COLOG responde pedido do DEFESA por mais insumos para PJ


Publicado em Artigos, Notícias
11 comentários sobre “COLOG responde pedido do DEFESA por mais insumos para PJ
  1. Luiz Otavio Dal Pra disse:

    Otimo video e obrigado por lutar por nossos direito!
    Só peço para cuidar detalhes como a inversão de imagem do vídeo para não ficar invertida a imagem!
    Repare que a bandeira do Brasil esta invertida!

  2. José Carlos Ferreira Pinheiro disse:

    O Instituto “Defesa.Org”, através da figura de Lucas Silveira, é bastante técnico, transparente e sincero em suas colocações e atividades. Com certeza, seus membros encontram abrigo na opinião pública, entre as milhares de pessoas bem intencionadas respeitadoras da nossa Bandeira, quanto ao fator segurança dos seus familiares, a própria segurança, a de terceiros e mesmo do nosso país, tão ameaçado pela ganância de líderes corruptos, que fazem de seus governos verdadeiras organizações criminosas. Com certeza, o Exército Brasileiro não deve interferir legislando, mas somente exercendo a função responsável de controladores de armas e munições, sem prejuízo daqueles que podem, desejam e se enquadram nas condições de oferecer algo a mais ao nosso país e a si próprios. Lembrando, o número de pessoas que serviram ao Serviço Militar e adquiriram alguma experiência não atualizada, é ínfimo e tornou-se ainda mais reduzido, a medida que os últimos governos declaradamente “Comunistas”, hipocrisias à parte, ignoraram a necessidade de investimentos na Segurança Nacional em armamentos e em contingente humano, a ponto de ter que dispensar milhares de jovens do serviço militar por não haver respaldo financeiro para treiná-los e mantê-los durante o período de serviço militar. Uma clara estratégia conveniente desses mesmos governos de esquerda para atingirem seus ambiciosos e inescrupulosos propósitos, a de nos transformar em uma nação “Comunista e Retrógrada”, intenções estas, provadas por nossa situação econômica, política e social atual, de vergonha, falência e constrangimento perante o mundo. Faz-se necessário que este país possua condições de reação confiável por parte de seus cidadãos a qualquer tentativa de nos subjugar, tanto no dia a dia de nossas vidas, como perante um quadro de caos social que possa se apresentar e já se emoldura através das ações impunes do MST e do submundo do crime, onde estarão em risco além da nossa integridade física e moral, a nossa “Soberania Nacional”. É preciso liberar aos cidadãos e às cidadãs de bem, o porte, o treinamento adequado, o acesso às armas e respectivas munições em pelo menos três tipologias, para que o direito à defesa presente na constituição, seja colocado em prática, respeitado e devolvido à sociedade, que espera de um novo governo democrata e realista, a possibilidade da convivência em harmonia entre Povo e Governo, num clima de confiança mútua. Não há clima onde um governo tema ao seu próprio povo.
    Abraços,

    Carlos Pinheiro
    arquiteto

  3. Bueno disse:

    Prezados parabenizo o Instituto Defesa por levar esta bandeira do direito de se defender, pelo direito democrático de todo cidadão desde que provado por testes psicológicos, técnicos para comprar e portar armas de fogo.

    No meu entender este assunto no Brasil é uma grande falsidade levada a cabo pela imensa maioria das instuiçoes reguladoras.

    Como podem levar esta discussão a sério se no Brasil tem apenas uma fabricante de munição, ou seja é um verdadeiro monopólio financiado por todas a instuiçoes brasileiras, é pura hipocrisia, regulamentações para regular quantas munições uma categoria pode ou não comprar insumos, e ou munições, hora senhores insumos, isto é piada! quais armas são restritas e quais não são? E quantas armas restritas cada categoria pode ou não comprar, são factoides criados dentro do próprio sistema para enganar a população,

    É muito fácil entender, dentro da regra do jogo estabelecida e bancada pelas autoridades e instituições, criam -se uma “Legislação” discussão onde parece que se quer regular e se cria centenas de regras, textos, mecanismos e sistema com a finalidade de desviar o povo do verdadeiro problema, o apoio ao Monopólio, CBC / TAURUS.

    O Estado e os órgãos responsáveis não tem a diginidade de financiar a IMBEL para que ela possa se mordenizar e tornar uma fabricante de nível internacional de armamento.

    Enquanto um país das dimensões continentais como o nosso Brasil, tiver mecanismo para impedir que novas empresas, nacionais e ou internacionais possa se estabelecer no país e produzir armamentos e munições todo o resto da discussão e vazia é alimentar uma doença que move uma engrenagem que enriquece a poucos.

    A pergunta que tem que ser respondida é: A quem interessa manter o monopólio CBC / TAURUS?

    Porque ninguém coloca esta discussão no cenário nacional para a sociedade debater?

    Para finalizar imagine a seguinte situação se o país entrar em uma contenda com um inimigo interno ou externo a única fábrica da CBC de munição for sabotada os nossos soldados usaram o que para defender a população??

    Lembre que não precisa de uma situação extrema de uma guerra que por si só é um fato de enorme importância, mas vou próximo do momento que o Brasil vive no dia dia, como vamos abastecer as dezenas de polícias, Civis, Militares dos estados e municípios e a Força Naciinal e Polícia Federal vão defender a população como? Talvez colocando um flor no cano do fusil o agressor deixe de estuprar, matar, assaltar, roubar bancos….

    Vamos abrir os olhos!!! Querem passar o Brasil a limpo então tenham dignidade e ponham o verdadeiro problema em discussão!!

  4. cicero santos maciel disse:

    Que medida e deve se tomar; se fazer uma reuniao com todos os clubes de atiraadores do Brasil ,formujar uma petiçao com todos os requisitos , e ser apresntado ao comando Geral do Exercito com representantes legais e mostrar os direitos conforme ja nas leis estabelecidas.

  5. PAULO ARAUJO disse:

    Acho um absurdo essa limitação.
    Sou membro de clube de tiro a mais de 24 anos e recentemente me associe a um novo clube que abriu suas portas aqui em Juiz de Fora e sempre pratiquei informalmente o tiro fui jogado na categoria de nível I como se fosse um iniciante e não posso comprar mais nenhuma arma nem insumos que ultrapassem o número mínimo… ate mesmo para um real iniciante pois este sim e quem precisa de ter acesso a mais insumos para praticar e alcançar o verdadeiro domínio de seu equipamento suas armas sem material não se pode praticar.
    Não entendo esse raciocínio de sempre tolher limitar o cidadão que se dispõem sempre a colaborar com as autoridades e somos vistos e tratados dessa forma. Os limites de armas e insumos tem de ser um so para todos os níveis o atirador comprará o que julgar necessário para seu adestramento e não outrem. Que o limite seja o mesmo do chamado nível III mas para todos.
    Ai sim será democrático somos legalistas e respeitamos nossas instituições não merecemos ser tratados assim.

  6. Marco disse:

    OLÁ

    QUANDO TEREMOS O DIREITO DE PORTAR ARMAS? MORO EM LUGAR ESMO E TENHO FILHA ESPECIAL E ESPOSA COM DIFICULDADE DE SE LOCOMOVER!

    PRECISO DE UMA DEFESA.

    GRATO

  7. Bruno disse:

    O EB tá cagando se eles nem ajudam os seus próprios militares CAC imagina o paisano é tá uma máfia é militar querendo F militar hoje vai em alguns quarteis vc conta nos dedos quantos atiram esportivamente e em alguns nem um pratica o tiro no particular devido o custo ele não pode sustentar ou falta de interesse e muitos que praticam só oficiais pois podem bancar e tem o posto que ajuda e alguns militares só atiram apenas no quartel mesmo e alguns atiram uma vez por ano no TAT ou nem isso.
    O tiro do Brasil tá difícil a tendência e cada vez piorar cada vez mais caro e fechado.

  8. Márcio disse:

    Ola Lucas parabéns mais uma vez pelas explicações, infelizmente quem esta no “poder” NÃO esta nem aí para nós.
    Obs. A bandeira nacional que esta na parede do video esta com os dizeres “ordem e progresso” virada ao contrario.
    Parabéns e juntos venceremos

  9. juliano disse:

    com certeza tbm concordo porque como pessoas que só pensam em fazer o mau tem armas a vontade e com muita facilidade e um cidadão de bem que pensa em proteger sua família e a si próprio não pode ter e quando tenta são necessário imensas listas de exigências que acaba fazendo o cidadão desistir é uma imensa palhaçada

  10. PAULO ARAUJO disse:

    Cabe aqui lembrar que e uma ilusão as autoridades acharem que os que buscam legalmente comprar uma arma ou munição e depois de cumprir com todas as exigências legais e tem seu pedido indeferido fiquem sem a pretendida arma ou munição sabemos perfeitamente que e muito mais fácil conseguir isso por baixo dos panos ilegalmente e os que acham que estão no controle nunca estiveram tão sem controle da situação como agora.
    Nenhum cidadão de bem vai ficar a mercê de criminosos por causa de leis injustas e preciso rever isto pois a lei deve ir a favor do cidadão que paga seus impostos e não contra ele.

  11. Marcello disse:

    O E.B. inclusive está perseguindo as lojas que vendem material de tiro, proibindo, por exemplo, a venda de lunetas simples 4X32 ao cidadão maior de 18 anos, sem a apresentação do CR.
    Isto fere ao R105, art.17,VII.
    Qual o problema de um cidadão adquirir um esquipamento deste? O que uma luneta, sem paralaxe, com um zoom simples de 4X pode oferecer de perigo? Tem algo estranho por aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Próximos eventos
  1. Curso de Estudos de Política e Estratégia – CEPE – Paraná

    março 13 @ 8:00 - julho 31 @ 17:00
  2. Curso de Combate com Facas Nível I – São Paulo

    agosto 6
  3. Curso Extensivo de Tiro de Precisão com Rich Graham

    agosto 25 @ 8:00 - agosto 27 @ 17:00
  4. Kalis Ilustrissimo no Brasil!

    setembro 16 @ 8:00 - setembro 17 @ 17:00