Como o resultado das eleições afeta a luta pelo direito de acesso às armas no Brasil?

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA.

Como o resultado das eleições afeta a luta pelo direito de acesso às armas no Brasil?

Positivamente, por incrível que pareça. Por mais pessimistas que tenhamos em todo o Brasil neste momento, o resultado geral das eleições de 2014 foi um enorme avanço para a luta pelo direito de acesso às armas.

Poderia ser muito melhor, é verdade. Com a mudança da linha de sucessão na Presidência que ignorou o Referendo de 2005, provavelmente a chance de o povo ser, finalmente, ouvido, seria muito maior.

Os terroristas de plantão que me desculpem. Precisamos concordar: a democracia funciona, e muito bem. Não foi possível obter todo o desejado, mas boa parte dele. Não é exatamente isso que significa uma conciliação? Quer ver só?

– Senado: Dos 27 Senadores eleitos, apenas CINCO já exerciam mandato.

– Câmara dos Deputados: Praticamente 50% renovada.

O PT, que tinha 86 Deputados, agora tem apenas 70. Somado com o PV, outro partido declaradamente desarmamentista, são 78 cadeiras, pouco mais de 15% do total da Câmara.

Nos Estados, um dos ícones do desarmamento, Tarso Genro, foi derrotado no Rio Grande do Sul,

Estamos mais fortes. Estamos avançando. Não na velocidade que gostaríamos, mas na direção certa.

Além disso, a flagrante divisão que se tornou o Brasil nos últimos meses, minou a governabilidade da Presidente e do seu partido, que terão que pisar em ovos e ceder cada vez mais, se pretenderem continuar vivos.

Com o crescimento exponencial de associados no Instituto DEFESA, de cidadãos que pretendem reaver o direito de acesso às armas, é inequívoca a necessidade de se tratar do assunto em breve.

O PL 3.722/12, que pretende revogar o Estatuto do Desarmamento, deve ser votado na Comissão Especial nos próximos dias. Deverá ir a plenário no início de 2015 e, com a nova composição, estamos mais perto da aprovação do que nunca.

O futuro continua em suas mãos. Faça a sua parte.

Unidos somos invencíveis.


 

Clique aqui para se cadastrar gratuitamente no Instituto DEFESA. Clique em “assinatura” e torne-se também um assinante Premium por cerca de 50 centavos por dia. Parece pouco, mas faz toda a diferença.


Publicado em Artigos
11 comentários sobre “Como o resultado das eleições afeta a luta pelo direito de acesso às armas no Brasil?
  1. Thiago disse:

    Alguém sabe informar o quadro dos candidatos apoiados pelo Instituto, se houve uma quantidade satisfatória de eleitos?

  2. adilson disse:

    QUE BOM LER ESSE TEXTO É UM ESTÍMULO PARA NÃO DESISTIRMOS,DO QUE QUEREMOS.

  3. Victor disse:

    Me desculpe, mas eu discordo de você, que a democracia funciona e NÃO SOU TERRORISTA. Vou explicar melhor usando o próprio armamentismo.

    A população optou pelo fim do desarmamento no referendo e adivinhe o que aconteceu? IGNORARAM COMPLETAMENTE. E digo mais, ao invés de atiradores (amadores e profissionais), militares, policiais, seguranças privados, etc; que efetivamente usam armas legislarem a respeito de armas, quem legislou? Um bando de político, que muitos sequer seguraram uma arminha de pressão.

    Percebeu? Uma minoria que NÃO REPRESENTA A VONTADE DA MAIORIA é eleita, legisla sob algo que não conhece e todos são obrigados a se submeter a tais leis. Nos EUA, não é que “a democracia funciona”, é que a REPÚBLICA FUNCIONA. Lá existe uma constituição e federalismo, limitando os males da democracia. Se um político idiota acaba com a competitividade de uma cidade, impede o acesso a armas, etc. A população fica sem emprego, insegura e começa a mudar de cidade. E lá também existem grupos dedicados em defender os direitos naturais, como a NRA.

    Mas mesmo assim, em alguns estados eles aprovam verdadeiras insanidades, como um querendo banir coletes : http://www.usnews.com/news/articles/2014/08/08/congressman-guns-for-high-performance-body-armor-ban

    E o banimento de armas de calibre pesado na California, com exceção dos “autorizados”, que culminou no Ronnie Barrett, Presidente da Barrett e membro importante da NRA, se negar a vender e prestar serviço para o governo da California : http://www.thegunzone.com/rkba/rkba-50.html

    • Mauricio disse:

      Olá Victor, infelizmente o referendo não foi sobre o fim do estatuto do desarmamento, eles não tiveram coragem de questionar se o povo era contra o estatuto.

      Neste referendo apenas perguntaram se a população era a favor ou contra a fabricação e venda de armas no Brasil.

      Como a maioria foi a favor da venda, ficaram mantidos os dispositivos de controle do estatuto que dificultam a aquisição e praticamente inviabilizam o porte.

      Se no dito referendo a população tivesse votado contra a venda aí sim hoje não teríamos nenhum acesso a armas no Brasil.

  4. Lucas Pereira disse:

    Eu conversei pelo facebook antes das eleições com um deputado do ES que se elegeu agora para federal, e expliquei a ele sobre a PL o mesmo ficou de pensar e deu a entender que vai apoiar nossa causa.

  5. Odilon disse:

    É isso ai pessoal parabéns e vamos continuar lutando sempre, eu faço minha parte compartilho as noticias da campanha do armamento e do instituto defesa.org, tento sempre conscientizar meu amigos e sempre estou atento as políticos que estão não do lado do povo sempre fazendo propagando negativas deles.
    Parabéns a todos. Posso ate cair mas vou cair atirando.

  6. Otávio Alvernaz disse:

    Vamos fazer mais um abaixo assinado pedindo a liberação do porte de arma e a desburocratização para compra de uma arma , e enviar para o Congresso.

  7. Rodolpho Villas Boas Neto disse:

    Queria ter Nascido 100 antes de 1981 então ha exatos 100 anos atraz em 1914 eu poderia ter a Liberdade de Possuir uma Arma para Defender-me e a Minha Familia. Alguem aqui se pesquisar em sites de arquivos e acervos digitais de Revistas antigas da época de 1908 a 1928 voce lia uma dessas Revistas e aparecia varias propagandas de Lojas de Armas propagandas da Revolveres e Pistolas Colt ,Winchester e munições, Smith & Wesson ,Remington, uma Pistola de Nome Emile Laport de Origem Belga Deem uma olhada no site da Biblioteca Nacional procurem o acervo das revistas o Malho e Careta revistas muito conhecidas na época de grande circulação como são as revistas Veja e Epoca dos dias atuais e reparem a liberdade que o Brasileiro tinha naquela época o Brasil parecia um Outro Pais pena que ficou desse jeito

  8. Ricardo Aparecido Arcova disse:

    pelo visto a coisa piorou, o COLOG novo mostrou isso.
    mas acredito que a luta não acaba ai

  9. Heverton disse:

    Pra qm tava esperando q tivesse melhoras, bem… o projeto foi não acatado segue o link http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=20742

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*