Mito #52

O mito:

Se todos portarem armas viveremos em um “Velho Oeste”, com todo mundo atirando em todo mundo.

A verdade:

O Brasil tem, em 2012, 14 das 50 cidades mais violentas do mundo. Maceió tem mais de 135 homicídios para cada 100.000 habitantes, Belém tem 78 para cada 100.000. A média nacional, com números bem maquiados, é de pouco mais de 27 homicídios para cada 100.000 habitantes.
No Velho Oeste, considerando as principais cidades, de 1870 a 1885 ocorreram apenas 45 homicídios. O equivalente a uma taxa (levando em consideração o número de habitantes) de 1 homicídio para cada 100.000. Portanto, considerado o cenário atual, viver em um “Velho Oeste”, seria uma grande evolução.

western-wallpaper


Publicado em Mitos e Verdades
27 comentários sobre “Mito #52
  1. Gustavo disse:

    De onde vêm esses números? Cadê as referências?

  2. Márcio Cleiton disse:

    Parabéns pelo trabalho. apoiados sempre. unidos faremos a diferença .

  3. paulo disse:

    o brasil é um pais de vítimas, não de assassinos se continuarem com essa campanha de desarmamento logo nos cidadão não vamos nem poder cagar no mato pois corremos o risco de ser morto, por bandidos armados, ou será o pt que quer dar um golpe comunista?

  4. Rodolpho Villas Boas Neto disse:

    A época do Velho Oeste foi a mais Pacifica ja existente na Historia do Mundo todos Portavam Armas se Defendiam e Imperava a Ordem o respeito e a Honestidade pessoas Decentes e que respeitavam acima de Tudo os seus proximos . Hoje inclusive em paises Desarmados reinam a Corrupção o Desrespeito a Injustiça a Troca de Favores pessoas que tiram vantagems de quem pode menos aproveitadores covardes etc……..

    • Lucas Pereira Praxedes disse:

      Exatamente Caro Rodolpho,Hoje,devido essa política suja e mentirosa,Viramos reféns do governo e da vagabundagem.
      Todo cidadão tem que ter o direito a se defender,
      “Se Quer Paz,Prepare-se pra GUERRA”.
      Estamos juntos pelo direito a legítima defesa!

  5. Rodolpho Villas Boas Neto disse:

    A época do Velho Oeste foi a mais Pacifica ja existente na Historia do Mundo todos Portavam Armas se Defendiam e Imperava a Ordem o respeito e a Honestidade pessoas Decentes e que respeitavam acima de Tudo os seus proximos . Hoje inclusive em paises Desarmados reinam a Corrupção o Desrespeito a Injustiça a Troca de Favores pessoas que tiram vantagems de quem pode menos aproveitadores covardes etc……..

  6. Epxn disse:

    Paz por medo. Paz falsa. Não vê que isso não tem nada de novo, desde que o homem é homem? A arma é só uma extensão externa e maximização do conflito interno. Em vez de dar maior chance de dano a um intento destrututivo, com instrumentos projetados só para esse fim (facas e demais objetos já têm o seu objetivo específico, apenas são apropriados na hora, diferentes de armas de fogo ou qualquer outra de combate) uma luta verdadeira seria pelo não investimento e criação desses instrumentos. Mas isto está longe neste mundo. Num mundo assim, o bandido do exemplo jamais teria ao alcance um obejeto de letalidade do nível da arma..Veja que o mesmíssimo pensamento já quase levou o mundo a auto-destruição ( ainda sem este risco totalmente sanado): Cada país queria possuir também uma bomba-nuclear…então vemos que o foco tem que ser em -reduzir a possibilidade de dano- já que nós temos tantos problemas internos.. O bandido usa, mas não cria a arma. O bandido tem baixo grau de escolaridade, já os criadores e aperfeiçoadores têm de ter grande conhecimento técnico..e além disso damos um tiro que sai pela culatra com a existência do comércio de armas. Mais armas, mais lucro..e assim a guerra se torna um bom negócio!
    A invenção do estado e da polícia, pelo que aprendi, foi um marco na história humana. Não resultou perfeito devido, mais uma vez, a insistência desses conflitos internos que temos… de um único grupo armado surgiu a possibilidade do abuso do poder..( e aqui a situação ideal da não fabricação e não só desarmamento retiraria o medo do estado policial autoritário) mas pelo menos parece que a violência gratuita diminuiu ( dando-se tempo para a “cabeça esfriar” enquanto se procura por uma arma de acesso não facilitado).
    Penso que o problema da violência na sociedade é “mais embaixo” , na verdade todos eles são..e quero mostrar isso com um dado que tem aqui: O Japão possui o número de armas por habitantes próximo do zero, e homícidio também..ao mesmo tempo que os USA possui o segundo baixo mas o primeiro alto.. Então não vejo relação de causa-consequência, e por isso digo que o foco é uma redução da possibilidade de dano, enquanto se estudariam nossas verdadeiras causas. Acho que essa desmilitarização das polícias no mundo ( como ouço dizer, confesso que não procurei essa estatítica) vai por ai.
    É escolher se em meio ao caos, você fornece a opção de haver disponível algo mais inofensivo que iniba do mesmo jeito, ou um botão de morte.

    • Daniel Ribeiro disse:

      1) Engana-se ao pensar que armas são feitas exclusivamente por pessoas “instruídas”… A pólvora tem quase 1000 anos, amigo. Armas de fogo de concepção moderna, mais de 200 anos. Qualquer imbecil faz uma arma hoje em dia no quintal de casa.

      2) Impossível “parar de fabricar armas”. No dia em que isso acontecer, o primeiro sujeito que fabricar uma espingarda com um cano de ferro será o novo rei da cidade. E quem vai impedi-lo? Já que ninguém tem armas?

      3) A vida sem armas é injusta… Que chance tem um idoso comparado a um jovem se ambos estiverem desarmados? Que chance tem uma mulher contra um estuprador? Que chance tem um homem contra outros 3? A vida sem armas é a vida da selva, a lei do mais forte, do mais jovem e dos em maior número. A arma equaliza as forças.

      4) Sujeito decidiu ser ladrão? Ótimo, assumiu o risco de morrer. É simples. Não quer levar tiro, não seja ladrão. Paz por medo? Pode ser… Sendo Paz, está ótimo.

      5) “A invenção do estado e da polícia, pelo que aprendi, foi um marco na história humana.” – Certamente foi um “marco”. No entanto, a liberdade individual deve ser preservada. Cada indivíduo deve ser capaz de decidir se quer delegar a proteção de sua vida ao estado ou a quem quer que seja. Para muita gente isso é inadmissível. Cada um sabe valor da sua vida, e o estado, em toda sua incompetência, não é capaz de cuidar dela da forma apropriada.

      Recomendo fortemente que pesquise sobre os dados estatísticos da violência no Brasil e no mundo. No Brasil temos quase 60 mil homicídios por ano, vá ver quantos deles são por “cabeça quente”.
      Não se iluda amigo… A arma que mata é a do bandido, não a do cidadão honesto e trabalhador.

    • Arnaldo disse:

      Epxn, acho que vc está no lugar errado. É pacifista utópico, daquele estilo bobinho e alienado? Completamente fora domundo real? Sugiro uma carreira religiosa prá vc.

      • Marcos Choti disse:

        Como assim carreira religiosa amigo? Sou cristão e quero meu direito de andar armado como sempre eu andava antigamente, que história é essa? Hummm…

  7. Nelson disse:

    A paz que a liberdade de ter ou portar armas promove não é a paz por medo, é a paz que se obtém entre pessoas livres e responsáveis (responsabilizáveis).
    Eliminar todas as armas com o poder do estado é que é paz por medo. É a ideia de que é preciso que todos abram mão da liberdade porque eu não quero encontrar um louco e ter de me defender dele. É a ideia de que eu preciso temer meu semelhante a tal ponto de que é necessário estabelecer um gigantesco poder sobre todos para que nunca precise julgar o caráter de alguém.

    Além disso liberdade para ter armas é diferente de ter armas. Eu não tenho armas, não sei atirar, não tenho boa mira e não tenho nenhnum interesse imediato em comprar uma arma, mas não posso admitir que alguém me proíba de buscar os meios de auto-defesa se isso me parecer necessário.

  8. Epxn disse:

    Quando seu intuito é de defesa, isso não restringe a matar. Quero dizer, o que vc quer de fato, eh algo eficiente que iniba seu atacante. Por isso usei a frase “redução da possibilidade de dano” e aposto na evulação técnica de armas não letais, enquanto a humanidade não aprende a conviver. Porque, o continuamento do investimento ( quando falo investimnto, quero dizer intelectual e material) das armas letais e mortais só gera um círculo vicioso onde um outro dara um jeito de ter uma arma ainda mais mortal com base no mesmo argumento de defesa- que em alguma hora vira ataque atraves de alguem por motivos diversos. E isso eh extrapolado ate o nivel dos paises, com as guerras..

  9. Jegue do Pantano disse:

    Se tornar-se um velho oeste em termos de mortes por arma de fogo a cada 100 mil habitantes seria bom, concordo. Mas o termo “Velho Oeste” é usado como metáfora, não literalmente. Até concordo com alguns argumentos a favor da liberação de armas, mas o que esse texto desmistificou? Que o velho oeste não era tão ruim assim? O que isso acrescenta à discussão da liberação de armas? Nada!!! Ou só porque o velho oeste não era assim tão ruim quer dizer que se liberarmos as armas as 14 cidades brasileiras entre as 50 mais violentas vão passar a ter um indice de mortes por armas de fogo similar?

    Boa sorte na proxima tentativa. De verdade.

  10. Anderson disse:

    Aos que escrevem aqui e são contra o armamento, ou são anjos falando diretamente do céu… ou não procuram informações concretas de nossa realidade social! Leiam…estudem…assistam televisão (séria, não a manipuladora)…vivam a realidade! e desejo sinceramente que mudem de idéia pela razão, pela própria inteligencia… e não pela dor e revolta! “O sábio pode mudar de opinião, o ignorante nunca”(Imannuel Kant)

  11. Eduardo Amorim disse:

    Aos antibelicistas de plantão que questionam e questionam e sempre dão justificativas lindas e maravilhosas desenhadas na base de uma sociedade perfeita e amorosa em que todos são gentis, honestos, carinhos e educados e que nós, seres humanos, jamais conseguimos organizar, agradeçam por ter a possibilidade de se comunicar em português, pois, se não fossem as armas usadas para defesa estaríamos conversando em alemão ou russo.

  12. Germano Branda disse:

    Eu concordo com a liberação total das armas, mas fico pensando se isso funcionaria no Brasil uma vez que se todas essas torcidas organizadas fanaticas por futebol estiverem armadas o caos seria instaurado. Eles já matam sem armas, e tentam matar sem armas seja com facas e pedras, arma-los seria praticamente dar a chance de morte de 100% para as pessoas que nada tem a ver com a história.

  13. Jairo disse:

    Parabéns pela luta em defesa da família e dos cidadãos de bem desse país!

  14. Marcelo Labbati disse:

    Muito bacana a argumentacao deste post. Moro em chácara e volta e meia ouço casos de invasão aos meus vizinhos. Ja teve caso de chegar vários carros e levarem tudo. Em outro caso estruparam a mulher do caseiro a noite toda e ele nada pode fazer alem de assistir. #armamento ja

  15. PAULO CRUZ disse:

    Considero inalienável o direito de uma pessoa defender a sua vida ou a de outrem contra uma agressão injusta, como está claramente estabelecido no cõdigo penal brasileiro. Mas como fazer isso se te impedem de ter e portar uma arma de defesa. O Estado brasileiro não oferece a segurança necessária para nos sentirmos em paz e a cada dia a violência urbana cresce sem controle. Não sou armamentista, mas vejo que em futuro bem próximo, aquele que não tiver e souber usar uma arma terá a sua vida seriamente ameaçada pelos marginais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*