Níveis de blindagens

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

 

O Decreto 3.665/2000 classifica os equipamentos de proteção balística contra armas de porte e portáteis, como coletes, blindagens veiculares e blindagens arquitetônicas em níveis de acordo com a sua capacidade de proteção. Com base nesta tabela são especificados o que pode e o que não pode ser produzido, comercializado ou utilizado, de acordo com os interesses do Exército Brasileiro.

Confira:

 

Nível

Munição

Energia Cinética

(Joules)

Grau De Restrição

I

.22 LRHV Chumbo

133 (cento e trinta e três)

.38 Special RN Chumbo

342 (trezentos e quarenta e dois)

II-A

9 FMJ

441 (quatrocentos e quarenta e um)

.357 Magnum JSP

740 (setecentos e quarenta)

Uso permitido

II

9 FMJ

513 (quinhentos e treze)

.357 Magnum JSP

921 (novecentos e vinte e um)

III-A

9 FMJ

726 (setecentos e vinte e seis)

.44 Magnum SWC Chumbo

1411 (um mil quatrocentos e onze)

III

7,62 FMJ (.308 Winchester)

3406 (três mil quatrocentos e seis)

Uso restrito

IV

.30-06 AP

4068 (quatro mil e sessenta e oito)

niveis de blindagemNo Brasil, o mesmo decreto , de autoria do Exército, autoriza a utilização de veículos blindados apenas até o nível III. O controle desses equipamentos é feito pelas Secretarias de Segurança Pública, que podem emitir normas estaduais sobre os procedimentos para aquisição e utilização.

O Centro de Avaliação do Exército (CAEx) é o órgão responsável por testar e certificar a qualidade das blindagens produzidas no Brasil ou importadas para o país.

O Instituto DEFESA trabalha pela flexibilização das normas referentes as blindagens, com o objetivo de facilitar o acesso a estes equipamentos aos brasileiros que deles necessitam.

 

 


 

Este texto foi útil? Por cerca de 50 centavos por dia você pode ser um membro premium do Instituto DEFESA e financiar a divulgação de informações como esta. Filie-se.


Publicado em Artigos
6 comentários sobre “Níveis de blindagens
  1. manoel figueiredo disse:

    Acho um absurdo um cidadão de bem , que tem condições de comprar tais equipamento ser restringido de sua proteção em um estado que deixa seu povo a mercê de bandidos.Abraço a todos !!!

    • marcelo disse:

      Qual seria a razão da limitação ao nível III?

      Porque da mesma forma que o Estado limita o calibre “uso restrito…”, a limitação ao nível de blindagem permite ao Estado manter sua supremacia sobre a população.

      É controle social amigo…

      • Paulo disse:

        Não concordo com sua justificativa.pois infelizmente o Brasil não tem o devido controle de entrada de armas nas fronteiras, tais exemplos está aí com bandidos cada vez mais bem armados que as polícias e os órgãos de segurança ainda fica privando a própria polícia de agir contra estes marginais. Aff….

  2. Raziel disse:

    Amigos alguém sabe como adquirir autorização para compra de colete balístico no Rio de Janeiro? Estou desesperado e não tenho nenhuma informação

  3. Felipe Lima Pedrozo disse:

    Esse Brasil tá muito porco e vai continuar assim ainda por muito tempo. Tenho de pensar em mim e na minha família. Estou saindo dessa Capitania Hereditária, desse Engenho que nunca deixa suas raízes de desonestidade….

  4. davy de oliveira dias disse:

    Olá, gostaria de saber quais são as restrições para bandido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*