Arquivo do blog

Digitação e Tradução com 20% de desconto para membros premium do Instituto DEFESA

Lucas Parrini

Lucas Parrini é colaborador do Instituto DEFESA e curioso em criminologia e assuntos relacionados a combate e segurança.

Membros premium do ID podem contar com desconto de 20% na tradução do inglês para o português em textos simples, artigos e notícias e também em digitações.

Dentre vários trabalhos que faço, que vão de formatar computadores a ajudante de marceneiro, faço traduções e digitações. Sendo assim, estou divulgando este serviço e oferecendo esta vantagem para membros que contribuem financeiramente com o ID.

O serviço é cobrado por palavra do texto a ser traduzido e a tradução é livre, isso significa que lerei o texto, entenderei e só então faço a tradução. A digitação também é cobrada por palavra.

O serviço é para qualquer um, mas o desconto somente para membros premium. Além disso, 20% do faturamento será destinado ao financiamento das ações do Instituto DEFESA.

Interessados podem me contactar no e-mail: lucas.sklord@parrini.com.br

ID participa de Audiência Pública em Niterói-RJ sobre Armamento da GM

Lucas Parrini

Lucas Parrini é colaborador do Instituto DEFESA e curioso em criminologia e assuntos relacionados a combate e segurança.

As opiniões em volta das mudanças legislativas que permitem a utilização de armas de fogo pela Guarda Municipal de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, estão a todo vapor. Ultimamente a prefeitura tem feito várias postagens (1 e 2) para acompanhar as opiniões, já que a votação será neste domingo, dia 29/10/2017, além de já terem ocorridos outras audiências, algumas de qualidade questionável.

A audiência que participamos nesta terça, 24/10/2017, organizada pelo partido Livres, foi riquíssima pois foi formulada com uma excelentes participantes: especialistas em segurança pública, representantes dos comerciantes ambulantes, representante da GM,  representantes da população, de movimentos sociais a favor, movimentos sociais contra e vários agentes da Instituição.

Foram aproximadamente 15 minutos de fala para cada palestrante, e tiveram vagas limitadas para pessoas que se inscreveram na sessão de perguntas. Quando os palestrantes acabaram, as perguntas e posicionamentos foram feitos.  Após isso, houve 3 minutos para cada palestrante responder e efetuar considerações finais.

Importante registrar o ótimo comportamento de todos os presentes. Todos ouviram, falaram e respeitaram o tempo de cada um. Não houve baderna, apenas um ou dois que se exaltaram mas falharam vergonhosamente em bagunçar o ambiente, não conseguiram infectar os demais com sua falta de educação.

O Instituto DEFESA agradece o convite do partido Livres, além de parabenizar seu presidente regional, Pedro H. Lemos, e também toda sua equipe pela mediação, organização e realização do evento, ao amigo Rildo Anjos, presidente do Calibre 12, pela disposição em enriquecer o debate com seu conhecimento técnico e profissional de mais de 27 anos e pelo excelente posicionamento! Agradecemos também a página EnDIreitando Niterói  (3) por ter gravado a audiência e disponibilizado o vídeo. Repito a parabenização a cada cidadão participante e o agradecimento a cada agente da GM pelos seus serviços.

O Jornal o Fluminense fez uma matéria sobre a audiência e o Instituto DEFESA foi citado.
Confira a notícia:  https://goo.gl/woA6W4

Veja a gravação da audiência: https://www.facebook.com/endireitandoniteroi/videos/1883045148677256/

Unidos somos invencíveis!

Referências:

1- https://goo.gl/fKry5V
2 – http://www.decideniteroi.com.br/

3 – https://www.facebook.com/endireitandoniteroi/

 

 

A realidade da relação entre a necessidade do armamento civil e o monopólio estatal da força – Parte 1

Entusiasta de história militar e Atirador

Sabe-se a mais de 300 anos que o monopólio estatal da força reside em controle de armas, controle das fronteiras e de seus cidadãos. O Estado lhe “vende” a ideia que ele proverá segurança interna (pública) e externa(contra invasões). Nos tempos antigos essa promessa ia da segurança ao trabalho, passando pelo alimento. Note-se ai a visceral relação entre esses fatores que mantém em pé ou derrubam civilizações. Porém, com o advento dos Estados Unidos da América, e sua Segunda Emenda, que diz: “Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser infringido”, a população deu um salto evolutivo civilizatório que colocou cada indivíduo como senhor da própria vida, buscando sua própria segurança, e daí seu bem estar entre seus pares.

Após esse breve apanhado histórico, lancemos um olhar ao caso comum das sociedades em que houve predominância de pensamentos de matriz esquerdista, social-democratas ou inclusive socialistas.

Nessas sociedades, assim que esses grupos chegaram ao poder, em primeiro lugar buscaram desarmar o cidadão como meio de buscar a paz social. Depois forçaram programas sociais compensatórios, por fim inclusive confisco de bens e terras. Felizmente alguns lugares conseguiram reverter essa tendência, como o Paraguai, porém a Europa, praticamente desarmada, hoje sofre diariamente com motins e ataques terroristas, sem falar o banditismo urbano que não se ouvia falar. Austrália quase foi por esse caminho, e está em processo de reversão também. E a população continua confiando no monopólio da força, e o bandido também.

Veja que não se trata de grau de serviços públicos de alto investimento, nem grau de desenvolvimento. Apenas a liberdade individual de adquirir, manter, portar e usar suas armas. O caso do Brasil é emblemático pois temos uma escalada de repressão ao comércio e uso de armamento por civis, e o desmantelamento das forças de segurança pública, e uma transformação das forças armadas em uma guarda nacional de grande orçamento. O motim da Polícia Militar do Espírito Santo mostrou o quanto o cidadão de bem tem a perder confiando numa segurança que o Estado não pode lhe prover. Em algumas horas centenas de estabelecimentos comerciais arrombados, furtados. E na grande Vitória apenas uma única loja passou incólume por esse teste sangrento: Uma loja de armas.

Você, leitor, pode estar se perguntando por que o Brasil não está em chamas ainda se a situação é tão ruim. Na realidade, já estamos nas cinzas, pois mais de 60 mil vidas são perdidas anualmente, e não tenho medo de errar em apontar que pelo menos ⅔ desse número monstruoso é composto de cidadãos de bem e suas famílias, entregues como gado na mão de uma política de desarme e desmonte da segurança.

A lição que EUA, Paraguai entre outros tem a nos ensinar é:

Arme-se hoje, Proteja-se amanhã e Viva pra sempre, seja em seus filhos, seja em sua nação.

Clubes de Tiro em Sergipe

O Instituto DEFESA recebe com frequência pedidos de informações sobre onde praticar. Tentamos sempre manter a lista bem alimentada com informações atuais e legítimas. Com a ajuda de um de nossos membros, recebemos uma lista atualizada de clubes de tiro em Sergipe. Se você é das redondezas, agora já sabe onde praticar, aproveite!

Lucas Parrini

Lucas Parrini é colaborador do Instituto DEFESA e curioso em criminologia e assuntos relacionados a combate e segurança.

Aproveito o ensejo para agradecer e parabenizar aos clubes e seus representantes pela atitude!

Segue a lista:

  • ATIRAR CLUB
  • Representantes: Ricardo Porto (presidente) e Alysson Feitosa (vice-presidente)
  • Cidade: São Cristóvão
  • Endereço: Rodovia Joõa Bebe Água, nº 3481, Estrada para a Estiva, Povoado Cantinho do Céu. Galpao III, grande Roza Elze.
  • Telefone: (79) 9-9932-4060
  • E-mail: secretaria@atirar.net
  • SERIGY
  • Representantes: Ginaldo Alves (presidente)
  • Cidade: Campo do Brito
  • Endereço: R. Roque Jose de Souza S/N
  • Telefone: (79) 9-9947-8938
  • E-mail: cat.clubeamigosdotiro@gmail.com
  • AMIGOS DO TIRO
  • Representantes: Marcel Martins Ávila (presidente), José Martins Ávila (vice-presidente) e Igor Silva (diretor)
  • Cidade: Estância
  • Endereço: Estrada da Dizilena, 152, povoado Dizilena, Estância-SE
  • Telefone: (79) 9-9988-7684
  • E-mail: cat.clubeamigosdotiro@gmail.com
  • SOARES CLUBE DE TIRO ESPORTIVO
  • Representantes: Marcelo Soares (diretor)
  • Cidade: Aracaju
  • Endereço: Rua Sgt Manoel Oswaldo das Neves,181. São Conrado. Conjunto Orlando Dantas
  • Telefone: (79) 9-9965-4780
  • E-mail: contato@soares.esp.br

 

 

Imagens das manifestações de 19/02/17

Algumas fotos e vídeos que nos foram enviados.

Se você tiver alguma diferente, por favor, envie para parrini@defesa.org que nós postamos!

===========================================================

msn - rj - Copy

Rio de Janeiro – RJ

man - sp 5

São Paulo – SP

man - sp

São Paulo – SP

man - sp 3

São Paulo – SP

man - sp 2

São Paulo – SP

man - cur

Curitiba – PR

===========================================================

 

Eduardo Bolsonaro fala em manifestação: https://www.youtube.com/watch?v=l1H53hQ81vE&feature=youtu.be

Professor Bene Barbosa fala em manifestação: https://www.youtube.com/watch?v=tV0dRw8MKHY&feature=youtu.be

 

===========================================================

República Tcheca ensina a seus cidadãos como se defenderem de terroristas: Atirem neles vocês mesmos!

imrs

Tradução livre de: https://goo.gl/GE2Lyp
Tradutor: Parrini

Algum tempo atrás, o presidente da República Tcheca, Milos Zeman, fez uma solicitação incomum: Ele pediu para os cidadãos se armarem contra um possível “super holocausto” dirigido pelos terroristas muçulmanos.

Não esqueçam que há por volta de 4000 muçulmanos para um total de 10 milhões de cidadãos. E assim as vendas de armas foram nas alturas. Uma única loja de armas em East Bohemia, uma região no centro-norte do país, disse a um jornal local que as pessoas estavam apavoradas com a “onde de islamitas”.

Agora, o ministro do interior do país está tentando uma mudança constitucional que permitirá cidadãos usarem armas contra terroristas. Ativistas pró-armamento dizem que isso poderá salvar muitas vidas se um ataque acontecer e a polícia estiver ocupada ou intencionalmente atrasada para chegar no local do ataque. Para a mudança legislativa, o parlamento precisa aprovar a proposta que será votada nos próximos meses.

A República Tcheca possui uma das mais brandas legislações de armas na Europa. Em seu território, estima-se por volta de 800.000 armas de fogo registradas para 300.000 pessoas com autorizações e licenças. Conseguir uma arma legalmente é relativamente fácil. Por lei, seus cidadãos podem usar armas de fogo para protegerem suas propriedade ou quando estão em perigo iminente, porém, após o ocorrido, eles precisam provar que o perigo existia. (1)

Isso coloca o país na contra mão da Europa, que ano após ano, intensifica as restrições e cerca a liberdade de acesso as armas de seus cidadãos. No início de 2015, quando ocorreram aqueles ataques horríveis em Paris, a França ao invés de permitir seus cidadãos de protegerem suas vidas e de entes queridos, o país resolveu apoiar ainda mais essas restrições. As primeiras de muitas propostas da European Commission foi de proibir armas como AK’s e AR-15’s que seriam de uso exclusivo dos militares e limitar os carregadores em 20 munições.

A República Tcheca se opôs fortemente a estas diretivas. Oficiais alertaram que esta medida impediria que a nação sustentasse um “sistema de segurança interno” e tornaria o treinamento das Forças Armadas praticamente inviável.  O banimento desse tipo de arma, com capacidade de efetuar vários disparos, jogaria na ilegalidade as milhares de armas já existentes e registradas por seus cidadãos, estimulando o mercado negro e o tráfico. Finlândia e Alemanha ofereceram suas próprias reservas e grupos pró-armamento se mobilizaram pela Europa se opondo a estas diretrizes com o apoio de várias fontes, inclusive políticas.

Depois de meses de negociação, mês passado a EU aprovou um compromisso: o Council of Ministers confirmará as ações nesta primavera. Todos os Estados membros terão 15 meses para aceitar as novas restrições sobre as armas. A última ação para banir as armas consiste em proibir a venda de armas no estilo militar e requer que todos os compradores passem por avaliações psicológicas antes da compra. Se alguém falhar na avaliação em qualquer estado da União Européia, a informação será registrada e repassada para todos os outros países através de um banco de dados internacional, que proibirá este cidadão de comprar armas em qualquer outro país. Vendas on-line estão enquadradas no mesmo sistema. A República Tcheca foi o único país a se opor contra essas medidas por serem muito restritivas e perigosas. Luxemburgo também votou contra, mas somente para alegar que elas são muito fracas.

Este cenário nos mostra que por mais que o parlamento Tcecho seja a favor de medidas anti-terroristas e a favor da liberdade de seus cidadãos de protegerem suas vidas, as leis sobre armas de fogo no país se tornarão mais tiranas em breve. Todos os compradores de armas serão obrigados a realizarem o psicotécnico, além de jogar na obscuridade se quem já possui armas será considerado um bandido por ter uma arma não condizente com as novas leis (2). A ambiguidade estimulou um dos jornais do país a sugerir que as ações do ministro do interior estão mais voltadas para segurança política do que segurança contra o terrorismo.

 

1 – Nota do tradutor: Reparem a diferença do legislador: Lá, o cidadão primeiro defende sua vida, para depois apresentar explicações. Aqui no Brasil, os legisladores e todos os envolvidos n no Estáburro do Desarmamento, assim comos os agentes que o seguem, fazem o contrário: primeiro temos que escapar várias vezes da morte e rezar para que nossa filhas e esposas consigam sugir do estuprador, (pois somente uma vez não é suficiente para os Delegados de Polícia Federal), para só depois, TALVEZ emitirem a autorização de compra.

2 – Nota do tradutor: Não conheço os princípios contidos na constituição do país nem os que regem a coalização que é a União Européia, porém, pela notícia, percebemos que o princípio da retroatividade não existe, pois com as medidas anti-armas aprovadas, aqueles que já possuem as referentes armas serão considerados bandidos. Aparentemente na União Européia a “lei pode retroagir” para prejudicar.

SINESP faz enquete que induz entrevistado à resposta desejada

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA

18 de Dezembro de 2015.

O Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e Sobre Drogas, é um portal de informações integradas, em parceria com os entes federados, possibilitando consultas estatísticas, operacionais, investigativas e estratégicas relacionadas a drogas, segurança pública, justiça criminal, sistema prisional, entre outras. O Sinesp subsidiará diagnósticos de criminalidade, formulação e avaliação de políticas de segurança pública e promoverá a integração nacional de informações de forma padronizada.

O aplicativo Sinesp Cidadão é um módulo do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas, o Sinesp (Lei 12.681/2012), o qual permite acesso direto pelo cidadão aos serviços da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

Ao instalar o software em seu dispositivo móvel, o cidadão consegue consultar placas de carros e mandados de prisão.

Organizado pelo Ministério da Justiça – o mesmo que impõe o desarmamento inclusive de modo ilegal – o aplicativo foi recentemente atualizado para o preenchimento de uma enquete pelos usuários.

Contudo, as perguntas direcionadas aos entrevistados foram feitas de perfídia, a fim de induzir o entrevistado a resposta desejada pelo Ministério da Justiça. Confira as imagens.

sinesp1 sinesp2

Você pode baixar o aplicativo SINESP Cidadão em seu celular e participar da enquete. Tenha certeza de não ser enganado pelo Ministério da Justiça.

O que mais nós podemos fazer?

O Instituto Defesa​ tem o compromisso de trabalhar por todos os meios possíveis para recuperar, ampliar e conservar a liberdade de acesso às armas e à legítima defesa.

Internamente, nos esforçamos para ter mais ideias e estratégias de ação, mas com a sua ajuda, podemos pensar em algo diferente.

O que você acredita que o Instituto DEFESA possa fazer pela liberdade de acesso às armas que ainda não fez? O que ele já fez e deve continuar fazendo?
Participe. Queremos saber a sua opinião.

Entrem em contato com os membros da Comissão que analisará a revogação do Estatuto do Desarmamento

O Instituto DEFESA solicita  a todos seus membros e leitores que entrem em contato com os deputados que compõem a Comissão Especial criada para debater o PL 3.722/12. que pretende revogar o Estatuto do Desarmamento.

Orientamos para que, com o máximo de educação, solicitem diretamente aos parlamentares a aprovação do PL em respeito ao interesse público.

O contato pode ser feito pessoalmente ou por telefone (preferencialmente), mas também é possível enviar emails.

Cliquem no nome do parlamentar para obter as informações de contato.

Presidente: Marcos Montes (PSD/MG)
1º Vice-Presidente: Guilherme Campos (PSD/SP)
2º Vice-Presidente: João Campos (PSDB/GO)
3º Vice-Presidente: Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP)
Relator: Claudio Cajado (DEM/BA)

TITULARES SUPLENTES
PT
Alessandro Molon PT/RJ (Gab. 652-IV) Iriny Lopes PT/ES (Gab. 469-III)
Erika Kokay PT/DF (Gab. 203-IV) Paulão PT/AL (Gab. 366-III)
Luiz Couto PT/PB (Gab. 442-IV) Paulo Teixeira PT/SP (Gab. 281-III)
Nilmário Miranda PT/MG (Gab. 318-IV) Renato Simões PT/SP (Gab. 358-IV)
PMDB
Edio Lopes PMDB/RR (Gab. 350-IV) Alceu Moreira PMDB/RS (Gab. 445-IV)
Rogério Peninha Mendonça PMDB/SC(Gab. 656-IV) (Deputado do PMN ocupa a vaga)
Sandro Mabel PMDB/GO (Gab. 443-IV) (Deputado do PP ocupa a vaga)
PSDB
João Campos PSDB/GO (Gab. 315-IV) (Deputado do SD ocupa a vaga)
Nelson Marchezan Junior PSDB/RS (Gab. 250-IV) 1 vaga
PSD
Guilherme Campos PSD/SP (Gab. 283-III) Moreira Mendes PSD/RO (Gab. 943-IV)
Marcos Montes PSD/MG (Gab. 334-IV) 1 vaga
PP
Jair Bolsonaro PP/RJ (Gab. 482-III) Guilherme Mussi PP/SP (Gab. 712-IV)
Jerônimo Goergen PP/RS (Gab. 316-IV) José Otávio Germano PP/RS (Gab. 424-IV)
Luis Carlos Heinze PP/RS (Gab. 526-IV) – vaga do PMDB
PR
Bernardo Santana de VasconcellosPR/MG (Gab. 854-IV) (Deputado do PTdoB ocupa a vaga)
PSB
Gonzaga Patriota PSB/PE (Gab. 430-IV) Alfredo Sirkis PSB/RJ (Gab. 240-IV)
DEM
Claudio Cajado DEM/BA (Gab. 630-IV) Alexandre Leite DEM/SP (Gab. 841-IV)
Onyx Lorenzoni DEM/RS (Gab. 828-IV) – vaga do PDT
SD
Fernando Francischini SD/PR (Gab. 265-III) Dr. Grilo SD/MG (Gab. 645-IV) – vaga do PSDB
Simplício Araújo SD/MA (Gab. 587-III)
PTB
Arnaldo Faria de Sá PTB/SP (Gab. 929-IV) Nelson Marquezelli PTB/SP (Gab. 920-IV)
Bloco PV, PPS
Penna PV/SP (Gab. 205-IV) 1 vaga
PROS
Major Fábio PROS/PB (Gab. 368-III) José Augusto Maia PROS/PE (Gab. 758-IV)
PDT
Enio Bacci PDT/RS (Gab. 930-IV) (Deputado do DEM ocupa a vaga)
PCdoB
Luciana Santos PCdoB/PE (Gab. 531-IV) Chico Lopes PCdoB/CE (Gab. 310-IV)
PSC
Andre Moura PSC/SE (Gab. 846-IV) 1 vaga
PSOL
Ivan Valente PSOL/SP (Gab. 716-IV) 1 vaga
PTdoB
Lourival Mendes PTdoB/MA (Gab. 937-IV) – vaga do PR
PMN
Francisco Tenório PMN/AL (Gab. 476-III) – vaga do PMDB

Secretário(a): Leila Machado Campos
Local: Anexo II – Pavimento Superior – Sala 165-B
Telefones: (61) 3216-6212
FAX: (61) 3216-6225

PLS 230/2014: Senador quer transformar posse de arma em crime hediondo

Mais uma vez em sua carreira, Senador Pastor Marcelo Crivella (PRB/RJ) ofende os princípios elementares da República Democrática e apresenta projeto de lei que objetiva transformar crimes relacionados a simples posse de armas em hediondos.

Com texto sintético, o PLS 230/2014, apenas altera o parágrafo único do Art. 1º da Lei 8.072/1990, dando a seguinte redação:

“Parágrafo único. Consideram-se também hediondos os crimes de genocídio previsto nos arts. 1º, 2º e 3º da Lei nº 2.889, de 1º de outubro de 1956, de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, de comércio ilegal de arma de fogo e de tráfico internacional de arma de fogo previstos nos arts. 16, 17 e 18 da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, todos tentados ou consumados.” (NR)

Observe que a proposta não é tornar hediondos os crimes praticados com o uso de armas de fogo, como homicídios ou latrocínios- que já estão adequadamente previstos na lei – , mas sim a simples posse de armas, ainda que por cidadãos idôneos.

Os incautos podem ainda imaginar que o projeto prevê a punição apenas à posse irregular, mas é preciso lembrar que a legislação atual obriga os cidadãos a permanecerem na ilegalidade. No Paraná, por exemplo, estima-se que 50% dos registros de armas estejam vencidos. Com a vigência da proposta do Senador, todas estas pessoas estariam enquadradas em crime hediondo.

O Senador já tem um passado bastante sujo quanto a liberdades individuais. Em 2011, apresentou o projeto de lei do senado de número 607, que obrigaria a adição de marcadores químicos nas munições, inviabilizando a prática do tiro.

Link para o texto na íntegra: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getTexto.asp?t=152804&c=PDF&tp=1
Acompanhe a tramitação do projeto direto na página do Senado: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=118219

Nas eleições de 2014 este sujeito pretende se tornar governador do Rio de Janeiro.

Entre em contato com o pretenso tirano e proteste:

Facebook: https://www.facebook.com/marcelocrivella?fref=ts

Site oficial: http://crivella10.com.br/

Twitter: https://twitter.com/mcrivella