Efeitos Coriolis e Eötvös

Lucas Silveira
Presidente do Instituto DEFESA
Instrutor-chefe da Academia Brasileira de Armas

Continuando nossos textos sobre tiro de precisão, o tema de hoje é o chamado efeito Coriolis. Já ouviu falar? E sobre Eötvös?

Coriolis é o sobrenome de Gustave-Gaspar Coriolis, engenheiro francês, que estudou a física inercial relacionada a movimentos rotacionais, como o da Terra.

Sabe aquele movimento de giro da água ao descer pelo vaso sanitário? Efeito Coriolis.

Assim, o Efeito Coriolis age sobre tudo no planeta, sendo notado em qualquer coisa que não esteja firmemente presa a ela. Massas de ar, marés e, obviamente, projéteis.

Imagine um projétil sendo disparado no norte para o sul. A partir do momento que ele perde o contato com a terra, abaixo dele, o planeta continua a rodar, como um paraquedista que se afasta da aeronave após o salto, ou com uma bola arremessada pela janela do carro em movimento. Qual o efeito que isso causa?

A distâncias curtas e médias, o efeito é negligenciável, todavia, a medida que o atirador e o alvo se afastam, é preciso levar em consideração a rotação da terra para prever o local do impacto.

Quanto a Eötvös, ele observa as diferenças gravitacionais quando um projétil viaja no sentido leste-oeste ou vice-versa.

O efeito de Eötvös para um objecto em movimento para leste ao longo de uma latitude de 60º. O objecto tende a afastar-se do eixo da Terra. (Fonte: Wikipedia)

O Planeta Terra gira no sentido anti-horário para quem observa o polo Norte. Em outas palavras, ela vai do oeste para o leste a 1.675 km/h na linha do equador e proporcionalmente mais lento a medida que se aproxima dos polos.

Na prática, significa que quando você vai rumo ao leste, você está menos propenso aos efeitos da gravidade do que quando se vai à oeste. Assim, um tiro disparado para o leste precisa de “menos ajuste”, que um disparado para o oeste.

Pontos relevantes:

  • Quanto mais próximo do equador, maior a velocidade linear do atirador, se comparada com as regiões mais próximas dos polos. Logo, o efeito coriolis é mais sentido naqueles lugares e não nesses.
  • Quando o projétil é disparado paralelamente às latitudes observa-se o efeito Eötvös, quando disparato paralelo às longitudes, observa-se o efeito Coriolis.

Vamos entender mais sobre estes efeitos e sobre como ajustar um fuzil para o tiro de precisão nos próximos artigos do DEFESA sobre o tema.


A Academia Brasileira de Armas oferece cursos de tiro de precisão com descontos para membros premium do DEFESA. A publicação deste texto apenas foi possível devido aos assinantes de carteirinha do Instituto DEFESA. Torne-se um.

 


Publicado em Artigos
6 comentários sobre “Efeitos Coriolis e Eötvös
  1. Paulo disse:

    Bom dia onde é fácil de verificar a Aceleração de Coriolis é só encher a pia de casa com água. E depois abrir o ralo. Você verificará que para nós a água desce girando no sentido dos ponteiros de relógio. No hemisfério norte é pro outro lado. Abraços a todos.

  2. Nelson Martins de Assis Brasil disse:

    Em todo o meu tempo lidando com armas é primeira vez que leio sobre o efeito Coriolis com relação a tiros de fuzil. Sou de artilharia e mesmo nos canhões com os quais lidei durante a carreira não ouvi falar do efeito Coriolis. Menção EXPLÍCITA ao efeito Coriolis eu vi ao ler sobre os canhões que bombardearam Paris na Primeira Guerra Mundial(Wunderkannone). Naquela distância, mais ou menos 110 quilômetros, sim, o efeito Coriolis se faz sentir. Além de durar cerca de três minutos em voo, a granada subia até mais de 38 quilômetros de altitude. Em mísseis o efeito Coriolis se faz sentir também e ainda mais, até por que os modernos mísseis são capazes de percorrer milhares de quilômetros. Mas em fuzis? Bem, eu não sou dono da verdade e, como qualquer ser humano, posso errar. E também não tenho pretensões a “sabe tudo”. Gostaria de ver o grau de influência do efeito Coriolis em tiros de fuzil.

    • Diego disse:

      Fisicamente falando eu não saberia explicar, mas já vi em documentários explicando isso, o efeito Coriolis começa a se mostrar presente em disparos aonde o projétil passa de seus 3seg em voo, e em distâncias longas, geralmente acima de 1800m… Espero ter ajudado.

  3. ROBERTO MERCÚRIO disse:

    Essa foi cruel , mas tem lógica eu nunca pensei nisso .

  4. Ubyrajara de Borba disse:

    O Instituto realiza um serviço exencial para todos que desejam se defender e defender sua família. Juntos somos fortes.

  5. Gibson disse:

    Conhecia o efeito coriólis em instrumentos medidores de Vazão tipo coriólis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Próximos eventos
  1. Curso de Estudos de Política e Estratégia – CEPE – Paraná

    março 13 @ 8:00 - julho 31 @ 17:00
  2. Curso de Combate com Facas Nível I – São Paulo

    agosto 6
  3. Curso Extensivo de Tiro de Precisão com Rich Graham

    agosto 25 @ 8:00 - agosto 27 @ 17:00
  4. Kalis Ilustrissimo no Brasil!

    setembro 16 @ 8:00 - setembro 17 @ 17:00