Grey Man Directive – 23 dicas para se tornar um cinzento

Grey man Directive – Parte 2 – 21 dicas para se tornar um cinzento

Márcio Batata é sobrevivencialista editor do Guia do sobrevivente e colunista de sobrevivencialismo no Instituto DEFESA.

Márcio Batata é sobrevivencialista editor do Guia do sobrevivente e colunista de sobrevivencialismo no Instituto DEFESA.

 

Em nossa ultima postagem tratamos de tentar explicar as diretivas do homem cinza (Grey Man Directive) e como a estratégia é aplicada mundo afora. Nesta postagem falaremos  sobre como fazer isso na prática, abordando pontos importantes da disciplina. que podem ser usados no dia a dia em várias escalas, a escolha do operador.

NOTA: O autor apresenta esta estratégia visando seu uso como meio de defesa pessoal em cenários potencialmente perigosos. Não encorajamos o uso da diretiva para outros fins.

Urban Tracker

A tradução desta terminologia é “rastreador urbano”, e não está ligada diretamente a pegadas deixadas nas calçadas, mas sim na leitura do cenário apresentado ao operador, e a potencial “história” que aquele ambiente pode contar.

É como chegar em um lugar e colocar as peças no tabuleiro de xadrez, o operador avalia todo o ambiente, os fatos, pessoas, atividades suspeitas, entradas e saídas, o local mais seguro e o menos seguro e as ameaças em potencial. O objetivo é a busca de informações para tomada de decisão e principalmente anular o fator surpresa de ações externas, as primeiras dicas vem agora:

01 – É impressionante a capacidade de alguns locais de gerar desorientação, grandes lojas, shoppings, espaços amplos ou labirínticos e movimentados e até algumas ruas. Isso acontece porque nestes ambientes sempre há algo tentando absurdamente chamar sua atenção, anúncios, placas, audiovisual e pessoas. Sim pessoas, quem não se lembra da “loira de vermelho” do filme Matrix. Estes ambientes são perfeitos para encontrar pessoas distraídas, totalmente alienadas ao mundo a sua volta, e onde estão as ovelhas, estão os lobos. Em ambientes assim mantenha-se vigilante, observe a matilha de lobos e evite as ovelhas mais deslumbradas, potenciais alvos de ataques perto de você.

02 – Locais públicos que oferecem algum risco em potencial também oferece segurança em potencial, infelizmente nem sempre proporcional. Uma dica interessante é usar a experiência destes agentes de segurança a seu favor. Seja o policial que faz ronda na rua, o segurança do banco ou aquele cara fazendo bico na porta de uma loja.  São profissionais treinados, com “olho bom” para encrencas, mas são humanos, e humanos dão indícios de comportamento muito nítido, se o “cão pastor” levantar a orelha e adotar uma postura de alerta, você vai perceber.

03 – O mundo é um lugar recheado de ferramentas e recursos em potencial, extintores de incêndio, garrafas, pedras e paus, becos, saídas de emergência, coberturas, animais,  eletrônicos variados. Treine seus olhos para sempre avaliar os recursos disponíveis. Isso não significa que você deve pegar aquela garrafa colada em um poste só porque ela está lá, basta se lembrar dela, o mesmo vale para o resto dos possíveis insumos que encontrar.

04 – A regra em geral a ser seguida é evitar problemas com algum preparo prévio. Você não será vitima de um sequestro relâmpago em caixa eletrônico de madrugada se pagar suas contas pela internet ou no horário comercial. Não vai ser vitima de ladrões que esperam você abrir a casa para sair/entrar se seguir normas simples de segurança, como observar o ambiente por ex.. Visite as páginas da policia de seu estado e veja as dicas de segurança para o cidadão comum, é o básico do básico, mas pode sanar muitos problemas.

05 – Estude tudo o que puder sobre comportamento humano e linguagem corporal, isso fará a diferença na hora de sentir a motivação de pessoas a sua volta, e pode inclusive, suprimir estereótipos ou disfarces. Pessoas que trabalham com publico desenvolvem esta habilidade, aquele PUNK pode não ter nada de hostil, o cara fortão pode ser um baita covarde e o nerd com cara de bobo pode estar carregando uma bomba no casaco. Você entenderá melhor níveis de alteração de consciência e avaliará melhor os riscos de suas ações, por ex. bêbados são letárgicos, drogas como cocaína e extasy  deixam o usuário mais “ligado” e por aí vai. Com o tempo você identifica quem está “caçando”, sendo “caçado”, quem são os mais perigosos e até os possivelmente armados e preparados.

06 – Procure sempre a melhor posição possível. Em um restaurante por exemplo, sente-se onde possa ver todo o ambiente, nada de ficar de costas pra porta, ou encurralado em um beco ou cantinho, o mesmo vale para outros ambientes. Não obstante, ser cercado por um grupo hostil não é saudável, e os piores ataques vem pelas costas, use sempre paredes e barreiras a seu favor. Lembre-se das Thermophilas!

Aparência e comportamento

A diretiva do homem cinza é um culto ao simples e comum., principalmente ao discreto. Sob todos os pontos de vista é uma fórmula que joga contra outras disciplinas, como o marketing por exemplo.

07- Um operador GMD não chama atenção para objetos caros, como celulares, roupas, tênis brilhantes ou até estampas gritantes.

08- Nada para ser lembrado – Sem essa de usar muitos detalhes no visual, comece abolindo tudo isso e adotando uma doutrina de neutralidade. Quem olhar para você tem de ver algo absurdamente comum.  Não é um Punk, nem um Pagodeiro, nem um Jamaicano. As pessoas em geral entendem muito os padrões pré concebidos, não dê a elas a dádiva do pré julgamento.

09- Agentes treinados tendem a marcar características bem específicas de um indivíduo, como os Tênis e sapatos por exemplo, um item bem difícil de trocar e esconder. Joias são outro ponto, raramente alguém se desfaz disso. Hoje o mercado possui uma infinidade de botas táticas que se passam facilmente por sapatos, são neutras, de uma só cor e muito difíceis de serem identificadas de longe.

10 – Abuse das cores de burro quando foge. Existem alguns padrões de cinza tonal que são capazes de gerar uma enorme confusão. Um olha e diz que é verde, outro que é caqui, cinza, e até meio marrom. São cores que geram polêmica e desinteligência na hora de cruzar informações entre receptor e interlocutor.

11- Use peças de roupas mais comuns o possível. Camisetas de corte básico, calças de modelos comuns, blusas e abrigos convencionais aos olhos do cidadão comum. Você talvez saiba reconhecer padrões de camuflagem distintos, as pessoas comuns não se preocupam com isso, camuflado é camuflado e pronto.

12- NEUTRO- O estilo GMD é forjado para impor neutralidade ambiental e dissimular o operador, a composição de roupas não pode ser agressiva demais, para não dar impressão de ameaça, e nem “leve”  demais para demonstrar fraqueza.

13- Comporte-se de forma neutra. Sem agressividade ou docilidade exagerada. Não seja mal educado nem extremamente polido. Lembre-se do principio da neutralidade.

14- Mantenha seu EDC ( Every Day Carry) dissimulado. Use e abuse da arte do embuste e da surpresa. Deixe seu equipamento onde só você saiba.

 Equipamentos

Alguns autores trabalham com 5 níveis de operação em equipamentos focados na diretiva, os níveis vão de simples EDC diários no nível 1 até conjuntos completos de combate no nível 5 para serem usados em estágios realmente complicados de crise. Neste nível a GMD perde sua eficácia em escala e a regra é: Quanto mais equipado menos cinzento.

Um homem com uma arma na mão é um cara com uma arma na mão, fim. Isso chama a atenção de todos. Porém, vamos nos ater aos níveis baixos de operações.

15- Dissimule suas potencialidades. Lutadores, soldados, caras muito fortes adoram exibir seu potencial físico, isso funciona, e funciona tão bem que automaticamente atua na forma como são vistos. Quanto mais duro o aço, mais pesado é o golpe do martelo. Talvez força e potencial físico tenha algum potencial de dissuasão em alguns momentos, mas passada esta fase diplomática, nas vias de fato, o agressor emprega muito mais força e recursos em alvos deste tipo, pressupondo a necessidade de uma maior ameaça e maior resistência.

16- 98% das pessoas só entendem marcas famosas na maioria dos produtos. As pessoas buscam o conceito de CARO e tendem a ignorar o resto. Um óculos escuro de policarbonato balístico com capacidade de parar um projétil .22 em um disparo direto tem as mesmas, ou até mais, funcionalidades ópticas de um RAY BAM da moda. Os GMD por razões óbvias preferem um esportivo ESS Crossbow que passa tranquilamente por um óculos comprado na feira, do que um modelito da moda.

17- Hoje se encontra fácil no mercado roupas especiais com o modelo mais comum possível. Uma calça tática de cor neutra, fora do conjunto do fardamento nada mais é que uma calça cargo comum, vendida em qualquer lojinha de esquina. Uma bota extra resistente se passa por uma destas botas comuns de outdoor. Um bracelete de paracord 550 ou uma pulseira de relógio vai passar como uma peça hippie de mal gosto ou uma lembrancinha feita pela namorada que o cara usa pra agradar e nem é tão feio assim.Camisas com aparência absurdamente comuns podem guardar imensas aplicações, como as térmicas e a prova de rasgos e cortes.

18- Talvez o clipe do seu canivete passe batido na maioria dos lugares e para a maioria das pessoas, mas muitos profissionais de segurança já fazem esta leitura, que significa “ARMADO”, e quem tem uma, pode ter mais.

19- Cases e coldres na cintura, presos no cinto : Você é o Batmam?

20- Pessoas armadas quase sempre denunciam o porte dissimulado. Em um país com leis desarmamentistas a ultima coisa que se pensa é que você é um cidadão de bem preocupado em se defender. Ou é policia ou é ladrão, de todas as formas é uma atenção desnecessária. Se você possui porte de armas certifique-se de oculta-la da forma certa, sem enroscar, volume exagerado ou limitações físicas. Treine a dissimulação. Agentes traquejados sabem identificar um elemento armado por sinais simples, como uma roupa torta, a forma de andar e se sentar e o comportamento inconsciente de tocar e “arrumar” o equipamento. O mesmo vale para facas e laminas táticas, sprays e outros recursos de defesa pessoal.

21- Use itens pequenos, que caibam nos seus bolsos. Busque lanternas pequenas e funcionais, laminas leves e com corte potente adaptadas para o seu cenário de atuação. A surpresa é a arma da maioria dos agressores, quanto mais dissimulada as suas potencialidades, mais chances você tem de usar este fator a seu favor.

22- Ser um cinzento é uma medida defensiva, por melhor que seja ela não faz de você um herói de cinema.

23- Se você for solteiro em busca de um enrosco, A GMD vai fazer com que suas chances de achar alguém desabem, então pense bem onde vai aplicar a diretiva.

Abraços Deltas, até a próxima!

Marcio Batata é o cinzento editor do Guia do Sobrevivente!


Publicado em Sobrevivencialismo

Warning: mysqli_num_fields() expects parameter 1 to be mysqli_result, boolean given in /home/wp_rhsrt6/defesa.org/dwp/wp-includes/wp-db.php on line 3078
10 comentários sobre “Grey Man Directive – 23 dicas para se tornar um cinzento
  1. Daniel Ribeiro disse:

    “Se você for solteiro em busca de um enrosco, A GMD vai fazer com que suas chances de achar alguém desabem, então pense bem onde vai aplicar a diretiva.”

    Hahahaha… Eu ri dessa, hehehe.

    Parabéns Batata, ótimo texto!

  2. Eli disse:

    Já tinha lido bastante sobre as técnicas do Homem cinzento, mas essas explicações abriram meus olhos para outros pontos.

  3. Lucas Parrini disse:

    Preciso melhorar e MUITO o item 20.

    Também, um cabeludo em cima de uma 600cc vermelha de 4 cilindros, moicano e gopro no capacete usando roupa do Instituto Defesa, fica dificíl passar batido, rs.

    De moto, perco completamente esta diretiva e passo a me comportar através do ditado: “quando a presa mostra os dentes, o predador dorme com fome.” O perigo está em até que ponto mostrar os dentes funciona?

    Mas é isso aí, aprendi esses conceitos no Karatê (shotokan). É bom lidar com esse conhecimento novamente.

    Obrigado pelo texto, Batata!

  4. Robson disse:

    Muito bom !

  5. Vitor Brum disse:

    Muito bom, parabéns pelo Post Batata, eu sempre usei roupas discretas, eu não conhecia a GMD até então, e meus amigos sempre falaram que eu era um cara sem estilo,(aqui em campinas o povo se preocupa com estilo kkk), e já passei despercebido em muitos lugares, agora que eu conheci a GMD vou me aprofundar mais no assunto e continuar sendo o cara discreto e sem estilo.

  6. newton pantoja coelho da silva disse:

    Batata,te parabenizo pelo excelente trabalho,que é de uma riqueza muito grande nos detalhes.Parabéns!

  7. BRITO JUNIOR disse:

    beleza de artigo !

  8. jor disse:

    Minha diretiva cinza é eu não saio de casa pra balada não bebo fora..eu já tive namorada e tudo..essa idéia de animais que aachm que enrosco é em boate..tá arriscado a não voltar ou casar ou ter um relacionamento doente
    ser discreto é a principal arma aprendi que o ninja não aparece em academia lutando.
    e não se meterem em encrenca é puro survivalismo

  9. Raphael Souza disse:

    Alguém conhece alguma literatura a respeito, filmes e links de artigos pertinentes ao assunto?

  10. Albertino soares disse:

    88 32 654

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*