Arquivo do blog

Instituto DEFESA realizará III Encontro no Estado da Bahia

Com a organização do representante estadual do Instituto DEFESA, Eduardo Azeredo (Papo de Atirador), e em parceria com o Clube Baiano de Tiro, o município de Lauro de Freitas/BA receberá a terceira edição do Encontro Estadual do Instituto DEFESA.

O evento, que é gratuito (entrada é 2 Kg de alimento não perecível destinados a entidade carente), contará com a presença e palestras do Dr.  Fabrício Rebelo, pesquisador em segurança pública, com o presidente do Instituto DEFESA, Lucas Silveira e com o Sr. Eduardo Azeredo,além de exposição de armas Taurus e Gun Experience, para que todos possam vivenciar o mundo das armas.

Já são mais de 400 inscritos até o presente. Participe também.

  • Palestras
  • Gun Experience
  • Sorteios
  • Desconto na filiação ao DEFESA

As inscrições estão abertas via:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScZvQuOJV5FIDGkY9ttDwYORgW79Q8Hzxu5B-nBJbSdTz3aqw/viewform

Ao final do evento, em parceria com a Academia Brasileira de Armas, terá início a segunda edição do curso de Center Axis Relock (autorizado pela Sabre Tactical USA e Natural Tactical Systems) uma técnica específica de tiro pensada para o combate urbano. Para se inscrever no curso de Center Axis Relock clique aqui.

MP mostra as garras mais uma vez. Dr. Maranhão responde.

Dr. Luiz Maranhão, Advogado, empresário, pecuarista

Mais uma vez, sob os falacioso argumentos de preocupação com a população, o MPF – Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou – Mais uma – ação judicial perante a 17a Vara Federal com o escopo de suspender os efeitos do Decreto 9.785/2019, decreto este que versa sobre o porte de armas de fogo.

As aparências das atitudes do MPF, conforme noticiado anteriormente por nós, denota, salvo melhor juizo, um ataque orquestrado às liberdades individuais civis e coletivas, mais precisamente no direito legítimo da defesa da vida é da propriedade.

O Instituto Defesa continua na defesa desses direitos, e atuando de perto para fazer valer a soberania popular e o desejo legítimo de possuir meios adequados de sua vida ou de outrem.

Assim, o Departamento Jurídico do Instituto Defesa, na pessoa do Dr. Luiz Maranhão, vem atuando junto a esses processos, solicitando a intervenção do Instituto Defesa como terceiro interessado, de modo que a nossa voz, a sua voz, a voz das urnas, que desde 2005 manifestou sua vontade, seja respeitada.

Unidos Somos Invencíveis

ID fecha parceria com a Esparta Acessórios Táticos

André Caruso é assessor geral do Instituto DEFESA e membro colaborador no RJ

Chega em Sete Lagoas – MG e região uma empresa que visa atender as necessidades de cada cliente, oferecendo produtos com criteriosos padrões de qualidade, que norteiam todo o contexto de segurança. E é claro, nosso assessor geral, Caruso, fechou parceria com a Esparta Acessórios Táticos para juntos batalharmos por cada vez mais, um melhor cenário de liberdade de acesso as armas e direito de legítima defesa. Parabéns e obrigado a ambos!

Ah, você é membro premium do Instituto DEFESA? Então corre que já tem 10% de desconto garantido!

Dá aquele “confere” nos produtos para treinamento, performance, defesa pessoal, e muito mais!

Facebook: https://bit.ly/2HgvnTU

 

Entenda a ação do DEFESA contra o MP pelo seu direito de acesso às armas

Dr. Luiz Maranhão, Advogado, empresário, pecuarista, representante estadual do Instituto DEFESA em Pernambuco

O Ministério Público Federal, por seus representantes, ingressaram com Ações Civis Públicas nos Estados de Goiás, Roraima e Rio de Janeiro, tendo como parte Ré a União, para tentar barrar, judicialmente, a emissão de novos CRAF’s por parte da Polícia Federal, pois, sob os argumentos do MPF, houve aumento nas solicitações deste tipo nos Estados mencionados.

No Processo Civil, bem como nas Ações Civis Públicas, existe a figura do Assistente, ou seja, todo aquele que tem interesse no resultado da ação, pode se habilitar para ajudar alguma das partes a defender seu direito.

O Instituto Defesa se habilitou como assistente da parte Ré, União, para ajudar a defender a legitimidade do Decreto que está sendo questionada (Decreto sobre a posse das armas, do governo Bolsonaro).

Assim, a União, além da Procuradoria Geral da República, conta atualmente também com as questões e apontamentos jurídicos tecidos pelo Advogado e membro do Instituto Defesa, Luiz Maranhão, sobre a legalidade do Decreto que o MPF tenta atacar.

A legalidade do referido Decreto, que está sendo questionada pelo MPF em alguns estados é a forma encontrada por eles para barrar, à força, a soberania da vontade popular.

As referidas ações estão pendentes de julgamento. Portanto, não há motivos para desespero, porquanto lutaremos pela legitimidade do Decreto mencionado alhures, bem como pelo direito ao uso, posse e porte de armas de fogo, lema de nossa instituição.

MP tenta barrar novos registros de armas. Instituto DEFESA não vai deixar.

Em 31 de Março o Rio de Janeiro recebeu o 5º encontro estadual do ID

E foi nesta data histórica, 31 de Março, que cidadãos continuam a fazer história participando do 5º encontro estadual do Instituto DEFESA aqui no Rio de Janeiro, cordialmente recebido pelo Parabellum Clube de Tiro (clique aqui para conhecer).

Foi impressionante a participação de todos, especialmente pois é comum sempre comparecer uma quantidade de pessoas menor do que as inscrições, e neste dia todos os inscritos foram! A coisa encheu tanto que precisamos alterar o lugar das apresentações em cima da hora, pois o planejado não daria conta. Foram quase 80 pessoas presentes para ouvir as palestras de Gabriel Monteiro que falou sobre o ciclo completo de polícia e do armamento civil ser uma questão de direito e não de privilégios para classes ou profissões, do Raul Blank que nos mostrou seu estudo sobre o cenário de execuções de policiais, Matheus Lisboa que explicou a importância da medicina de combate e como isso pode ajudar também o cidadão e do Parrini, falando sobre os perigos e das péssimas consequências do desarmamento civil.

Muitos amigos se reencontraram neste dia, novos foram feitos, um café da manhã que rendeu boas risadas antes das palestras e no final houve uma confraternização onde quase 30 pessoas foram almoçar todas juntas! O bate papo e as risadas encerraram este magnífico dia de homens e mulheres livres. E armados!

Parabéns a todos os participantes pelo esforço de estarem presentes neste evento numa manhã de domingo, ao Parabellum CT por receber este evento de braços abertos com tanta simpatia, aos demais palestrantes Monteiro, Blank e Lisboa por ajudar a difundir informações de qualidade e com seriedade. Obrigado ao Wagner pelas fotos e ao Azevedo pelo apoio!

Confiram as fotos:

 

ID fecha parceria com Higienizadora de Veículos SPA Auto

As parcerias não ficam restritas as armas não! Outros nichos de mercado estão surgindo, como bares e esta empresa de higienização de carros.
Ou seja, se você sujar seu carro após agir em legítima defesa ou depois de um curso de combate embarcado, já sabe onde levar seu carro pra lavá-lo!

Missouri pode acabar proibindo qualquer restrição em cima das armas

Lucas Parrini

Parrini é diretor estadual do Instituto DEFESA no RJ, estudante de criminologia e segurança pública e admirador de assuntos relacionados a combate.

O conjunto de novas normas irá definitivamente proibir, ou seja, tornar crime, qualquer ação dos agentes públicos que tenham coma base as leis de confisco ou restrição de qualquer natureza o direito de ter e portar armas garantido pela Segunda Emenda. Uma idéia legislativa foi apresentada no estado de Missouri, EUA, que se for aprovada o estado se transformará num verdadeiro “Santuário dos direitos de ter e portar armas”.

A Idéia Legislativa número 1039 (House Bill 1039) foi lançada em Fevereiro deste ano por Jered Taylor e foi nomeada de “Ato de Preservação da Segunda Emenda”, em inglês: Second Amendment Preservation Act. Se aprovada, virará lei e com isso proibirá qualquer pessoa, especialmente policiais, militares e funcionários públicos de qualquer órgão de aplicar qualquer lei passada, atual ou que seja aprovada no futuro, seja de cunho estatal ou federal, que desrespeite de qualquer forma o direito de ter e portar armas. E valerá também para qualquer ordem, regulamento, atos, medidas administrativas, enfim, qualquer coisa que venha do Estado para afetar o Cidadão. A HB 1039 está caminhando junto com a Idéia Legislativa do Senado 367 (Senate Bill – SB367) apresentada por Eric Burlison.

Algumas das normas que são entendidas como “desrespeito a 2A”:

  • Qualquer imposto ou taxa em cima das armas de fogo, seus acessórios ou munição
  • Registro de armas ou qualquer meio de localizá-las, assim como acessórios ou munição
  • Qualquer lei ou regulamento que impeça um cidadão de comprar, possuir, usar ou transferir a arma de fogo, acessório ou munição
  • Qualquer lei, ato, ordem, medida, qualquer ação que permita o Estado pegar as armas, acessórios ou munição do Cidadão.O poder desta idéia é inigualável, ela afetará o National Firearmas Act de 1934, que já inseriu na sociedade norte-americana várias restrições, e também o Gun Control Act de 1968, que inseriu mais restrições ainda. A atual proibição do Bump-Stock aprovada pelo presidente Trump também ficará inválida, podendo todo e qualquer cidadão o direito legal (e dever moral) de desobedecer.

A idéial legislativa também regula as penalidades do agente público que confiscar qualquer arma de um cidadão, sendo levado a julgamento, e vai além, ela revoga qualquer “Soberania ou imunidade oficial nestes atos.”.

E ainda tem mais! Se for aprovada, a lei estabelece que policial e qualquer outro funcionário público do estado de Missouri que ajude policiais e agentes federais em qualquer lei, ato ou ordem que desrespeite a 2A, sejam demitidos e fiquem proibidos de exercerem qualquer outro cargo público no estado!

Eficácia

De acordo com James Madison na publicação Federalist #46, como os estados trabalham em conjunto com a União através de seus representantes e leis próprias, passar algo do tipo será de imensa força para frear o controle de armas irresponsável que vem sendo feito pela União, pois a mesma depende de lideranças e cooperação dos Estados para agir dentro dos mesmos. Sem essa cooperação, a União perde quase que completamente sua força para infringir os direitos e liberdades dos cidadãos que são garantidos, como no caso, a Segunda Emenda.

Base Legal

O que o estado e Missouri está fazendo é completamente legal pois tem como base a doutrina “Anti-Commandeering”, que em tradução livre é algo como “Anti-Comando”, doutrina que resumidamente permite que uma UF recuse ajudar a União e proíbe a mesma de usar força militar ou policial contra os Estados e de se apropriar de propriedades privadas ou públicas daquela UF.

Por curiosidade, isso não existe em nossa Constituição: se for preciso no âmbito de exercer justiça/função social, o Estado Brasileiro pode tomar sua casa ou seu carro, por exemplo. (1)

Por enquanto é apenas uma Idéia Legislativa, é preciso que seja votado e aprovado em algumas instâncias para que siga adiante para ser transformada em lei.


Tradução livre por: Lucas Parrini
Traduzido de: https://blog.tenthamendmentcenter.com/2019/02/missouri-bill-takes-on-federal-gun-control-past-present-and-future/
1 – Nota do tradutor.

Vagas de emprego

Lucas Parrini

Parrini é diretor estadual do Instituto DEFESA no RJ, estudante de criminologia e segurança pública e admirador de assuntos relacionados a combate.

O Instituto DEFESA ajudará o operador a encontrar emprego e ao empresário a encontrar funcionário. Como não somos uma consultoria de RH, nem trabalhamos com banco de dados, cadastraremos e divulgaremos as vagas existentes de maneira simples, apenas facilitando a divulgação e contato, sendo a empresa responsável pelas informações das vagas e contratações. O interessado na vaga correrá atrás de maiores informações por conta própria diretamente com a empresa. Empresas de segurança privada, lojas de armas, clubes de tiro, PMC, todas relacionadas as armas podem anunciar.

Para o mecanismo funcionar, algumas regras bem simples devem ser seguidas:

1) Você enviará os dados para o e-mail parrini@defesa.org e elas serão publicadas. O e-mail deve conter:

1.1) Nome da empresa que oferece a vaga;
1.2) Nome da função anunciada;
1.3) Estado e Cidade da vaga;
1.4) Telefone e E-mail pra contato;
1.5) Nos reescrever avisando quando a vaga for preenchida para apagarmos.

O serviço é gratuito. Não lhe cobraremos para divulgar. Mas se acha nosso trabalho justo, considere ajudar a mantê-lo e faça uma doação.

Na esperença deste pequeno ato ser útil a nossos cidadãos, conto com o apoio de todos.
Unidos somos invencíveis!

Missouri lança idéia legislativa que exige que cidadãos entre 18-34 anos tenham um AR-15

Lucas Parrini

Parrini é diretor estadual do Instituto DEFESA no RJ, estudante de criminologia e segurança pública e admirador de assuntos relacionados a combate.

Nos Estados Unidos, uma “bill” que em tradução livre é como uma idéia legislativa, pode ser apresentada por qualquer pessoa mas somente um membro do Congresso pode representá-la, que após passar por vários comitês, senadores e pelo presidente, ela pode se tornar uma lei.

Neste caso, Andrew McDaniel é um representante do estado de Missouri, mais precisamente de Jefferson City, lançou a idéia legislativa nº 1108 e nela contém o chamado “McDaniel Militia Act” onde fica decretado que todo cidadão entre 18 e 34 anos que não esteja legalmente proibido de ter e portar armas, tenha em seu poder um fuzil na plataforma AR-15. Caso seja aprovada, a idéia vira de fato uma lei e os cidadãos terão 1 ano a partir de 28/08/2019 para comprarem pelo menos 1 AR-15.

Nota do tradutor: Por mais animadora e interessante que seja uma notícia dessas, que rema contra o padrão da mídia desarmamentista que estamos acostumados, vale lembrar que ainda é o Estado decidindo sobre a sua liberdade de ter e portar armas.

Traduzido por: Parrini
Tradução livre de: https://cbs12.com/news/nation-world/missouri-bill-would-require-adults-aged-18-34-to-own-ar-15?fbclid=IwAR0fCPEMRwRxZEn0uSELyK3gnNQr_wi4BanxzyCw4p6wQ_t8a0471LJmZsM