Receita Federal, oficiais de Justiça, peritos criminais, auditores do Trabalho e fiscais federais agropecuários – no mês passado – saímos derrotados, mesmo que por uma margem pequena. Nosso time votou SIM. Veja o resultado:
NÃO – 55,1%
SIM – 43,4%
ABSTENÇÃO – 1,5%

QUAL O CLIMA NO SENADO?
Apesar de ser uma Casa mais governista, senadores de peso já foram contatados e asseguram que, quando Renan Calheiros deixar a presidência, há chances reais de a matéria ser aprovada. Temos muitos e bons senadores nos apoiando nos bastidores. Pelo menos oito deles já conversaram comigo para serem relatores do PL 3722.

E SE A PRESIDENTE VETAR?
Pra começar, não creio que Dilma Rousseff seja Presidente da República quando o texto for para sanção. Sobre o posicionamento de Michel Temer, não há clareza ainda. Sabemos que ele tem uma linha ideológica mais conservadora, mas nunca houve uma declaração pública a respeito do desarmamento. Em última hipótese, caso o Presidente da República vete a matéria, o Congresso Nacional pode derrubar o veto com maioria absoluta dos votos.

DERRUBADO O VETO, O PROJETO VIRA LEI?
Sim.

Amigos, sei que há mais uma infinidade de dúvidas. Espero respondê-las nos próximos dias, em outra postagem.

Seguimos firmes na luta.

Abraço forte!”

Filie-se ao Instituto DEFESA e fortaleça a luta para aprovação deste e de todos os outros projetos que assegurem a liberdade de acesso às armas.

Alexandre Lima é processado por defender idosa

Instituto DEFESA lança novo outdoor em Niterói-RJ

Niterói, 04 de Março de 2016.

Em continuidade a sua campanha de divulgação de ideais pro-armas por todo o Brasil, o Instituto DEFESA inaugura agora seu novo outdoor em Niterói, no Rio de Janeiro.

Confira uma imagem:

outdoor niteroi2

Se você gostou da medida, não deixe de se tornar um membro contribuinte (premium) para assegurar a continuidade de nossas atividades.

Unidos somos invencíveis.

Instituto DEFESA solicita ao COLOG mais insumos para pessoas jurídicas

Brasília, 07 de Março de 2016.

O Instituto DEFESA, em nome de seus associados e em busca de seus objetivos estatutários de recuperar, ampliar e conservar a liberdade de acesso às armas, protocola, nesta semana, um ofício ao Comando Logístico do Exército Brasileiro a fim de assegurar o direito de aquisição de quantitativos razoáveis de insumos às Pessoas Jurídicas relacionadas ao tiro, notadamente os Centros de Treinamento e Clubes de Tiro.

Devido a uma interpretação restritiva fundamentada na Portaria COLOG 51 o Exército Brasileiro vem limitando a aquisição de insumos a essas Pessoas Jurídicas em quantitativos equivalentes a um único atirador iniciante, o que, evidentemente impede a continuidade das atividades dessas entidades, colocando em risco todo o treinamento de tiro no Brasil, inclusive aqueles dos próprios militares e policiais.

Certos do comprometimento do Exército Brasileiro com a soberania e liberdade nacionais, solicitamos ao Comando Logístico, responsável pelo controle de armas no país, a flexibilização deste limite, a fim de permitir que os brasileiros não apenas continuem fazendo os seus treinos regulares como a expansão da cultura de defesa e do treinamento tático em todo o país.

Atualizaremos este portal assim que recebermos uma resposta formal do Comando Logístico.

Vereador tem casa invadida e defende uso de arma

Afonso Verner | Ponta Grossa | 24/02/2016 às 17:29h |
Família de Antonio Laroca Neto (PDT) foi ‘salva’ pelos latidos do cachorro. Vereador criticou falta de estrutura na Segurança Pública do Município

O vereador Antônio Laroca Neto (PDT) usou a tribuna da Câmara Municipal de Ponta Grossa para mudar de ideia sobre o porte de armas para civis. O oposicionista sempre se posicionou contra o porte, mas depois de ter a casa invadida o parlamentar mudou de ideia. Laroca teve a residência invadida e a família foi ‘salva’ por uma cachorra – o animal de estimação latiu após a entrada dos invasores.

“Eu sempre fui contra ter uma arma em casa, mas depois dessa situação eu decidi comprar, legalmente, uma arma para defender a minha família”, pontuou Laroca. O vereador criticou a falta de segurança no município e a falta de estrutura oferecida à Polícia Militar na cidade. “O Governo quer apenas nosso imposto, mas não oferece uma contrapartida em termos de segurança pública”, disse.

Para ter direito ao porte de uma arma de fogo o cidadão tem que ter mais de 25 anos de idade e apresentar uma declaração escrita descrevendo a efetiva necessidade de ter uma arma, expondo fatos e circunstâncias que justifiquem o pedido.

Extraído de http://arede.info/sem-categoria/vereador-tem-casa-invadida-e-defende-uso-de-arma-na-camara/ acesso em 25/02, 10h.

 

armasdefogo.org inaugura novo portal

25 de Fevereiro de 2016.

Se você conhece o Instituto DEFESA, provavelmente já deve conhecer também o portal Armas de Fogo, administrado pelo ilustre Caio Lausi. O portal, que têm seus perfis no Facebook, no Twitter, e também no Instagram, foi totalmente reformulado e agora conta com um site que atualizado diariamente repleto de notícias relacionadas às armas de fogo.

armas de fogo

Não deixem de conferir o excelente trabalho do Armas de Fogo. Acesse www.armasdefogo.org 

 

Dep. Onyx Lorenzoni retifica MP 693 para não proibir importações

Brasília, 24 de Fevereiro de 2016.

Jean Wyllys nega ter recebido patrocínio da CBC e Taurus

17 de Fevereiro de 2016.

Após muita polêmica envolvendo o suposto patrocínio da Companhia Brasileira de Cartuchos a um evento organizado pela Midrash, cujo palestrante seria o deputado desarmamentista Jean Wyllys, o parlamentar se pronunciou em seu Facebook negando ter recebido qualquer apoio das empresas.

O comunicado escrito pelo Deputado segue na íntegra:

“Há alguns dias fui convidado para proferir a palestra “Novos desafios para a esquerda brasileira e israelense”, um desdobramento da viagem que fiz a Israel e à Palestina. Viajei a convite da Universidade Hebraica e de ativistas da esquerda da comunidade judaica do Rio de Janeiro, muitos deles militantes do PSOL, em razão do meu trabalho nas Comissões de Relações Exteriores e de Direitos Humanos e Minorias na Câmara dos Deputados.

A palestra, marcada para o dia 21 de fevereiro, seria realizada no Centro Cultural Midrash, no Rio de Janeiro; porém, antes mesmo de começar a divulgação em minhas redes sociais, já havia mais de 150 inscrições para apenas 80 lugares disponíveis. Diante da grande demanda, os organizadores decidiram transferir a palestra para a Congregação Judaica do Brasil.

Agradeço a compreensão dos que já se haviam planejado para o local anterior. No próximo mês de março, em São Paulo, também participarei de um encontro com alguns jovens – convidados – da juventude judaica.

Em tempo, fiquei sabendo que duas das empresas que patrocinam a manutenção do centro cultural divulgaram notas negando qualquer relação comigo ou com a palestra que ministrarei. Nem precisariam, pois isto é óbvio, jamais associaria meu nome ou meu trabalho a empresas diretamente ligadas à bancada da bala, ao financiamento das campanhas destes políticos – algo que me oponho e que ajudei a combater e sepultar de vez! -, e, consequentemente, à defesa de uma política penal voltada exclusivamente ao patrulhamento e encarceramento de populações vulneráveis. Como representante brasileiro da Parliamentarians for Global Action (PGA), cujo foro anual aconteceu em dezembro, em El Salvador, votei e me comprometi com o Tratado de Controle de Armas, do qual o Brasil é signatário junto a outros 60 países, e que luto pessoalmente para que seja finalmente transformado em legislação interna:”

O perfil do organizador do evento no Facebook retirou do ar a imagem com os patrocínios, mas não se pronunciou sobre o assunto.