Instituto DEFESA é convidado novamente a comparecer no Quartel General do Exército

Curitiba, 12 de Janeiro de 2015.

Depois das duras críticas feitas pelo Instituto DEFESA à Portaria 48 COLOG 2014, que estabelece novas normas para os Colecionadores, Caçadores e Atiradores, a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, do Exército Brasileiro, entrou em contato solicitando a presença desta entidade no Quartel General do Exército, em Brasília, para tratar do texto e da norma.

Leia também:

O convite foi prontamente aceito pelo Presidente do Instituto DEFESA, Lucas Silveira, que comparecerá à reunião com os oficiais na próxima quarta-feira, 14 de Janeiro.

Confira aqui a lista de algumas das muitas propostas feitas e não atendidas, que serão reiteradas no dia 14:

O que foi proposto pelo Instituto DEFESA O que foi imposto pelo Exército Brasileiro Crítica
Reconhecimento do acesso às armas como direito inequívoco. Concessão de CR a título discricionário e precário, que pode ser revogado a qualquer tempo, unilateralmente, pelo EB. O cidadão fica a mercê do humor do administrador, contrariando os fundamentos do Estado Democrático de Direito.
CR com validade indeterminada. CR com validade de 3 anos. A necessidade do “novo” registro  sobrecarrega o serviço, gerando ainda mais morosidade no atendimento ao cidadão.
CR para qualquer idade. CR de caça e coleção apenas para maiores de 25 anos. Não existe nenhum fundamento científico, estatístico ou histórico para justificar o posicionamento do Exército.
Fim da necessidade da emissão de Guias de Tráfego para o atirador transportar suas próprias armas. Manutenção, ainda mais burocrática, da necessidade de emissão de Guias de Tráfego. É natural que o proprietário tenha o direito de transportar armas registradas em seu nome.As Guias sempre são emitidas, de modo que sua exigência consubstancia apenas papelório desnecessário, e arrecadação indevida para o Exército.
Não confundir colecionismo com antiquário. Entende coleção como amontoado de armas antigas. Uma boa coleção – não importa de que seja – contempla itens relacionados  a um tema em comum, sem qualquer relação com sua antiguidade.
Acesso a silenciadores e equipamentos de visão noturna. Manutenção da antiquada proibição de silenciadores e equipamentos de visão noturna. Não existe fundamento científico, estatístico ou histórico para manutenção desta restrição.
Colecionador determina o que vai colecionador. Exige do colecionador um “Plano de Colecionamento”, como se  as armas colecionáveis estivessem fartamente disponíveis no mercado. A coleção pode acontecer “ao acaso”. O Exército não tem o direito de intervir nas decisões particulares do que o colecionador pretende acumular.
Fim da separação entre as categorias Colecionador, Caçador e Atirador. Manutenção das categorias, com o agravante de impedir a transferência de armas da coleção para o acervo de tiro ou caça. Enorme imaturidade criar uma suposta separação entre a destinação das armas. Armas são armas, atiradores são atiradores.A separação das categorias burocratiza ainda mais o espetacularmente  burocrático processo inventado pelo Exército.
Não intervir em como, quando e por quê os atiradores praticam. Cria exigências de habitualidades, modalidades, anotações e até níveis de atiradores. Mais uma vez, ao inventar exigências, o COLOG leva os cidadãos bem intencionados a desistência do tiro, a clandestinidade ou a prestação de informações falsas ao órgão.
Fim das restrições a calibres Mantém a restrição a calibres, com destaque ao 9x19mm e ao 5,56 mm. Não existe qualquer fundamento, exceto a total desinformação, despreparo técnico e má fé para a manutenção destas restrições.
Igualdade entre direitos de brasileiros Mantém uma suposta superiodidade para os chamados “amigos do rei”, na compra de armas de fogo. Atendado gravíssimo aos pilares da democracia.
Acesso a armas célere, quando cumpridos requisitos básicos. Cria novos requisitos, como a “declaração da efetiva necessidade”, nos moldes das exigências da Polícia Federal. Essa estratégia foi usada pela Polícia Federal para impedir o acesso a armas ao cidadão.É um ardil, uma perfídia, uma armadilha.O próximo passo do Exército Brasileiro parece ser perguntar nos supermercados a razão pela qual a dona de casa está comprando dois frangos ao invés de apenas um.
Sem limites de munição Estabelece limites sem qualquer critério para aquisição de munições. Mais uma vez, o Exército Brasileiro demonstra total falta de comprometimento com liberdades individuais.
Não intervir na prática com armas de pressão Cria exigências para praticantes de airsoft, paintball e até arminhas de brinquedo. Insanidade do legislador.

 


 

Você acha este trabalho importante? Torne-se um membro premium do Instituto DEFESA por cerca de 50 centavos por dia e financie nossas atividades. Clique aqui e depois clique na aba “assinatura”.


Publicado em Notícias
68 comentários sobre “Instituto DEFESA é convidado novamente a comparecer no Quartel General do Exército
  1. Antonio João de Freitas disse:

    Ter o direito de defender nosso patrimonio nossas familias.

    • Adriano Golfetto disse:

      Outra coisa que tem que acabar é essas restrições para recarga. A recarga é o único modo dos atiradores se manterem nas competições de um modo digamos”economicamente viável” e ainda assim aumentaram as restrições, pois pro dito “atirador de nível 1” ficou por conta própria toda munição que gastar na indústria.

  2. Juliano Vieira de Liz disse:

    PARABÉNS PRA VOCÊS POR ESTE HONROSO E NECESSÁRIO TRABALHO, CONTINUEM FIRMES NESSE PROPÓSITO DE ARMAR OS CIDADÃOS DE BEM, AO CONTRÁRIO ESTAREMOS CADA VEZ MAIS EM MAUS LENÇÓIS!! JÁ ESTOU ANSIOSO E NUMA ENORME TORCIDA PARA O ÊXITO DESSA “REUNIÃO” DO 17 PRÓXIMO. ABRAÇOS A TODOS!

  3. César Mello disse:

    E lá vão eles ser logrados de novo…
    Esse povo do EB só vai entender e sentar pra “negociar” de verdade quando vocês tiverem uma liminar de segunda instância na mão contra as ilegalidades cometidas.
    Por enquanto, o “jus esperniandi” não têm dado resultado (ou têm, só que inverso do esperado)

    • Antonio Augusto D.Webber disse:

      “Jus Esperniandi”… hahahahaha… adorei o termo… muito adequado para nossos tempos de “direito esquerdo”!

    • Lucas Parrini disse:

      Excelente expressão: Jus Esperniandi!

      auhahuauhahuhauuhauhahua!

      Mas esse é o caminho certo, o diálogo existe na civilização. Acredito que essa etapa ainda pode ser melhor aproveitada e honrada pelo nosso EB.

  4. Ricardo Aparecido Arcova disse:

    muito bom!!!!

  5. Érico Fermino disse:

    Olá meus amigos, não me canso de compartilhar isso com a galera.

    http://www.jandaiaonline.com.br/site/view_noticia.php?id=4415

    • REINALDO CESAR disse:

      Gostei, defendeu sua propriedade e sua familia. Se os sujeitos entraram para o mundo do crime devem saber dos risco inerente a isso. Já estou cansado dessa historinha de “não reaja”, esse governo há 12 anos no poder vem criando uma nação de covardes, mesmo porque fomos desarmados com a desculpinha de “é para a sua segurança”. Se todos tivessem uma arma em casa, ouso dizer, RARAMENTE HAVERIA ASSALTOS à residencias… e se tivessemos o direito a porte dificilmente haveria nas ruas tambem.

  6. Clauter Henrique disse:

    1-Gostaria de saber se o Benê Barbosa faz parte do grupo.

    2-Me parece que a luta anti-restrição de armas não têm muita conquista até agora…

    Abraço á todos!

    • Lucas Parrini disse:

      Olá, boa tarde!

      1) O Prof. Benê Barbosa é presidente do Movimento Viva Brasil, que é uma outra organização que luta pelo acesso as armas. Aí vai depender do que você quis dizer por grupo: O Instituto Defesa ou armamentistas?

      2) Ainda bem que só parece, rs! Sugiro a leitura dos informativos do Instituto Defesa. Mas segue abaixo, um belo resumo:

      https://www.defesa.org/o-que-o-instituto-defesa-fez-em-2014/

      Obs.: Esse link retrata as APENAS as conquistas do Instituto Defesa. Não foram consideradas, mesmo que possam ser semelhantes, conquistas de outros movimentos como :

      Movimento Viva Brasil;
      Pela Legítima Defesa;
      Rearme (é uma página do facebook);
      Legitima Defesa (outra página do FB, no qual eu ajudo a administrar e te digo que em um ano, passamos de 2000 seguidores para mais de 14000).
      Eu Gosto de Armas (canal do Youtube)
      Alexandre Lima (Deputado Federal com canal sobre armas no Youtube)

      Dentre muitos outros que estão juntos nesta luta.

      Espero ter esclarecido que, apesar do objetivo principal não ter sido alcançado, a luta anti-armas teve MUITAS vitórias.

      Grande abraço!

  7. Carlos Eduardo Habigzang disse:

    Boa sorte nesta reunião, mas não se esqueça: ” milico é milico”

  8. César disse:

    Lucas Silveira!

    E você vai cair nessa conversa fiada do EB?!
    Para mim (e para boa parte da Sociedade Brasileira), essa Instituição há muito perdeu a credibilidade, se a Instituição que mais deveria zelar e honrar pela Soberania Nacional se vende a troco de cargos políticos e promoções o que o Instituto Defesa vai fazer lá?
    O defesa.org é fiel às suas convicções e posição em relação ao Estado Democrático de Direito, o EB não!

    • Felipp disse:

      César, não se trata de “conversa fiada”.
      É um convite. Atende se quiser.
      E que bom que tanto o convite foi feito quanto aceito.
      Afinal, o EB poderia muito bem dar de ombros e essa medida arbitrária; que pouca divulgação (e o que não dizer da explicação, mais ainda a explicação isenta) tem, seria ainda menos conhecida.

      • César disse:

        Fellip,

        Obvianente que se trata de mais uma conversa fiada do EB na tentativa de ludibriar nós cidadãos brasileiros,do bem e que pagamos altos impostos todos os anos, inclusive para sustentar pseudo-militares que ao invés de honrarem as fardas e a bandeira nacional se vendem a troco de cargos políticos, ignorando de forma vergonhosa o clamor popular por mudanças que realmente atendam aos anseios de nós CAC’s.
        Duvida? Então deixe sair a nova Portaria (OFICIAL) do Colog e veja se terá alguma mudança que seja realmente a favor dos nossos interesses.

        Abraço.

  9. DCARLOS disse:

    parabéns a todos os componentes e a toda a diretoria do defesa.org,são guerreiros incansáveis na luta ao direito de todo o cidadão de bem ,que não tenha folha corrida com problemas,e também que tenha sanidade mental em dia ,ter direito a sua própria defesa.,sou acadêmico de direito e entendo que de uma certa forma a proibição ao direito do armamento da população fere indiretamente o artigo primeiro da constituição federal…obrigado a todos.

  10. jose de souza filho disse:

    sou vigilante ,no trabalho uso uma arma . condo sai do trabalho sinto desprotegido.

  11. Gustavo Galigiuri disse:

    Bom Lucas, acho um ponto interessante essa da idade mínima para a concessão de CR’s. Se um jovem como eu que tem 17 anos e fará 18 em poucos meses pode participar da Prova da PM (São Paulo) e se for aprovado em todas as 5 etapas poderá com pouco mais de dezoito anos ter e portar uma arma de fogo (.40 calibre restrito como sabemos) mesmo que para exercer a profissão de policial, e já um jovem com essa mesma idade e intelecto é barrado de um direito fundamental que é a segurança pessoal. Acho que pode ser um bom argumento a ser exposto aos militares.

    • Lucas Parrini disse:

      Olá Gustavo!

      Sou outro Lucas, mas vou tentar explicar o motivo desse argumento ser falacioso (parece verdade mas não é):

      Se um jovem de 18 anos se transforma em soldado da PM (seu exemplo), ele não sabe usar a arma. Ele precisará ser educado, com isso, terá potencial para usar a ferramenta.

      Se este mesmo jovem pode ser educado, porque não outro? Sacou? Ambos são seres humanos capazes, iguais, mentalmente saudáveis, não há motivo para a idade biológica ser um fator influente na liberação de armas.

      Inclusive, existem jovens de menor idade ainda que possuem uma educação mais aguçada que – vou chutar – 90% dos nossos policiais.

      Os legisladores sabem disso. Tanto que simplesmente colocam uma determinada idade e não fundamentam isso, nem se dão o trabalho de tentar explicar, pois não há como, rs! São 25 anos e ponto final.

      Abraço!

      • REINALDO CESAR disse:

        Concordo com o Gustavo, se com 18 anos um jovem por entrar para a Policia, Exercito e usar armas, porque um jovem que não vai entrar não pode??? O Problema não é a idade? Se for assim muda-se a legislação e só poderá entrar na Policia e Exercito quem tiver mais de 25 anos de idade, pois antes disso o cidadão não pode ter uma arma. Acho que a idade deveria ser 18 anos e pronto, a partir dessa idade a CF ja considera um cidadão adulto.

  12. Nercês Gaspar Alexandre disse:

    Parabéns à atuação do Instituto Defesa que cada vez mais conquista nossa confiança.
    Em minha opinião, o acesso à arma para todas as finalidades, deve ser autorizadas somente para pessoas com mais de 25 anos, com total credibilidade de sadio comportamento.
    A habilitação física e psicológica tem que ser compatível com a responsabilidade.

  13. marcelo Oliveira disse:

    Esperamos que o nosso , valoroso , Exército , permita que o cidadão brasileiro , capacitado e identificado , possa exercer o seu direito de possuir armas de fogo

  14. Fabio disse:

    Boa sorte Lucas!

  15. luiz eduardo ornaghi disse:

    Senhores
    Temos que ser firmes, com estes “camaradas”, não devemos recuar.
    O Caçador e atirador, são pessoas que recolhem impostos, e estas atitudes discricionárias, só nos fazem pensar, que o nosso “exercito”, tem medo de praticantes de tiro, armados.
    Vamos lá, estou com vocês.
    Atenciosamente
    Luiz Eduardo Ornaghi

  16. Gilberto Barreto Filho disse:

    É lastimável que o Exército Brasileiro – instituição onde eu depositava minha última esperança de não ver este país perder-se no comunismo retrógrado e vil de nossos governantes atuais e onde honra e patriotismo ainda não são palavras cínicas – tenha traído o cidadão brasileiro, que ele deveria defender, da forma como fez. Se o Exército Brasileiro não percebe o mal que o controle de armas faz aos direitos civis de seus cidadãos ou, pior, se está do lado deste governo corrupto e golpista, onde o desarmamento é somente uma etapa de seu Plano de Poder, então estamos vencidos. Perdemos o último organismo capaz de deter a marcha esquerdista, cínica, mentirosa, corrupta e brevemente opressora que destruirá este país por décadas. Não há argumentos contra fatos, e o que se vê acontecendo neste país após 10 anos desta lei de desarmamento, não permite que se questione a inutilidade e, mais ainda, a nocividade deste instrumento, que, em última instância, elimina o sagrado direito de legítima defesa de qualquer ser humano. Estamos em guerra contra a marginalidade reinante, mas uma guerra covarde, desequilibrada, onde somente um lado pode se armar, o lado de quem está fora da lei. É inconcebível a um povo de bem, vivendo em um país regido pelo direito pleno, tal artifício. Lamentável que nosso Exército não seja o primeiro a enxergar isso e lutar conosco pelo resgate da verdadeira cidadania em nossa nação.

    • newton disse:

      Caro Gilberto
      Meus parabéns pelo comentário,você foi claro e incisivo.Sinto-me hoje com a mesma decepção,além de ter sido militar,no EB e na Arma de Material Bélico (BMA),como posso ser privado do direito de portar uma arma de fogo hoje,se,quando havia o perigo vermelho nos anos 60/70 eu estava lá,pronto e armado para defesa da Nação?
      O Exército Brasileiro foi feito de glórias,por bravos que não se renderam as cantilenas dos traidores comunas como fazem hoje os “Civis fardados”,travestidos de militares.Lamento…

    • jose carlos neves disse:

      Boa irmão!!! faço minhas tuas palavras! O EB deveria CUIDAR da nação contra perigos externos, porém esta contra o povo e a favor da oligarquia maldita que corrompe e estupra o povo.

  17. José Borges disse:

    A reunião de setembro de 2014 de nada adiantou. Vocês realmente estão otimistas, achando que mais esta reunião poderá mudar alguma coisa? Tenho minhas dúvidas… parece-me que o Exército não toma decisões, é apenas um joguete e ponta-de-lança nas mãos dos desarmamentistas.

  18. Marcos disse:

    Ja sabemos que o governo brasileiro é golpista. Já houve plebiscito e passaram por cima da vontade popular, comprando exército e policia federal pra alinhar aos seus futuros interesses e golpes de Estado, como o que estamos vendo atualmente.
    Torço para que o bom senso vença as gratificações dadas pelo governo golpista, e possamos dar um passo à frente, e ficarmos menos atrasados em relação aos direitos individuais, respeitados em países desenvolvidos, não-golpistas.

  19. fábio henrique konopatzki disse:

    caros colegas….
    a prática de tiro é algo … um esporte… muito caro….
    adquiri uma taurus 380 já faz uns 8 anos… até hoje não dei um tiro se quer com ela….
    quando renovo a licença, vou lá e faço os testes psicológicos e de tiro com a arma fornecida pelo avaliador….
    não ando armado pela cidade…
    só transportei a arma quando mudei de endereço….
    cidadão de bem não anda armado….
    as restrições do EB são realmente incoerentes…
    precisamos de algumas restrições, mas não exigências incompatíveis com os cidadãos de bem…
    se for assim, apliquem estas leis aos marginais que todos os dias matam integrantes de nossas famílias…..
    acredito que devemos ter regras, mas acessíveis, regras que o cidadão possa cumprir, que esteja dentro da capacidade do cidadão comum…
    e mais uma questão…
    para discutir estes termos impostos pelo EB, com certeza vão precisar de um advogado, porque as alegações feitas por vocês nesta tabela, não tem fundamento jurídico nenhum…. (a não ser que estejam resumidas aí acima)
    bom dia e boa sorte… espero que consigam auxiliar a todos os cidadãos de bem deste país maravilhoso que está sendo corrompido por uma política miserável…!!!!

  20. Márcio disse:

    Já tomei muito soco na cara durante a vida, mas esses foi de longe o mais doloroso. Me sinto traído, justamente por uma das instituições que eu mais admirava e na qual depositava a minha mais íntima confiança.
    Sinceramente, depois disso não dá prá dizer de que lado está o exército.
    Ao publicar essa portaria a instituição trai a parcela da população que mais a apóia ou apoiava. Aqueles que lutam pelo direito ao acesso às armas são os mesmos que combatem, ainda que apenas com críticas, o avanço da catastrófica ação do nosso governo, que no caminho vem engolindo a democracia e todas as nossas instituições democráticas, que nos empurra para o abismo do totalitarismo comunista, sem exageros, dentro do qual encontraremos as mazelas que já se apoderaram de quase todas as nossas nações irmãs.
    Pensava eu que tínhamos um inimigo em comum, pensava eu que combatíamos o mesmo combate, mas depois da portaria em questão sinto que nunca estivemos tão sós.

  21. Ricardo Aparecido Arcova disse:

    tem que deixar de lado essa restrição sobre RECARGA, poxa, fiz um curso, paguei caro pra kct, com certificado e tal pra depois vir essa palhaçada.
    não da pra ficar comprando munição no varejo, é muito cara!!!! média de R$ 40,00 o blister da ogival da ,380, pra treinar precisa pelo menos de 200 tiros, se gasta R$ 800,00!!!
    isso vai acabar com o esporte, apesar de eu ter uma vida estável, eu não sou rico, mas nem rico consegue manter o esporte de forma adequada se não for a recarga.

    • Márcio disse:

      Plenamente de acordo, nem rico…. só ” milionário ” e que goste de torrar dinheiro (estourar, literalmente)……

      Muito bom treinar, mas nessas condições, certamente vai inviabilizar e desmotivar MUITA gente…..

  22. Andrei Marqui disse:

    Torço para que alguém insira no intelecto dos gênios que legislam à respeito um pouco de bom senso.
    Hoje,lendo isso,me sinto constrangido de dizer que um dia servi ao exército(sou R/2 de cavalaria) com orgulho.
    Pelo menos quando isso aconteceu(1986) nós tínhamos o direito de nos defender sem depender de burocratas ignorantes como esses.

  23. Luiz Henrique Haus disse:

    Pena a nova portaria. o EB começa a se consolidar como capacho , tal qual a PF, abrindo mão do que poderia ser uma poderosa segunda reserva.

  24. Márcio disse:

    Amigos, possuir armas é nosso direito, lutar por esse direito é nosso dever.
    Vamos levar nosso descontentamento ao conhecimento do EB.
    Entrem na página da ouvidoria do COLOG e deixem suas reclamações.
    Vamos ajudar ao pessoal do Institudo Defesa pressionando os legisladores, não economizem críticas.
    Segue o link da ouvidoria do COLOG.
    http://www.ouvicolog.eb.mil.br/

  25. Clovis Marques Lima disse:

    Bom dia

    Lamentável a atitude do Exército brasileiro.

    Mas, entendo a função do Estado neste caso, forçar o povo a engolir restrições com argumento retrógrado. O povo com armas ou sem, não resultará em aumento da violência.

    A população tem o direito a compra das armas, e deve ser mantido este. Não é a minha vontade, mas sim a vontade da massa, do povo.

    O Estado, tem arbitrariamente imposto sua vontade, mas o voto do povo, em eleger os representantes, será para nos consultar com antecedência qualquer mudança em lei, mas não se faz, e sim ao contrário, decidem sem consulta.

    A força, para exigir, é igual a opressão em pleno século e técnologia, mas com prenúncio de voltarmos à época dos coronéis.

    Lamento por ser uma imposição, com visão atrasada do futuro.

    Sem mais

    Clovis Marques Lima

  26. Luiz disse:

    Lucas, por favor, nos represente diante dos oficiais do exército na defesa dos direitos dos atiradores! Esta nova portaria impõe diversas regras que são impossíveis de serem cumpridas, não por falta de interesse do atirador, mas pela ineficiência – que deve aumentar diante da criação de mais burocracia – do próprio exército em cumprir com suas obrigações!

    Querem exigir frequência mínima, mas como posso frequentar o clube se estou com um processo de alteração de endereço parado desde janeiro de 2014??? E meu processo de emissão de GTE também está parado desde maio de 2014!?!

    É preciso que o Exército melhore uns 1.000% antes de criar mais burocracia! Desde que dei entrada no meu pedido de concessão de CR, em 2009, só estive com toda a documentação em dia por, no máximo, 12 meses. Ou seja, em 6 anos, apenas 1 deles toda a documentação necessária esteve disponível para mim para que eu pudesse atirar como gostaria. Não preciso nem reforçar de que, por óbvio, essa situação não foi culpa minha, mas dos atrasos imensos impostos pelo SFPC/1RM. Detalhe: só para a concessão do CR o processo durou 3 anos, sendo que quando o mesmo foi emitido, a data era de 1 ano anterior, ou seja, perdi 1 ano de validade sem sequer ter pego o documento.

    Espero que você consiga bons resultados, e pode contar comigo se precisar de informações reais dos meus processos.

    Estou considerando fortemente contribuir para o instituto. Ainda não o fiz pois estou conhecendo o trabalho de vocês, mas se perceber que realmente estão engajados, serei um assinante contribuinte em breve. Infelizmente, diversos órgãos que deveriam brigar pelos direitos dos atiradores ficam apenas em seus escritórios aguardando as contribuições anuais. Fico feliz de finalmente estarmos diante de uma insituição realmente combativa nos direitos de todo cidadão brasileiro à posse, porte e uso de armas, como prega nossa legislação.

    Saudações!

  27. Nelson Fernando de Lisboa Soffiatti disse:

    Lucas,

    O ID tem atuação louvável no sentido de garantir direitos coletivos baseado em textos constitucionais e ao buscar a liberdade para a vida do cidadão.

    Já o exército vem assumindo, na última década, funções de polícia e de controle que não são suas atribuições natas, sequer constam em seus regulamentos, mas que lhe são delegadas oficiosamente, ora pela tendências de alguns de seus comandos, ora pelas dificuldades e circunstâncias que envolvem polícias e exercício de poder.

    As circunstâncias recomendam cautela e alguma restrição por que são modais de manutenção da ordem. Isso seria possível através da educação que aqui é triste ou através de restrição, seja do que for, a exemplo de toques de recolher, estado de sítio e outras figuras que o direito constitucional admite, sob circunstâncias.

    Já a tendência de alguns comandos, é exatamente a questão da formação e da lógica de vida das pessoas, que difere e faz parte da diversidade.

    Então, o equilíbrio seria a opção para conciliar interesses na vida do cidadão e do exército; mas como obter esse equilíbrio?

    1. Manter restrições, sim, quanto ao poder de fogo, calibre e acesso, porque os imaturos e mal intencionados podem obter os registros,na atual legislação e nisto vc está certo em questionar os meios e não o objetivo.

    2. Reduzir a idade penal e as formas de tratar menores infratores, como ocorre em outros países.

    3. Eliminar, de fato, e sem restrições, o revalidar do registro, pois o objetivo é conhecer o paradeiro da arma e só. Vale cominar punição séria para quem repassar ou vender arma sem comunicar porque isso impede o controle.

    4. De fato, não intervir nas decisões do colecionador, porque estão no domínio particular. Não é só o frango de supermercado, é a cor da camisa, o estilo do corte de cabelo.
    4.1 Vejam o que ocorre com o trânsito: tem lugar e regra para tudo e se não fosse assim seria impossível trafegar. Já pensou se os semáforos fossem abolidos, pretendendo que cada motorista decida o momento de atravessar o cruzamento? Já as regras para obter a carteira de motorista e o pagamento do IPVA são meio do tempo do meu avô e são muito centradas em patrimonialismo.

    Tem mais a dizer, mas tá ficando longo e fica chato.

    Um abraço.

  28. Romilson félix dos santos disse:

    bom dia! cade nossos direitos isso é uma traição contra a nação Brasileira

  29. toninho disse:

    Esse é o exercito que defende a democracia?
    http://www.folhapolitica.org/2015/01/exercito-nao-cassou-as-medalhas-dos.html#more

    Deem uma olhada nos nomes dos elementos
    Ze dirceu, Genoino, Valdemar, Bob Jeferson, J.P. Cunha, que beleza
    e ainda acreditamos que eles tem boas intensões com CACs.

  30. Márcio disse:

    Pessoal, e-mail e telefone do colog. Vamos importunar.

  31. Márcio disse:

    Tel. (61) 3415-4905 / 3415-5194
    ouvidoria@colog.eb.mil.br

  32. Lucas Parrini disse:

    É aquilo né, se o governo tem medo de uma população armada, e as Forças Armadas fazem parte do governo, então…

  33. waldeci de azevedo disse:

    Sou vigilante quando saio do t
    rabalho não tenho como me defender e minha família

  34. PEDRO CATTA PRETA disse:

    Percam as esperanças, é notório o pavor dos governantes e legisladores a respeito da crescente indignação com a situação da segurança pública. Outro fato lastimável é ver as leis sendo aplicadas informalmente pelo crime organizado e saber que muitos legisladores não o combatem por pertencerem ao submundo.O exército apenas cumpre ordens do presidente, seja ele capitalista, comunista, adepto ao para-militarismo. Sendo brasileiro o melhor a se fazer é deixar que os linchamentos em praça pública cresçam e continuem, trabalhar e se apartar do mal, e ficar preso em casa e deixar a economia declinar, pois até os filhos e parentes destes militares sentirão o peso de um país destroçado pela corrupção global.

  35. Sg moura disse:

    O exercito brasileiro está nas mãos do PT, vocês acreditam sinceramente que eles vão acatar alguma de nossas pretenções ? Duvido muito, voces vão passear em Brasília e perder seu tempo.

  36. Marcello disse:

    Não sei qual é o “papo” que querem com o Lucas… eles já impuseram suas regras…
    Acho que o covite é para convencer nosso representante de que seus esforços serão inúteis… e aproveitar para tirar um sarro com ele…
    E.B. já era, como diz meu avô…

  37. Agapito Costa disse:

    .

    #3 Agapito Costa 13-04-2011 14:08
    Criminosos são e serão uma pequena minoria em qualquer época, lugar ou países. E o dano que eles causaram à humanidade é infinitesimal quando comparado com os horrores, o derramamento de sangue, as guerras, as perseguições políticas, os fanáticos religiosos, as fomes, as escravizações e as destruições em grande escala perpetrada pelos governos da humanidade. Potencialmente, o governo é a mais perigosa ameaça aos direitos do homem: ele mantém o monopólio do uso de força física contra as vítimas legalmente desarmadas. Quando irrestrito e ilimitado pelos direitos individuais, um governo é o mais mortal inimigo do homem.
    A necessária conseqüência do direito do homem à vida é seu direito à legítima defesa. Numa sociedade civilizada, força é usada somente em retaliação e somente contra aqueles que iniciaram seu uso. Lembramos os que desencadearam o movimento de 64 foram os que hoje querem nos desarmar. Por quê ? Por outro lado se toda sociedade pacifista renunciasse o uso da força retaliatória, estaria deixada abandonada a mercê do primeiro matador que se decidisse ser imoral. Tal sociedade alcançaria o oposto da sua intenção. Invés de abolir a maldade, ela o encorajará e premiará o crescimento do mal. Mais uma vez vamos dizer um não bem grande ao desarmamento. Todos os cidadãos com menos de sessenta anos lembrem-se que os governos militares jamais mandaram desarmar um cidadão, salvo algum mal entendido; mesmo o país vivendo um clima de tensão seguido de atentados.
    Citar | Reportar ao administrador

  38. leandro disse:

    É uma pena lutarmos por isso td e nao termos o apoio de alguns que pensam igual a nois e estao a espera de resultados, sem fazer sua parte! Sinto que a categoria a qual rege normas e leis fecham os olhos pra um problema maior do que os que querem estar dentro da lei! É incompreensível que isso aconteça! Sou brasileiro e tenho direitos assim como qualquer cidadao!

  39. Renê R. de Carvalho disse:

    A propósito, dia 10 de janeiro completou 180 dias e até hoje continua bloqueado. O instituto defesa poderia dar uma cobrada junto a eles, sobre isto.

  40. Mateus Luiz disse:

    Outra sugestão, sobre o que também deve ser exigido:

    Proposta:
    Armas de pressão de ação por gás ou co2 (categoria de controle 1) deverá ser passada para categoria de controle 3 (categoria onde armas de pressão em geral se encontram, onde exige apenas a maioridade para a compra)

    O que foi imposto pelo EB:
    Restrição de armas de pressão por ação de gás ou co2 na categoria de restrição 1, exigindo CR para aquisição dos mesmos.

    Crítica:
    Não existe qualquer fundamento, exceto a total desinformação, despreparo técnico e má fé para a manutenção destas restrições. (Sim, é a mesma crítica sobre o controle de munições)

  41. Rodrigo Pereira Lima disse:

    Um absurdo total isso. Se o Exercito Brasileiro que é o defensor do povo, em sua plena sanidade da situação que esta esse País e de como a população de bem esta sofrendo nas mãos da bandidagem quer ainda endurecer e dificultar mais do que já esta a aquisição de arma de fogo mesmo que para fins esportivos, caça ou coleção, não temos mesmo mais a quem recorrer. Se não bastasse o nosso governo agora temos mais um aliado na destruição de um estado democrático de direito. Sem mais.

  42. Paulo Jorge disse:

    O Exercito Brasileiro, deveria se preocupar com as armas e munições que estão que estão nas mãos dos bandidos e que são apreendidas pelas policias, todo dia aparece nos jornais armas e munições apreendidas que vão pra onde? que fim levam? será que realmente saem de circulação?
    A bem pouco tempo estivemos noticia de um militar que guardava as armas e munições dos bandidos, e também o caso de Fuzileiros Navais em manobras que descobriram em Cabo Frio, Praia do Siqueira, milhares de cartuchos de munição e armas. E fica a pergunta: Onde foram parar? Porque o Exercito Brasileiro não recolhe todas essas armas e munições? Porque o cidadão que esta legalizado é que tem de “pagar o pato”?

  43. Márcio disse:

    Enviei uma nota ao COLOG atrvés do e-mail deles, externando minha decepção com a atitude por eles tomada, na verdade é o mesmo texto que postei mais acima.
    E não é que eles me responderam??!! Reproduzo fielmente abaixo o e-mail por eles enviado, destaque para o texto DIREITO DE ACESSO ÀS ARMAS escrito entre aspas. Tirem suas conclusões.
    Segue o e-mail:

    Prezado Senhor Márcio Astorga

    Permita-nos agradecer o e-mail enviado para a Ouvidoria do Comando Logístico do Exército Brasileiro. Observa-se, no entanto, que o senhor, ao afirmar que parte da população brasileira estaria de sentindo “traída” pela Instituição porque estaria com seu “direito ao acesso às armas” negado pelo Exército, necessário se faz oferecer urgentes alguns esclarecimentos.

    O Exército não faz as leis, mas tem o dever, na sua esfera de atribuições, de cumpri-las.

    A Lei 10.826, de 22 de dezembro de 2003, estabelece as condições para que o cidadão possa pleitear a aquisição e posse de armas de fogo. Adicionalmente, prevê os tipos de crimes e as penas que cometem aqueles cidadãos que incorrem em posse ilegal de arma de fogo.

    Assim sendo, é a Lei 10.826/03, junto com outras Portarias e normas legais posteriores, que estabelece qual o papel do Exército e de outros órgãos públicos no que tange a armas de fogo, seus usuários e condições de uso.

    A citada Lei registra que o Exército controle as armas de fogo de algumas categorias funcionais (militares de todas as Forças, policiais militares, policiais civis, policiais federais, policiais rodoviários, entre outras) e também que exerça o controle sobre os Colecionadores, Atiradores e Caçadores (CAC). Parece-nos que o senhor não se enquadra nas categorias profissionais fiscalizadas pelo Exército, razão pela qual pedimos sua atenção para o estabelecido no Decreto No 3.665, de 20 de novembro de 2000 (Regulamento para Fiscalização de Produtos Controlados), em seus incisos XLI, XXVII e XXXIV do Art. 3º, como segue:

    – Colecionador: pessoa física ou jurídica que coleciona armas, munições ou viaturas blindadas, devidamente registrado e sujeito a normas baixadas pelo Exército;

    – Atirador: pessoa física praticante do esporte de tiro, devidamente registrado na associação competente, ambas reconhecidas e sujeitas às normas baixadas pelo Exército;

    – Caçador: pessoa física praticante de caça desportiva, devidamente registrada em associação competente, ambas reconhecidas e sujeitas às normas baixadas pelo Exército.

    Como visto, apenas as armas do cidadão que é Colecionador, Atirador ou Caçador estão sob responsabilidade de fiscalização por parte do Exército, que as registra em seu Sistema de Gerenciamento Militar de Armas – SIGMA. No caso do cidadão que deseja pleitear aquisição de arma de fogo para sua segurança pessoal, este deve submeter-se às prerrogativas e requisitos estabelecidos pela Polícia Federal – a quem compete analisar a legitimidade do pedido e deferi-lo ou indeferi-lo, sendo responsável por gerir o Sistema Nacional de Armas – SINARM, onde as citadas armas são devidamente registradas.

    Dessa forma, esperamos ter esclarecido o equívoco de suas assertivas e colocamo-nos à sua disposição para qualquer outro oportuno esclarecimento.

    Ouvidor/COLOG

  44. Clovis Marques Lima disse:

    O povo brasileiro foi criado para ser manso.

    O Estado brasileiro, com seu irmão siamês, o capitalismo, utiliza a força bruta para amansar o povo.

    No ápice da pirâmide, está o capitalismo. Abaixo, o Estado, juntamente com o gerente da burguesia, o presidente.
    O povo, embaixo, do outro lado, as igrejas.

    A discussão é somente pela sobrevivência do capital. E, para isso, se mata, se explora, se oprime.

    Essa é a estratégia barata do Estado, empresa, falida.

    Sem mais

    • Lucas Parrini disse:

      Olá Clovis, obrigado pela participação!

      Eu penso que é algo além do capital ($), pois, se o objetivo é esse, o EB deveria facilitar o povo (cliente) a gastar, não o contrário.

  45. Arthur Henrique de Medeiros disse:

    Alguém ja tem alguma informação quanto a reunião com o Comando do Exército?

    Grato!

  46. Fernando Rodrigues disse:

    Queria saber acerca do porte de arma federal para cidadão de bem no meu caso eu possuo arma de fogo a mais de 6 anos. Isso um dia irá se tornar realidade ? Ou fora de cogitação??? Fico aguardando resposta…… Boa Tarde

    • Lucas Parrini disse:

      Olá Sr. Fernando!

      Um dia poderá se tornar realidade, todos nós estamos lutando pra isso. Registre suas insatisfações na Câmara dos Deputados, vote nas enquetes, acompanhe os informativos do Instituto Defesa, pratique tiro e o mais importante: torne-se um membro premium. Não é uma luta fácil.

  47. Fernando Rodrigues disse:

    Quanto ao porte de arma tem alguma previsão para ser liberado?????

  48. César disse:

    Fernando Rodrigues,

    O EB não tem competência e nem interesse na concessão de porte de arma de fogo,mesmo que esse direito esteja explicitamente garantido na Lei 10826/03 no artigo 6° Inciso IX.

    O porte de arma de fogo no Brasil não é proibido,ele é
    essencialmente restritivo.

    O único caminho para a obtenção da concessão do porte de arma de fogo é através da Polícia Federal:

    http://www.dpf.gov.br/servivos/armas/porte-de-arma-de-fogo

    Espero que tenha uma forte amizade com algum juiz de costas largas oi que você seja amigo do Rei,caso contrário a concessão do porte é quase impossível.

  49. marcos tavares disse:

    a cada vez mais tentam retirar nossos direitos , assim os cidadoes de bem não tem chance de ser correto nas suas aquisições, só nos resta lutar pelo nossos direitos já que ninguém pode nos da segurança como nos mesmo isso e q penso !

  50. Adriano disse:

    Gostaria de saber se posso utilizar uma pistola de pressão de 4.5mm por ação de mola para tiros em alvos no quintal de minha casa sem ter problemas com a polícia (ou vizinhos que chamam a polícia), ou se só posso usá-la em um clube de tiro. Meu quintal é murado e fechado, e ninguém tem visão do que eu faço, apenas o som do disparo. Li vários artigos na internet mas nada que respondesse claramente minha dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*