Arquivo do blog

Mito #2

O mito:

O ideai é que se invista em saúde e educação e não no armamento da população.

A verdade:

Os investimentos em educação e saúde são determinados por lei, e nada tem a ver com o armamento da população.
O investimento em saúde e educação é custeado pelo enário, o dinheiro público.
O custeio das armas de fogo é feito pelo dinheiro privado de cada cidadão. Um fato não influencia o outro, não existe nenhum trade off.
Cada cidadão tem o direito de decidir o que fazer com seu próprio dinheiro, e ele deve ter o direito de comprar armas, caso seja sua vontade.

Além disso, investimentos em saúde, educação, e outros programas com foco social são estratégias que não possuem impacto de curto prazo na segurança pública. Ao longo prazo talvez, mas ainda assim, são propostas que não devem vir desacompanhadas de medidas mais imediatas e efetivas.
Leia o artigo completo »

Mito #1

O mito:

Se o cidadão comum portar armas, ele atirará em qualquer um por causa de brigas de trânsito, crimes passionais ou brigas com vizinhos.

A verdade:

Não existe nenhuma prova disso. Antes do Estatuto do Desarmamento, o índice de crimes praticados por cidadãos que possuíam armas legais era de aproximadamente 0,005% (cinco milionésimos por cento). Um número próximo ao de países desenvolvidos. O cidadão que não mata ninguém com uma faca ou um pedaço de pau, não passará a fazê-lo pelo simples acesso à arma.
Leia o artigo completo »