Vítima reage e mata ladrão

Aluno de Medicina da Uepa crava o próprio canivete na garganta do bandido. Rapaz de 19 anos está preso.

Antônio Cardoso, de 19 anos, aluno do terceiro ano de Medicina da Uepa (Universidade do Estado do Pará), reagiu a um assalto às 2h30 de ontem, numa parada de ônibus em frente ao IFPA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará), na avenida Almirante Barroso, e matou o bandido, que ainda não foi identificado. O cabo L. Santana, da Polícia Militar, viu quando o jovem lutou com o criminoso até atingi-lo com um canivete na jugular. De acordo com o policial, Antônio, que foi preso em flagrante, levou a melhor porque é corpulento. A Divisão de Homicídios investiga o crime.
Os pais de Antônio foram à Central de Flagrantes de São Brás, onde ele foi colocado, na manhã de ontem. Assustado e aparentando fragilidade, o estudante contou que mora no Guamá e que se desentendeu com os pais na véspera do crime, quando saiu sem rumo para espairecer. O homicídio ocorreu na volta dele para casa, quando o desconhecido anunciou o assalto na parada de ônibus. “Ele disse que estava armado, que era para eu passar o dinheiro, mas eu disse que não tinha e ele começou a chamar um monte de palavrão pra mim e disse que ia me dar um tiro”, contou Antônio. O jovem não viu a arma que o ladrão disse que portava e nada foi encontrado com os dois, além do canivete.
O cabo L. Santana disse que a arma usada no homicídio era do próprio assaltante, mas o estudante de medicina afirmou que era dele. “Eu tinha o canivete para me proteger”. Antônio disse ainda que, quando reagiu, passou a lutar com o homem, disputando o canivete. Ele chegou a cortar o próprio dedo, mas conseguiu segurar o canivete e cravou a arma na garganta do ladrão, que morreu no local.
O estudante não sabia se seria libertado, porque apenas se defendeu, ou se seria enviado para a cadeia. Ele explicou que havia se desentendido com os pais porque estava sendo obrigado a cursar dança de salão, “entre outros motivos”. “Meus pais não querem que eu fique o tempo todo estudando, mas eu preciso melhorar as minhas notas”, argumentou. Os pais de Antônio, que só perceberam a ausência do filho às 5 horas, disseram que ele vive para estudar e não costuma sair de casa.
O cabo L. Santana afirmou que o rapaz estava atordoado e fornecia informações confusas. Ele recebeu atendimento médico no dedo machucado, antes de ser levado para a Central de Flagrantes de São Brás.
O Instituto Médico Legal (IML) informou, no final da manhã de ontem, que o corpo do assaltante havia sido necropsiado, mas não havia sido identificado.

Fonte: http://www.orm.com.br/amazoniajornal/interna/default.asp?modulo=831&codigo=659892


Publicado em Reação armada
6 comentários sobre “Vítima reage e mata ladrão
  1. Marcell disse:

    Libera o menino.. Se os fatos comprovarem que ele fala a verdade, ele fez um bem para a sociedade.. matar marginal.!

  2. fillipe de melo silva disse:

    Só mesmo no Brasil para um cidadão ser punido por ter exercido seu direito a legitima defesa…

  3. Pierre Toussaint disse:

    So no Brasil. Se o policial viu o ocorrido, ele proprio eh testemunha do ato em legitima defesa. Onde esta o excludente de ilicitude? Nao existe mais?

  4. Leonardo disse:

    Bem que fez pena que o braZil defende esses parasitas do povo..

  5. MarcelaB disse:

    Devolveram o canivete dele né

  6. Tharllyson disse:

    Já estão avisados, Se forem assaltados não reajam e deixem ser roubados ou assassinados, matar ladrão é crime pois eles são cria desse governo lixo de merda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*