Catraca Livre de armas

Luiz Giaconi é empresário, escritor e jornalista formado pela faculdade Cásper Líbero; Pós-Graduado em Política e Relações Internacionais pela FESP-SP.

O Catraca Livre não gosta de armas. Até aí, nada demais. Ninguém é obrigado a gostar (ou desgostar) de alguma coisa. Eu, por exemplo, não gosto de um monte de coisas. Não gosto de pessoas que não gostam de armas, e querem desarmar os outros por causa disso, por exemplo. Pessoas com hoplofobia (medo irracional de armas de fogo) me irritam. Quando esse medo se mistura à ignorância então, sai de baixo. Felizmente, ainda somos livres para ter nossos gostos e desgostos. Nessa semana, o Catraca Livre sintomaticamente mostrou as suas preferências.

A encrenca se deu por causa de uma bem humorada propaganda de um rifle de precisão da Armalite, o AR-50A1. A empresa teve a boa sacada de colocar a escultura Davi, de Michelangelo, portando um AR-50A1. Mostrou que ambos são obras de arte, de tempos distintos, e que, se o Davi dos tempos bíblicos usou uma pedra para derrubar Golias, o Davi do século XXI usaria um rifle de alta precisão, como o Armalite AR-50A1. Um indivíduo bem equipado e bem treinado é capaz de derrubar qualquer um que o ameace, independente do tamanho. A pólvora, mais do que a pedra que Davi utilizou, tem essa capacidade especial de igualar desiguais. Mas, segundo as palavras do Catraca Livre: “Vejam a estupidez que estão fazendo com uma das maiores obras de arte do mundo para vender armas”.

catraca livre

Para quem não conhece ainda, o Catraca Livre é um site destinado a divulgar e mostrar iniciativas culturais que são grátis (daí vem o nome), ou tem preços baixos, incentivando a cena “independente”. Quase uma versão Mídia Ninja dos antigos cadernos culturais dos jornais diários. Sessões de cinema alternativo, dança, artes, espetáculos, enfim, tudo entra, contanto que seja de graça, ou quase. “Conviva melhor com menos dinheiro” é o lema.

Quando há falta de pautas para matérias, apelam para divulgar as mais diversas curiosidades ao redor do mundo. Como uma versão mais politicamente engajada do Mundo Bizarro do G1. Típicas matérias frias, como são conhecidas no jargão da área jornalística. Como o escarcéu com a propaganda da Armalite foi ao ar no domingo, dia que é considerado “morto” para a maioria das editorias, fica claro que tinham pouco o que noticiar.

Um dos seus criadores (e atual coordenador) é Gilberto Dimenstein, jornalista da Folha de S. Paulo e comentarista da rádio CBN. Dimenstein também é conhecido por ser um fanático do desarmamento. Foi apoiador entusiasmado do voto no SIM, no referendo do Estatuto do Desarmamento, em 2005. Só aí, já podemos ver que qualquer arma, ou iniciativa pró-defesa pessoal, que passe perto da redação do Catraca Livre, provavelmente será vista com preconceito e desconfiança. E com uma completa falta de bom humor, que foi o tom da propaganda da Armalite.

O site se vangloria por divulgar a arte em suas múltiplas formas, de dança nas periferias até mostras de arquitetura e design nos bairros de elite; sessões de cinema mudo, apresentações de teatro, passando por qualquer manifestação cultural que interesse a mais de uma pessoa.

E não seria o AR-50A1 uma obra de arte? Um instrumento minuciosamente planejado, feito pelos engenheiros mais capazes do seu ramo, criado através dos melhores materiais que o ser humano é capaz de desenvolver, com um design elegante e extremamente eficiente naquilo que se propõe. O AR-50A1 não poderia ser considerado uma obra de arte de sua área, igual um histórico Colt Dragoon, ou uma antiga espada samurai? Será que alguém do Catraca Livre já viu as belezas que a cinzelagem pode fazer numa arma? As gravuras maravilhosas que podem ser feitas no metal? Ou arte é apenas aquilo que o Catraca Livre julga ser politicamente correto?

Para o Catraca Livre, que aplaude entusiasticamente toda e qualquer mudança no cenário urbano, como grafites e pichações em locais públicos, tamanho cuidado com uma escultura sacra é no mínimo estranho. Fosse a CNBB a reclamante, até se poderia compreender, já que Davi é uma figura bíblica. Mas até essa semana, desconhecia esse “pudor cristão” do site. Até porque, tudo não passou de uma montagem computadorizada. Bem diferente de algumas “obras de arte” apoiadas pelo Catraca Livre que emporcalham as paredes de São Paulo. Ou talvez a redação do site tenha um senso estético bem diferente da maioria, que gostou ou não viu absolutamente nada de errado na propaganda. Basta ver a enxurrada de comentários no Facebook.

A questão é que o Catraca Livre segue boa parte da ideologia hegemônica da imprensa no seu preconceito com o tema armas. Elas não são o assunto do site, mas fazendo uma busca rápida por lá, podemos ter uma noção de como eles veem o mundo: “Uruguai lança programa para troca de armas por bicicletas e laptops”; “Artista inglês desenvolve uma espingarda especial que planta flores ao invés de atirar balas”; “Lei que proíbe a venda de armas de brinquedo em São Paulo é aprovada”; “Artista mexicano transforma armas de fogo em instrumentos musicais”… E por aí vai.

Fosse qualquer outra empresa ou produto a utilizar a escultura de Davi para uma propaganda, provavelmente a postura do Catraca Livre seria diferente. No lugar de “olha a estupidez”, entraria “olha a criatividade”. O pensamento que reina numa redação como a do Catraca Livre é basicamente o seguinte: “Não gostamos de armas, não conhecemos armas e nem queremos conhecer essas armas. Por isso, vamos todos nos desarmar e viver todos em paz”. Só faltou botar John Lennon pra cantar Imagine no fundo.

Felizmente (ainda) não vivemos no mundo Catraca Livre de armas. Espero que continuemos a não viver.


Publicado em Artigos
7 comentários sobre “Catraca Livre de armas
  1. Daniel Ribeiro disse:

    Eu vi essa história da Catraca Livre no Facebook, mas desconhecia a profundidade do tema. Você destrinchou a história e conseguiu chegar na raiz do problema!

    Excelente texto, Luiz. Parabéns mais uma vez. Continue escrevendo seus ótimos artigos! E seja bem vindo ao Instituto Defesa!

  2. Iduigues disse:

    Ótimo texto, parabéns!

  3. Nickname disse:

    “Catraca Livre” e financiado pelo Ministerio da Cultura já da para ver o lixo que e

  4. Skull Lord disse:

    Muito bom mesmo! Parabéns!

    Eu já havia pensando algo sobre o posicionamento imbecil do Catraca Livre sobre a publicação da Armalite, mas você conseguiu abstrair muito mais de maneira fácil e coerente!

    Obrigado pelo texto, pelo aprendizado!

    Abraços!

  5. Adriano Azevedo disse:

    O problema que eu vejo é que as vezes nem se trata de hoplofobia, pois quando a pessoa tem algum medo do que não conhece, isso pode ser tratável com o devido conhecimento, explicação, debate, treinamento, etc. Mas o que se percebe são políticas descaradas a favor do desarmamento, ou seja, qualquer coisa que apareça relacionado a armas de fogo serão tratadas por entidades como esta, como algo ruim e que deva ser combatido. Isso é lamentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*