Sobre o atentado terrorista em Paris

Paris


Publicado em Imagens
15 comentários sobre “Sobre o atentado terrorista em Paris
  1. Joabe disse:

    Verdade, da até um nó na garganta a forma de como este Policial foi assassinado quantas vidas nao poderiam ter sido salvas se não fossem estes desarmamentista nojentos. Torço para que 2015 possamos derrubar este estatuto no congresso.Mas ai vai minha pergunta o que acontece se nossa presidente vetar ?? e ai ??

    • Piccony disse:

      Alguém vai ter q dar um jeito nela.

    • Marcio Nascimento disse:

      @Joabe Se a presidente vetar e o congresso reaprovar a lei, a mesma é aprovada sem precisar passar pela Presidente.

    • Paullo disse:

      Caso o Congresso Nacional aprove um Projeto de Lei e o Presidente da República o vete, o congresso tem 30 dias para apreciar o veto, podendo mantê-lo ou rejeitá-lo, por maioria absoluta. Caso o veto seja rejeitado, o Presidente da República fica obrigado a publicar a Lei, se não o fizer, o Congresso Nacional faz.

      Art. 66. § 4º O veto será apreciado em sessão conjunta, dentro de trinta dias a contar de seu recebimento, só podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores.

      § 5º – Se o veto não for mantido, será o projeto enviado, para promulgação, ao Presidente da República.

      § 7º – Se a lei não for promulgada dentro de quarenta e oito horas pelo Presidente da República, nos casos dos § 3º e § 5º, o Presidente do Senado a promulgará, e, se este não o fizer em igual prazo, caberá ao Vice-Presidente do Senado fazê-lo.

    • Leo Dias disse:

      Caso seja vetado, volta para o congresso, é feita nova votação e se aprovado, vira lei vigente após publicação no DO.

    • Davi disse:

      Infelizmente tenho quase certeza que a PresidAnta vai vetar…

    • Edson disse:

      A solução é simples, é só atirar nela primeiro.

  2. Lucas Parrini disse:

    Pow, simples e óbvio!

  3. Joabe disse:

    PAU NELA !!!!!!!!!!!!

  4. Rafael Luiz Corrêa disse:

    Sou a favor de armar armar população. Mas tem outra coisa, por exemplo: c um dia eu precisar reagir em legítima defesa, ou em defesa de terceiros, e eu vier a matar o vagabundo, e bem capaz q os “direitos dos manos” caia matando sobre mim e eu vá preso. C fosse ao contrário e eu fosse morto o cara seria absolvido como vítima da sociedade.
    Temos q mudar essas leis pro vagabundos, extinguir os direitos humanos do país, e aprovar a lei armamentista.

    • Diego disse:

      Rafael, também concordo que as leis deveriam ser diferente nesse tipo de situação, neste ponto apoio totalmente os projetos do Deputado Jair Bolsonaro. Mas fica a minha opinião, prefiro ir pra cadeia sabendo que fui o responsável por salvar vidas, do que ficar livre sabendo que poderia ter salvo e não o fiz!

  5. Douglas da Rocha disse:

    Para esses políticos trambiqueiros, palhaços travestidos de cumpridores de deveres civis só posso desejar muitos quilos de Peroxido de Acetona, ANFOS e Fulminato de mercúrio com uma pitada de Nitroglicerina!!!

  6. Douglas da Rocha disse:

    Relativo ao ocorrido na França um observador com posse de fuzis Sako TRG, Heckler & Koch PSG1, Blaser 93 Tactical resolveria isso em alguns minutos evitando a morte de varias pessoas!

  7. cruw disse:

    Assim que aprovar a lei de uso de arma por cidadãos de Bem, reconhecido por várias horas de tiro em estande de tiro e importantíssimo a obrigação de tiro Prático e psicologicamente hapto à portar uma arma de fogo, sim poderia ter uma credencial emitida pela PF, como membro de defesa auxiliar da polícia em casos, onde quem estiver portanto uma arma em local público e houver assaltantes declarados e que exista resistência dos autores, o uso de arma letal pra fins de legítima defesa e preservar o local da ação pra levantamentos futuros da Polícia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*