Entrevista com o Dep. Claudio Cajado sobre a proposta de proibir a recarga de munições


Publicado em Entrevistas
10 comentários sobre “Entrevista com o Dep. Claudio Cajado sobre a proposta de proibir a recarga de munições
  1. Odilon Cavalcante disse:

    Pelo que eu vi ele esta aberto ao dialogo agora é propor uma emenda e pronto.

  2. Carlos Augusto disse:

    É preciso alterar o texto deste artigo 44, senão excluí-lo. 600 munições por ano é uma quantia irrisória para a prática do IPSC. Abolindo a recarga, aí sim haverá clandestinidade, pois, ninguém irá gastar o absurdo que o monopólio da CBC cobra por cada munição “treina”, que, além de cara, é de péssima qualidade para o fim. É preciso, sim, que seja dado continuidade na permissão para a recarga para quem é Atirador Esportivo ou Caçador, bem como manter as mesmas regras para obtenção da permissão junto ao Exército. Se o texto do referido artigo for mantido na íntegra, adeus tiro prático!

  3. rafael scherer disse:

    Claro que tem que proibir a recarga, afinal, o atirador so precisa comprar a espoleta, a polvora e o projetil, e é impossivel concluir que se ele comprar esses tres itens e maquinario de recarga, ele esta recarregando municao….. esses politicos, viu…

  4. Cássio Siqueira disse:

    Sinto que as intenções do deputado são boas ou, pelo menos, que ele apresenta uma boa justificativa para o artigo. Mas sua postura me passa a impressão que se trata de alguém muito mais preocupado em controlar do que em prover soluções para a comunidade esportiva e até para governos municipais, estaduais e até federais: como, afinal, reduzir os custos de treinamento de policiais e militares ao se proibir a recarga de munições? O impacto se dará, acredito, na diminuição do tempo em estandes de tiro desses profissionais. Pergunto-me se o restante do projeto sofre também dessa, para mim, aparente superficialidade.

  5. HELIO disse:

    EU gostaria de entender, como e porque esse deputado, alias, quem é esse deputado, sendo da Bahia, ter todo esse poder de mudar tudo isso para o pais inteiro?? quem é esse cara pra isso afinal. Tanta gente do resto do brasil e nada, ai vem um só, do meio do brejo, e muda a lei para todo mundo? Como assim,,,,,

  6. Artur disse:

    Se os estojos de munição estiverem rotulados com a identificação do clube ou consumidor final, não há problema quanto à rastreabilidade….

  7. Mateus do Vale disse:

    É necessário expor essas questões :

    IDADE MÍNIMA : 25 anos – Qual a função disso ? 21 é o exato.
    Tente ouvir a justificativa para tal idade…Não há.

    RECARGA – Já foi citado

    NÚMERO DE ARMAS : De 6 para 9

    AIRSOFT E ARMAS DE PRESSÃO : NÃO PRECISO NEM EXPLICAR

    Isso deveria ser o MÍNIMO a ser pedido(e mudado).

    Obrigado

  8. andre santos disse:

    Pessoal , pra que serve uma arma de fogo se não se pode remunicia-la ???
    Que enxugação de gelo é essa ??? Bandido não está nem aí para isso !!!
    Está bem então !!!! Para mostrar que eu não vou sair por aí atirando em
    bandidos , vou postar a seguinte situação :
    – Bandidos invadem minha residência , certo (.) ;
    – Eu tenho uma Taurus PT .380 ACP … ;
    – Dando-se o tempo hábil , municio e destravo a pistola ( Eu ainda não sei quantos Bandidos adentraram a minha residência …) e ela está pronta para me auxiliar na defesa da minha familia (.);
    – Se não me falhe a memória , a Taurus PT .380 ACP é 13+1=14! Na teoria , é mais que suficiente para abater os Bandidos que adentraram a minha residência ( E eu ainda não sei quantos são !!!! ) ;
    – Agora que vem a manobra de Xeque !! Como eu iria defender minha família com apenas “UM ( 1 )” pente de balas ?????Eu teria que encorporar o CHUCK NORRIS meu camarada !!! Aí sim , um pente com treze balas seria suficiente e LÓGICO !!! Uma bala disparada para cada Bandido ( mesmo NÃO sabendo quantos Bandidos são e se eles tem ou NÃO recarga … Que BURRICE minha , desculpem !!! Bandidos brasileiros são extremamente cumpridores da lei e eles não se arriscariam “levar” recarga e serem presos por isso …. )
    ENTÃO , A POLÍCIA LEGISLATIVA TAMBÉM NÃO VAI PORTAR PENTE ADICIONAL ?!!?!
    HIPÓCRESIA PURA !!!!!!!!!!

    Isso nada mais é que uma tentativa de reprimir e/ou contornar e/ou inutilizar o esforço do instituto Defesa.org e “MANTER” essa VERGONHA que é esse Pseudo-Estatuto do desarmamento …

    NÃO ABRO MÃO DO MEU , SEU , NOSSO DIREITO !!!!!
    A LIBERDADE É MINHA , SUA , É NOSSA DE ESCOLHER QUAL ARMA , MUNIÇÃO DE QUE TIPO E QUANTIDADE !!!!
    Para fins de qualificar meu REPÚDIO as essas tentativas de barganha para a aprovação a revogação do estatuto do desarmamento , vou copiar essa mensagem e , se possível , peço as nobres membros que lerem esse manifesto , que me mandem o link do E-mail do Dep. Claúdio e dos demais , pois vou reforçar e re-inteirar meu REPÚDIO !!!!

    Grato pela paciência e compreensão de todos que leram ….

  9. Fabio disse:

    É claro que bandidos não fazem recarga. Não precisam, pois compram munição original por 1/5 do preço que se pratica aqui no Brasil para CACs ou outros proprietários legais de armas. A recarga interessa somente aos CACs, acima de tudo aos atiradores esportivos. O preço da munição original torna a prática do esporte proibitiva para 99% dos mortais atiradores.
    Creio que o acerto pode (e deve) ser feito no texto original.

  10. flavio disse:

    Sou policial militar a mais de 20 anos e digo: cidadão de bem não deve ter qualquer limitação quanto a posse de armas e quantidade de munições. Primeiro, o Estado não investe na policia como deveria. Segundo, vagabundo não tá nem aí para a lei. Simples assim. Cidadão quando chega aos 21 anos compra uma arma, paga os devidos impostos, gera emprego e defende a sua familia e sua propriedade. Diz para esse deputado que ele deve representar o povo, não um Estado falido, quando não totalitário. Revoga logo esse estatuto que favorece a bandidagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*