Com o apoio do Instituto DEFESA, projetos de lei pró-armas voltarão mais fortes em 2015

Brasília, 18 de Dezembro de 2014.

A votação prevista para ocorrer ontem (17) na Comissão Especial destinada a tratar do PL 3.722/12 na Câmara dos Deputados foi cancelada, e o projeto de lei termina o ano sem ser votado, conforme a previsão noticiada pelo Instituto DEFESA há cerca de um mês.

IMG-20141124-WA0041

Faixas do Instituto DEFESA chamaram a atenção de políticos, imprensa e transeuntes.

Apesar disso, o acompanhamento da tramitação do projeto na casa foi fundamental. Os membros do Instituto DEFESA compareceram em massa na única audiência pública realizada por esta comissão e certamente estarão presentes em número muito maior nas próximas etapas do processo legislativo. Fizemos a diferença.

Sr. Vanildo Maldi (à esq), um dos membros mais ativos do Instituto DEFESA e demais cidadãos vestindo as camisetas da Campanha do Armamento e do Instituto DEFESA

Sr. Vanildo Maldi (à esq), um dos membros mais ativos do Instituto DEFESA e demais cidadãos vestindo as camisetas da Campanha do Armamento e do Instituto DEFESA

Somados às dezenas de faixas disponibilizadas pelo Instituto DEFESA, as camisetas da entidade se multiplicaram em toda a Câmara dos Deputados, Senado Federal e Presidência da República. O cenário, que já era óbvio para o povo,  tornou-se também muito claro para os parlamentares: o interesse público é inequívoco, o Estatuto do Desarmamento precisa ser revogado.

Lucas Silveira, presidente do Instituto DEFESA, reuniu-se com dezenas de Deputados, Senadores e representantes de entidades diretamente relacionadas para assegurar o crescimento contínuo da luta pelo direito de acesso às armas.

A esmagadora maioria das atividades realizadas acontece desta forma: fora dos holofotes, das câmeras e da mídia. Para cada linha publicada, escreve-se um livro nos bastidores. Parafraseando o Exército Brasileiro, “Você pode não ver, mas estamos sempre presentes”.

 

E AGORA, COMO FICA?

Com o fim da legislatura, o Projeto de Lei 3.722/12 é arquivado e a Comissão Especial é extinta. Em 2015 a Câmara dos Deputados deve se reorganizar, com os novos Deputados, formando novamente seus principais órgãos.

O Projeto de Lei 3722/12, especificamente, deverá ser reapresentado pelo autor, Rogério Peninha Mendonça, reeleito para mais quatro anos na Câmara.

O Instituto DEFESA trabalhará já no início do ano para a abertura de uma nova Comissão Especial para tratar da liberdade de acesso às armas.

 

 

O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR

Mantenha-se atualizado sobre a tramitação do Projeto. Cadastre-se gratuitamente no Instituto DEFESA e autorize o recebimento de mensagens eletrônicas. Acompanhe-nos também pelo Facebook, Twitter e YouTUBE.

Por meio destes contatos solicitaremos a você as medidas adequadas a cada passo legislativo.

Caso você considere o trabalho do Instituto DEFESA relevante, torne-se também um membro Premium, por cerca de 50 centavos por dia e ajude a financiar nossas atividades.

Divulgue o Instituto DEFESA. Precisamos de uma entidade cada vez maior para termos mais força na luta pelo direito de acesso às armas. Cada membro que se junta ao Instituto é um passo rumo à liberdade.

 

 


Publicado em Notícias
32 comentários sobre “Com o apoio do Instituto DEFESA, projetos de lei pró-armas voltarão mais fortes em 2015
  1. Jose Roberto Pampu disse:

    Quer realmente arrebatar mais membros e tornar a voz do instituto cada vez mais forte?? 1º passo: honre a entrega dos produtos vendidos para divulgaçao, comprei camiseta e adesivos a umas 03 semanas e ate agora nem noticia da minha compra!!!

    • Lucas Parrini disse:

      Olá, bom dia!

      Só ajudo no blog e fórum, mas informo que os pedidos não foram esquecidos. Como membro que também compra os produtos, peço um pouco de paciência pois além do comércio não ser a principal atividade do Instituto Defesa, essas últimas semanas foram intensas lá em Brasília, foram muitas reuniões, documentos pra ler, textos pra revisar, audiências, discussões. Deve ter sido uma correria dos infernos.

      Os Correios nesta época do ano também ficam sobrecarregados, mas mesmo assim, seu pedido será entregue, pode ficar despreocupado.

      Abraço!
      Tenha um ótimo final de semana!

  2. Alexandre Assis disse:

    Perdemos uma batalha, não a guerra. Unidos, somos invencíveis!

  3. ALEXANDRE TEIXEIRA disse:

    Muito bom !!!
    Nos precisamos ter o direito à o acesso a qualquer tipo de arma de fogo sem restrições.eu apoio o instituto de Defesa !!!

  4. Leonardo M. Pieper disse:

    ARTIGO ESCRITO PELO MAJOR L. CAUDILL, DO CORPO DE FUZILEIROS NAVAIS DOS EEUU. UNITED STATES MARINE CORPS.

    A arma é civilização.

    As pessoas só possuem duas maneiras de lidar umas com as outras: pela razão e pela força. Se você quer que eu faça algo para você, você tem a opção de me convencer via argumentos ou me obrigar a me submeter à sua vontade pela força. Todas as interações humanas recaem em uma dessas duas categorias, sem exceções. Razão ou força, só isso. Em uma sociedade realmente moral e civilizada, as pessoas somente interagem pela persuasão.
    A força não tem lugar como método válido de interação social e a única coisa que remove a força da equação é uma arma de fogo (de uso pessoal), por mais paradoxal que isso possa parecer.
    Quando eu porto uma arma, você não pode lidar comigo pela Força. Você precisa usar a Razão para tentar me persuadir, porque eu possuo uma maneira de anular suas ameaças ou uso da Força.
    A arma de fogo é o único instrumento que coloca em pé de igualdade uma mulher de 50 Kg e um assaltante de 105 Kg; um aposentado de 75 anos e um marginal de 19, e um único indivíduo contra um carro cheio de bêbados com bastões de baseball.
    A arma de fogo remove a disparidade de força física, tamanho ou número entre atacantes em potencial e alguém se defendendo. Há muitas pessoas que consideram a arma de fogo como a causa do desequilíbrio de forças. São essas pessoas que pensam que seríamos mais civilizados se todas as armas de fogo fossem removidas da sociedade, porque uma arma de fogo deixaria o trabalho de um assaltante (armado) mais fácil. Isso, obviamente, somente é verdade se a maioria das vítimas em potencial do assaltante estiver desarmada, seja por opção, seja em virtude de leis – isso não tem validade alguma se a maioria das potenciais vítimas estiver armada.
    Quem advoga pelo banimento das armas de fogo opta automaticamente pelo governo do jovem, do forte e dos em maior número, e isso é o exato oposto de uma sociedade civilizada. Um marginal, mesmo armado, só consegue ser bem sucedido em uma sociedade onde o Estado lhe garantiu o monopólio da força.
    Há também o argumento de que as armas de fogo transformam em letais confrontos os que de outra maneira apenas resultariam em ferimentos. Esse argumento é falacioso sob diversos aspectos. Sem armas envolvidas, os confrontos são sempre vencidos pelos fisicamente superiores, infligindo ferimentos seríssimos sobre os vencidos.
    Quem pensa que os punhos, bastões, porretes e pedras não constituem força letal, estão assistindo muita TV, onde as pessoas são espancadas e sofrem no máximo um pequeno corte no lábio. O fato de que as armas aumentam a letalidade dos confrontos só funciona em favor do defensor mais fraco, não do atacante mais forte. Se ambos estão armados, o campo está nivelado. A arma de fogo é o único instrumento que é igualmente letal nas mãos de um octogenário quanto de um halterofilista. Elas simplesmente não funcionariam como equalizador de Forças se não fossem igualmente letais e facilmente empregáveis.
    Quando eu porto uma arma, eu não o faço porque estou procurando encrenca, mas por que espero ser deixado em paz. A arma na minha cintura significa que eu não posso ser forçado, somente persuadido. Eu não porto arma porque tenho medo, mas porque ela me permite não ter medo. Ela não limita as ações daqueles que iriam interagir comigo pela razão, somente daqueles que pretenderiam fazê-lo pela força. Ela remove a força da equação. E é por isso que portar uma arma é um ato civilizado.
    Então, a maior civilização é onde todos os cidadãos estão igualmente armados e só podem ser persuadidos, nunca forçados.

    • Lucas Parrini disse:

      Texto magnífico!

      Não o conhecia.

      Essa última frase é esplêndida, divina, maravilhosa!

      “Então, a maior civilização é onde todos os cidadãos estão igualmente armados e só podem ser persuadidos, nunca forçados.”

      Muito obrigado por postar isso, caro Leonardo!

      • Leonardo M. Pieper disse:

        Caro Lucas agradeço as gentis palavras mas o mérito é do MAJOR L. CAUDILL que pode colocar desta forma brilhante uma realidade contundente, o que nos faz refletir sobre o interesse abnegado deste desgoverno em querer desarmar os homens de bem e garantir com privilégios legais os direitos dos sociopatas e outros “ideológicamente” deturpados, meu amigo aproveitando o ensejo segue abaixo outro texto muito oportuno, diga-se de passagem, que vem ratificar a nossa tese sobre a necessidade mais do que premente de termos acesso a armas de defesa pessoal sem qualquer tipo de empecilho e ou dificuldade
        Vinte fatos que comprovam que a posse de armas deixa uma população mais segura
        Salvar • 60 comentários • Imprimir • Reportar
        Publicado por Nelci Gomes – 18 horas atrás
        46

        Os recentes acontecimentos em Ottawa, Canadá, comprovam, pela enésima vez, que controle de armas serve apenas para deixar uma população pacífica ainda mais vulnerável.
        O desarmamento não apenas deixa uma população menos livre, como também a deixa menos segura. E não existe liberdade individual se o indivíduo está proibido de se proteger contra eventuais ataques físicos. Liberdade e autodefesa são conceitos totalmente indivisíveis. Sem o segundo não há o primeiro.
        Respeitar o direito de cada indivíduo poder ter armas de fogo ainda é a melhor política de segurança, como os fatos listados abaixo mostrarão. Já restringir, ou até mesmo proibir, o direito de um indivíduo ter uma arma de fogo o deixa sem nenhuma defesa efetiva contra criminosos violentos ou contra um governo tirânico.
        A Universidade de Harvard, que não tem nada de conservadora, divulgou recentemente um estudo que comprova que, quanto mais armas os indivíduos de uma nação têm, menor é a criminalidade. Em outras palavras, há uma robusta correlação positiva entre mais armas e menos crimes. Isso é exatamente o oposto do que a mídia quer nos fazer acreditar.
        Mas o fato é que tal correlação faz sentido, e o motivo é bem intuitivo: nenhum criminoso gostaria de levar um tiro.
        Se o governo de um país aprova um estatuto do desarmamento, o que ele realmente está fazendo é diminuindo o medo de criminosos levarem um tiro de cidadãos honestos e trabalhadores, e aumentando a confiança desses criminosos em saber que suas eventuais vítimas — que obedecem a lei — estão desarmadas.
        A seguir, 20 fatos pouco conhecidos que comprovam que, ao redor do mundo, mais armas deixam uma população mais segura.
        #1 Um estudo publicado pela Universidade de Harvard — Harvard Journal of Law & Public Policy — relata que países que têm mais armas tendem a ter menos crimes
        #2 Ao longo dos últimos 20 anos, as vendas de armas dispararam nos EUA, mas os homicídios relacionados a armas de fogo caíram 39 por cento durante esse mesmo período. Mais ainda: “outros crimes relacionados a armas de fogo” despencaram 69%.
        #3 Ainda segundo o estudo da Harvard, os nove países europeus que apresentam a menor taxa de posse de armas apresentam taxas de homicídios que, em conjunto, são três vezes maiores do que as dos outro nove países europeus que apresentam a maior taxa de posse de armas.
        #4 Quase todas as chacinas cometidas por indivíduos desajustados nos Estados Unidos desde 1950 ocorreram em estados que possuem rígidas leis de controle de armas.
        Com uma única exceção, todos os assassinatos em massa cometidos nos EUA desde 1950 ocorreram em locais em que os cidadãos são proibidos de portarem armas. Já a Europa, não obstante sua rígida política de controle de armas, apresentou três dos seis piores episódios de chacinas em escolas.
        #5 Os EUA são o país número 1 do mundo em termos de posse de armas per capita, mas estão apenas na 28ª posição mundial em termos de homicídios cometidos por armas de fogo para cada 100.000 pessoas.
        #6 A taxa de crimes violentos nos EUA era de 757,7 por 100.000 pessoas em 1992. Já em 2011, ela despencou para 386,3 por 100.000 pessoas. Durante esse mesmo período, a taxa de homicídios caiu de 9,3 por 100.000 para 4,7 por 100.000. Durante esse mesmo período, como já dito acima, as vendas de armas dispararam.
        #7 A cada ano, aproximadamente 200.000 mulheres nos EUA utilizam armas de fogo para se proteger de crimes sexuais.
        #8 Em termos gerais, as armas de fogo são utilizadas com uma frequência 80 vezes maior para impedir crimes do que para tirar vidas.
        #9 O número de fatalidades involuntárias causadas por armas de fogo caiu 58% entre 1991 e 2011.
        #10 Apesar da extremamente rígida lei desarmamentista em vigor no Reino Unido, sua taxa de crimes violentos é aproximadamente 4 vezes superior à dos EUA. Em 2009, houve 2.034 crimes violentos para cada 100.000 habitantes do Reino Unido. Naquele mesmo ano, houve apenas 466 crimes violentos para cada 100.000 habitantes nos EUA.
        #11 O Reino Unido apresenta aproximadamente 125% mais vítimas de estupro por 100.000 pessoas a cada ano do que os EUA.
        #12 Anualmente, o Reino Unido tem 133% mais vítimas de assaltos e de outras agressões físicas por 100.000 habitantes do que os EUA.
        #13 O Reino Unido apresenta a quarta maior taxa de arrombamentos e invasões de residências de toda a União Europeia.
        #14 O Reino Unido apresenta a segunda maior taxa de criminalidade de toda a União Europeia.
        #15 Na Austrália, os homicídios cometidos por armas de fogo aumentaram 19% e os assaltos a mão armada aumentaram 69% após o governo instituir o desarmamento da população.
        #16 A cidade de Chicago havia aprovado uma das mais rígidas leis de controle de armas dos EUA. O que houve com a criminalidade? A taxa de homicídios foi 17% maior em 2012 em relação a 2011, e Chicago passou a ser considerada a “mais mortífera dentre as cidades globais”. Inacreditavelmente, no ano de 2012, a quantidade de homicídios em Chicago foi aproximadamente igual à quantidade de homicídios ocorrida em todo o Japão.
        #17 Após essa catástrofe, a cidade de Chicago recuou e, no início de 2014, voltou a permitir que seus cidadãos andassem armados. Eis as consequências: o número de roubos caiu 20%; o número de arrombamentos caiu também 20%; o de furto de veículos caiu 26%; e, já no primeiro semestre, a taxa de homicídios da cidade recuou para o menor nível dos últimos 56 anos.
        #18 Após a cidade de Kennesaw, no estado americano da Geórgia, ter aprovado uma lei que obrigava cada casa a ter uma arma, a taxa de criminalidade caiu mais de 50% ao longo dos 23 anos seguintes. A taxa de arrombamentos e invasões de domicílios despencou incríveis 89%.
        #19 Os governos ao redor do mundo chacinaram mais de 170 milhões de seus próprios cidadãos durante o século XX (Stalin, Hitler, Mao Tsé-Tung, Pol Pot etc.). A esmagadora maioria desses cidadãos havia sido desarmada por esses mesmos governos antes de serem assassinados.
        #20 No Brasil, 10 anos após a aprovação do estatuto do desarmamento — considerado um dos mais rígidos do mundo —, o comércio legal de armas de fogo caiu 90%. Mas as mortes por armas de fogo aumentaram 346% ao longo dos últimos 30 anos. Com quase 60 mil homicídios por ano, o Brasil já é, em números absolutos, o país em que mais se mata.
        Quantas dessas notícias você já viu na mídia convencional, que dá voz apenas a desarmamentistas?
        Armas são objetos inanimados, tão inanimados quanto facas, tesouras e pedras. Costumes, tradições, valores morais e regras de etiqueta — e não leis e regulações estatais — são o que fazem uma sociedade ser civilizada. Restrições sobre a posse de objetos inanimados não irão gerar civilização.
        Essas normas comportamentais — as quais são transmitidas pelo exemplo familiar, por palavras e também por ensinamentos religiosos — representam todo um conjunto de sabedoria refinado por anos de experiência, por processos de tentativa e erro, e pela busca daquilo que funciona. O benefício de se ter costumes, tradições e valores morais regulando o comportamento — em vez de atribuir essa função ao governo — é que as pessoas passam a se comportar eticamente mesmo quando não há ninguém vigiando. Em outras palavras, é a moralidade a primeira linha de defesa de uma sociedade contra comportamentos bárbaros.
        No entanto, em vez de se concentrar naquilo que funciona, os progressistas desarmamentistas querem substituir moral e ética por palavras bonitas e por leis de fácil apelo.
        Por último, vale um raciocínio lógico: quem é a favor do desarmamento não é contra armas, pois as armas serão necessárias para se desarmar os cidadãos. Logo, um desarmamentista nunca será contra armas — afinal, ele quer que a polícia utilize armas para confiscar as armas dos cidadãos.
        Consequentemente, um desarmamentista é necessariamente a favor de armas. Mas ele quer que apenas o governo (que, obviamente, é composto por pessoas honestas, confiáveis, morais e virtuosas) tenha armas.
        Conclusão: nunca existiu e nem nunca existirá um genuíno ‘desarmamento’. Existe apenas armamento centralizado nas mãos de uma pequena elite política e dos burocratas fardados que protegem os interesses dessa elite.

        Participaram desse artigo:
        Walter Williams, professor honorário de economia da George Mason University e autor de sete livros. Suas colunas semanais são publicadas em mais de 140 jornais americanos.
        Ron Paul, médico e ex-congressista republicano do Texas. Foi candidato a presidente dos Estados Unidos em 1988 pelo Partido Libertário e candidato à nomeação para as eleições presidenciais de 2008 e 2012 pelo partido republicano.
        É autor de diversos livros sobre a Escola Austríaca de economia e a filosofia política libertária como Mises e a Escola Austríaca: uma visão pessoal, Definindo a liberdade, O Fim do Fed – por que acabar com o Banco Central(2009), The Case for Gold (1982), The Revolution: A Manifesto (2008), Pillars of Prosperity (2008) e A Foreign Policy of Freedom (2007).
        O doutor Paul foi um dos fundadores do Ludwig von Mises Institute, em 1982, e no ano de 2013 fundou o Ron Paul Institute for Peace and Prosperity e o The Ron Paul Channel.
        Stefan Molyneux, ex-empresário do ramo de software, hoje se dedica inteiramente à filosofia. Já escreveu sete livros, todos disponíveis em seu website.
        Michael Snyder, colunista do blog Economic Collapse.

        Fonte: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1974

        Nelci Gomes
        Advogado
        Inicio de vida acadêmica na Escola de Engenharia Agronômica – UFRB fazendo parte de alguns movimentos em busca pelo desenvolvimento sustentável. Formada em Técnica Mecânica Industrial pelo IFBA onde no mesmo período conclui o Programa de Formação de Operadores Petroquímico, atualmente cursando Dire…(EXTRAIDO:http://nelcisgomes.jusbrasil.com.br/artigos/152734343/vinte-fatos-que-comprovam-que-a-posse-de-armas-deixa-uma-populacao-mais-segura?utm_campaign=newsletter-daily_20141120_336&utm_medium=email&utm_source=newsletter )

        Atenciosamente Leonardo M. Pieper

      • emerson sousa disse:

        nao o conheço mais faço da minha suas palavras

    • Alexandre Assis disse:

      Já tem esse mesmo texto aqui no Defesa.Org, segue o link: http://www.defesa.org/a-arma-conduz-a-civilizacao/

  5. Leonardo M. Pieper disse:

    Geórgia promulga lei que permite porte de arma em escolas e igrejas
    Críticos chamam-lhe lei “Armas por todo o lado”
    Salvar • 3 comentários • Imprimir • Reportar
    Publicado por Nelci Gomes – 9 horas atrás

    7
    O governador do estado da Geórgia (EUA) promulgou, esta quarta-feira, uma lei que permite o porte de arma praticamente em quase toda a parte, como igrejas e escolas, e o seu uso em caso de risco à segurança.

    Os fundadores da nossa nação colocaram o direito ao porte de arma ao lado da liberdade de expressão e da liberdade de culto religioso, afirmou o governador republicano Nathan Deal. Durante décadas defendi, de forma incondicional, os nossos direitos previstos na Segunda Emenda, como deputado ou como governador. Esta legislação vai proteger os direitos constitucionais dos residentes de Geórgia que foram sujeitos a uma análise dos seus antecedentes antes de obterem a licença de porte de arma, realçou.

    A House Bill 60, que dividiu opiniões e que os críticos apelidam “lei armas por todo o lado”, permite a portadores licenciados residentes na Geórgia levar as suas armas para bares, igrejas, zonas de escolas, edifícios do Governo e certas partes de aeroportos, nota a CNN.

    ——————————————————————————–

    Fonte:http://www.tvi24.iol.pt/internacional/georgia-aprova-porte-armas-escolas-igrejas/1552268-4073.html( EXTRAIDO:http://nelcisgomes.jusbrasil.com.br/noticias/117323329/georgia-promulga-lei-que-permite-porte-de-arma-em-escolas-e-igrejas?utm_campaign=newsletter&utm_medium=email&utm_source=newsletter )

  6. Bruno Borsatto disse:

    Então o relatório do Cajado não vale mais? Amém! Não sei quem escolhe, mas um relator mais simpático as nossas idéias seria bom. Boa sorte pra vocês amigos do instituto DEFESA!

  7. Fabiano Ragazzon disse:

    Bom dia. Quero ajudar a divulgar. Como faço para adquirir uma camiseta?

  8. Cassandra disse:

    Com as mudanças promovidas no PL 3722/12 pelo deputado Cláudio Cajado foi melhor que terminasse desta forma! O perfil do novo Congresso é mais simpático a este projeto e no meu entender ele terá maiores chances de ser aprovado sem modificações no ano que vem.

  9. Ulisses Engelberg Moraes disse:

    Grande conquista, mas gostaria de deixar uma opinião, quando um cidadão de bons costumes for tirar o porte e adquirir uma arma, o estatuto do desarmamento deixou uma brecha gravíssima, apesar do cidadão de bons costumes passar pelo procedimento de certidões e psicotécnico e o curso de tiro e depois o porte e pegar a arma, FALTOU obrigatóriamente em ter um cofre dentro de casa de preferencia chumbado no concreto e no fundo do armário, assim se tiver filho menores ou adolescentes evitaria a curiosidade dos filhos em querer manusear uma arma e brincar.

    • Lucas Parrini disse:

      Bom dia Sr. Ulisses!

      Obrigado pela participação e seja bem vindo!

      Gostaria apenas de expôr uma opinião contrária a do cofre: Não vou entrar na discussão científica de que a proibição é pior do que a educação, pois sou leigo nesse sentido.

      Vou me conter apenas na convicção baseada na minha experiência pessoal de que, meu filho terá acesso irrestrito as minhas armas pois eu o educarei de forma correta e sensata para isso, assim como o educarei a usar uma faca de churrasco, o fogão, etc. Portanto, o meu filho terá tanta responsabilidade, até mais do que eu, para lidar com esta ferramenta. Sou contrário a obrigatoriedade de TODOS terem um cofre, mas também acho que não deve ser uma obrigação NÃO tê-lo. Simplesmente quem achar melhor esconder a arma do filho, que o faça.

      Grande abraço!

  10. JOSE CARLOS RODRIGUES disse:

    O que fico mais indignado é ver um parlamentar do PT na câmara como aconteceu ontem subir a tribuna não para falar dos seus projetos e o bem estar dos brasileiros, mas sim dizer que eles obtiveram um sucesso imensurável em não permitir que a PL 3722/12 não foi votada e que eles obstruíram e fizeram de tudo que o regimento permite para que a PL não fosse ao plenário, conclusão : incompetente e medo que ela fosse aprovada. Ontem também foi a diplomação da presidente, também interferiu um pouco. Apesar so grande esforço, agora é esperar por mais 2 anos ou mais

  11. Antonio disse:

    Por favor não convidem mais o Cajado! O relatório dele ficou horrível, sem contar a historia da recarga, (conta simples 20 milhões de munição x 75% imposto x R$ 4,00 por munição faça a as contas)
    pessoal fiquem de olha nas seguintes pontos em que a imprensa falou
    Numero de armas de 6 para nove.
    Munição de 50 para 600 ao ano.
    E principalmente detonar a falacia desarmamentista relacionado o numero de assassinatos e estupros de mulheres por bandidos com facas, armas dentre outros pontos, eles são demagogos demais e se conseguirmos por em cheque as falacias deles, eles vão atender a controle de ar-condicionado como se fosse telefone;
    e também vamos questionar os recursos deles vindo do governo
    Boa sorte a todos nos.

  12. Andreas Josef Malik De Abreu disse:

    Prezado Instituto da Defesa. Nossa luta para liberar armas significa Democracia e Proteção por cada cidadão Carta Magna e Pátria Amada Brasil. Quem tem medo do povo armado é sempre ditadura o qual baseia no corrupção e falsidade. No tempo “Ditadura Militar” governo recomendava usar armas da defesa para cada cidadão. Quem tinha medo??: bandido na rua, Bandido na politica com seus aliados comunistas. Nossa vitoria esta já no caminho. Meus parabéns para liberação das armas para povo no Brasil com foi no dia 8/12/2014 no Peru. Atenciosamente – Prof. Andreas.

  13. Marcelo disse:

    Se o deputado cajado foi a favor com um relatorio desses, imagina se fosse contra, Resumo geral, esse povo da camara so gastou mais tempo e dinheiro para atrapalhar esta nacao. Sei que em 2015, teremos muito pela frente a conquistar, se depender de mim estarei preparado para mais esta batalha e que juntos seremos vencedores.

  14. diecson adriano cortes disse:

    caros amigos precisamos sim ter direito as armas para nos defender vamos lutar mais em 2015 e conseguir abraços.

  15. Isaias disse:

    tem que liberar os calibres tbm bandido não tem restrição de calibre eu tenho que ter direito a portar uma 556 uma 9 mm uma magnun 44 sei la uma arme que resolva o problema com um ou dois disparos e não uma misera .380 acp

    • Eric K. disse:

      Exatamente como foi feito no Peru recentemente. E como aqui, era considerado um caso perdido. Então, já que está dando uma trabalheira danada aprovar o 3722, que pelo menos seja por algo nesses moldes. E tem vários calibres que poderiam ser liberados que, não tem mais uso policial e militar, como o .45 Colt e 30-06, que são versões para civis de calibres famosos como o .45 GAP, 9X21 IMI e o .222 Remington. Que tem uso somente por atiradores desportivos, como o .38 Super, que tem uso basicamente por caçadores, como o 44 Magnum, o .454 Casull e o .243 Winchester. E seria interessante também se liberassem, até mesmo porque facilitaria a compra por policiais, o .40 S&W e o .357 Magnum. Escolhi esses calibres porque a maioria a CBC ou suas subsidiárias fabricam. E seria mais fácil de serem permitidos.

  16. Antonio disse:

    Sou a favor da volta do cidadão de bem ter arma em seu poder e, também com um bom treinamento para manuseá-la corretamente. Portanto, o Instituto de Defesa está de parabéns com essa iniciativa.

  17. JOSE CARLOS RODRIGUES disse:

    COMENTÁRIO FORA DO CONTEXTO, PORÉM, É A CHAVE DA QUESTÃO :
    – Postei várias vezes nas redes sociais que esta eleição de 2014 não era fundamental a eleição de Presidente;
    – Era a eleição para mudança do congresso;
    – Impedir que os afiliados, acessórios, coligados, associados, parentes, e financiadores fossem eleitos;
    – Impedir que os “coronéis” plantasse seus aliados nos três poderes;
    – Só para 2018 ou 2022 fosse o de presidente pra valer, depois, que nos déssemos uma limpada de no mínimo 70%

  18. ALDO MEDEIROS disse:

    LUCAS VAI MUDAR O RELATOR DO PL? OUTRA COISA VEJA O QUE VC PODE FAZER PELA CLASSE DE CAÇADORES, PRINCIPALMENTE OS DE SUBSITÊNCIA, QUE AQUI NO PARÁ SÃO MUITOS,MUITAS VEZES SEMI-ANALFABETOS, SEM CONDIÇÕES DE FAZER OS TESTES PSICOTECNICOS RIGOROSOS, OU AO MENOS QUE OS TESTES SEJAM APLICADOS DE ACORDO COM A ESCOLARIDADE DE CADA UM.

    ABRAÇO!

    UNIDOS SOMOS INVENCÍVEIS!
    E CADA VEZ MAIS FORTES!

    SÓ UMA SUGESTÃO, HOJE ESTAMOS APOIANDO POLÍTICOS QUE APARENTEMENTE CONCORDAM COM NOSSAS IDÉIAS, COMECE A PENSAR EM COLOCAR UM DE NÓS LÁ NO MEIO DELES, EU PARTICULARMENTE SIPATIZO MUITO COM O ALEXANDRE LIMA , VOCÊ É UM CARA DE GRANDES IDÉIAS MAS POR ENQUANTO É O NOSSO LEME.

  19. Luciano Nagib disse:

    Depois de uma luta dura em Brasilia para aprovar o porte de armas dos Agentes Penitenciários, e depois de conseguir- mos a liberação por pate do EB para a compra de armas de calibre restrito …
    Vem o nobre Parlamentar Claudio Cajado e no seu medíocre relatório, restringe o direito de porte dos Agentes Estaduais, apenas nos Estados em que exercerem a função, e somente nos anemicos Calibres permitidos
    ” SIMPLESMENTE RIDÍCULO… TRÁGICO , FALTA DE RESPEITO COM A VIDA DO SERVIDOR DO ESTADO “

  20. Emerson Luís de Mira disse:

    Queria uma informação concreta de como deverei agir. Dia 11 de junho de 2014 efetuei o pagamento de uma PT 380 HC Plus 19+1 e pente reserva o valor de 3.800,00 reais ja incluso registro, teste psicotécnico e tiro. Dia 05 de julho de 2014 fiz os testes sendo considerado apto nos 2 testes. Agora final de novembro, minha arma chegou a loja onde comprei. Me chamaram para ve-la, inclusive a peguei na mão, mas não pude leva-la, pois falta o registro da mesma que é concedido pela vangloriosa Polícia Federal. O primeiro Delegado acredito eu, deferiu o pedido da arma em meu nome a loja da Taurus que fica no Rio Grande do Sul. Mas quinta feira dia 18 de dezembro de 2014, o dono da loja foi a Delegacia de Polícia Federal para buscar os registros e para minha surpresa, meu registro foi indeferido por outro Delegado que argumentou que um TC de potencial leve criminal, uma briga banal com outro sujeito. Não fui condenado, e acho que o mesmo se equivocou, ja que o primeiro Delegado liberou a arma pra vir em meu nome da Taurus. peço então aqui, aos amigos da Defesa como deverei agir em janeiro de 2015.

  21. carlos alberto cavalcante disse:

    Se todos as pessoas de bem e boas itençães e ficha lipa possoisem uma arma legalizado .ese eles soubesem as ivazo~es nao aconteceria com tantas frequencia.

  22. Leonardo disse:

    Meus caros, sabia que existe ou deveria existir um looby muito forte para que esta lei ou outra seja aprovada, parece que as empresas de armas no Brasil, mais precisamente a Tauros não toma “partido” pois é fornecedora do governo, deveríamos, hoje temos alguns lotes de Glock presos e aguardando liberação do exército anos de 1 ano, acho que uma empresa como a Glock poderia ter uma posição patrocinadoras imparcial que as outras.

  23. Hugo disse:

    Muito se diz sobre a limitação da idade para posse e porte de arma, inclusive li que estão querendo manter a idade mínima para posse como sendo de 25 anos e 30 anos para porte, contrariando o texto original do PL3722/12, pois bem, eu tenho 22 anos atualmente, sou casado, bancário e tenho uma filha recém nascida, há poucos dias um assaltante invadiu uma casa, não tão longe da minha e pegando uma bebê pelo pescoço, enforcando-a e apertando contra a parede ameaçava mata-la caso alguém da casa desse algum alarme, grito ou reagisse, enquanto isso sei comparsa fazia um limpa na casa…
    Quantos motivos (além de toda a violência já conhecida de todos) vocês acham que eu ainda preciso para querer tirar o meu CR? Aliás, não posso né…
    Então, de quais motivos mais eu precisaria para comprar uma arma ilegal? – Não que eu vá fazer isso.
    O que eu quero é, também, ter o direito de me defender. Apesar da minha idade eu sou um pai de família, responsável pela segurança da minha família, e quantos desmiolados já têm mais de 25 ou 30 anos? A limitação de idade é algo que tanto quanto a limitação do calibre, eu acho muito questionável, afinal a única “arma” que eu posso ter em casa é de pressão, e uma arma de pressão que chegue a ser letal custa o valor de dois revolveres .38spl. Então pra que eu vou comprar uma coisa dessas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*