Esporte IPSC. Ensinamentos que preparam para a vida

Por Alessandra Salazar
Assessora de Comunicação- CBTP
Conheça a Confederação Brasileira de Tiro Prático: http://www.cbtp.org.br/

Esporte é definido pelo dicionário Aurélio como o “conjunto de exercícios físicos que se apresentam sob a forma de jogos individuais ou coletivos, cuja prática obedece a certas regras precisas. Aperfeiçoa as qualidades físicas do homem”. Essa concepção se encaixa perfeitamente dentro das diretrizes do que é o Tiro Prático, regularizado pela Confederação Brasileira de Tiro Prático-CBTP, maior autoridade do esporte no país. A modalidade proporciona equilíbrio perfeito entre o físico e o mental, associa concentração, precisão e rapidez, raciocínio rápido, destreza, força, disciplina, sempre visando principalmente, a segurança dos atletas participantes das competições. Todas essas características são imprescindíveis para a vida, e quanto mais cedo aplicadas, mais se formam cidadãos preparados para a vida.

Para essa I Etapa Sudeste do XXVII Campeonato Brasileiro de IPSC que acontece nesse próximo final de semana, 28 a 30 de março de 2014, oito esportistas menores de idade estão inscritos. Um desses atletas, o estudante amazonense de 13 anos,

Mário Ramos Batista Neto, começou a praticar o esporte por influencia do pai, Mário Ramos Batista Junior, de 41 anos. “O Tiro Prático é um esporte que proporciona ficar junto com a minha família, principalmente meu pai, praticante de IPSC”. Mário foi Campeão Brasileiro Junior em 2013, 5º lugar no Overall pela categoria Light, Campeão Amazonense. Hoje pratica a divisão Standard, com treinos duas vezes por semana. Foi considerado no ano passado o atleta mais novo do desporto. Vê o IPSC como uma janela para o mundo, oportunidade de representar o país em campeonatos de destaque mundial. Crescimento profissional e pessoal. “Por causa do convívio que tenho com outras pessoas, o Tiro me ajudou a amadurecer. Veio complementar algo que eu já havia aprendido no Judô, a maior vitória nem sempre é o primeiro lugar. Há outros valores. Concentração e foco fazem parte do meu objetivo. Além disso, minha responsabilidade com os meus estudos aumentou. Estou em um colégio muito exigente e não decepciono, minhas notas aumentaram”, afirma o jovem. Ainda segundo Mario, o IPSC é um esporte em que ele consegue se divertir muito e ao mesmo tempo, aprender.

Outro jovem que vê o Tiro Pratico como ensinamento para a vida é o Luís Otávio Camargo Leal Barreiros. O estudante paulista de 16 anos, assim como Mário, começou a praticar o esporte no final de 2012 por influência do pai. O adolescente afirma que o esporte tem sido um dos pilares no seu crescimento pessoal. “Requer muita dedicação, seriedade, responsabilidade, enfim muita disciplina. Todos estes fatores fizeram com que eu tivesse um amadurecimento pessoal muito grande. O IPSC me fez mais responsável, mais focado, mais determinado nos meus afazeres do dia a dia. Tive uma sensível mudança na minha vida e posso afirmar, foi para melhor!”, destaca o jovem, um apaixonado pelo Tiro Prático.

Nunca houve nenhum acidente envolvendo o esporte. As exigências para a prática do esporte são muitas e severas. Luis Otavio explicita que essa preocupação que os órgãos responsáveis têm com a segurança no esporte é um adicional que o motiva a praticar sempre o Tiro Pratico. “Para que uma pessoa se torne um atleta da modalidade é necessário ser aprovado em uma série de avaliações, expedidas por um avaliador devidamente registrado na Polícia Federal e no Exército Brasileiro. Sem qualquer tipo de dúvida posso afirmar com propriedade que o Tiro Prático é um esporte extremamente seguro. É maravilhoso. Difícil falar de algo que tanto amo”, conclui o jovem atleta.

MRB
Mário Ramos Batista Neto, estudante, 13 anos.
Filiado à Federação Amazonense de Tiro Prático

Este texto foi extraído do Informativo CBTP enviado em 28 de Março de 2014, com a autorização expressa da presidência da Confederação.


Publicado em Artigos
Um comentário sobre “Esporte IPSC. Ensinamentos que preparam para a vida
  1. João Antonio Carvalho disse:

    Se mais jovens estivessem praticando com toda assistência nos eventos e acompanhados de técnicos, já teríamos uma diferença enorme de fatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*