Arquivo do blog

República Tcheca ensina a seus cidadãos como se defenderem de terroristas: Atirem neles vocês mesmos!

imrs

Tradução livre de: https://goo.gl/GE2Lyp
Tradutor: Parrini

Algum tempo atrás, o presidente da República Tcheca, Milos Zeman, fez uma solicitação incomum: Ele pediu para os cidadãos se armarem contra um possível “super holocausto” dirigido pelos terroristas muçulmanos.

Não esqueçam que há por volta de 4000 muçulmanos para um total de 10 milhões de cidadãos. E assim as vendas de armas foram nas alturas. Uma única loja de armas em East Bohemia, uma região no centro-norte do país, disse a um jornal local que as pessoas estavam apavoradas com a “onde de islamitas”.

Agora, o ministro do interior do país está tentando uma mudança constitucional que permitirá cidadãos usarem armas contra terroristas. Ativistas pró-armamento dizem que isso poderá salvar muitas vidas se um ataque acontecer e a polícia estiver ocupada ou intencionalmente atrasada para chegar no local do ataque. Para a mudança legislativa, o parlamento precisa aprovar a proposta que será votada nos próximos meses.

A República Tcheca possui uma das mais brandas legislações de armas na Europa. Em seu território, estima-se por volta de 800.000 armas de fogo registradas para 300.000 pessoas com autorizações e licenças. Conseguir uma arma legalmente é relativamente fácil. Por lei, seus cidadãos podem usar armas de fogo para protegerem suas propriedade ou quando estão em perigo iminente, porém, após o ocorrido, eles precisam provar que o perigo existia. (1)

Isso coloca o país na contra mão da Europa, que ano após ano, intensifica as restrições e cerca a liberdade de acesso as armas de seus cidadãos. No início de 2015, quando ocorreram aqueles ataques horríveis em Paris, a França ao invés de permitir seus cidadãos de protegerem suas vidas e de entes queridos, o país resolveu apoiar ainda mais essas restrições. As primeiras de muitas propostas da European Commission foi de proibir armas como AK’s e AR-15’s que seriam de uso exclusivo dos militares e limitar os carregadores em 20 munições.

A República Tcheca se opôs fortemente a estas diretivas. Oficiais alertaram que esta medida impediria que a nação sustentasse um “sistema de segurança interno” e tornaria o treinamento das Forças Armadas praticamente inviável.  O banimento desse tipo de arma, com capacidade de efetuar vários disparos, jogaria na ilegalidade as milhares de armas já existentes e registradas por seus cidadãos, estimulando o mercado negro e o tráfico. Finlândia e Alemanha ofereceram suas próprias reservas e grupos pró-armamento se mobilizaram pela Europa se opondo a estas diretrizes com o apoio de várias fontes, inclusive políticas.

Depois de meses de negociação, mês passado a EU aprovou um compromisso: o Council of Ministers confirmará as ações nesta primavera. Todos os Estados membros terão 15 meses para aceitar as novas restrições sobre as armas. A última ação para banir as armas consiste em proibir a venda de armas no estilo militar e requer que todos os compradores passem por avaliações psicológicas antes da compra. Se alguém falhar na avaliação em qualquer estado da União Européia, a informação será registrada e repassada para todos os outros países através de um banco de dados internacional, que proibirá este cidadão de comprar armas em qualquer outro país. Vendas on-line estão enquadradas no mesmo sistema. A República Tcheca foi o único país a se opor contra essas medidas por serem muito restritivas e perigosas. Luxemburgo também votou contra, mas somente para alegar que elas são muito fracas.

Este cenário nos mostra que por mais que o parlamento Tcecho seja a favor de medidas anti-terroristas e a favor da liberdade de seus cidadãos de protegerem suas vidas, as leis sobre armas de fogo no país se tornarão mais tiranas em breve. Todos os compradores de armas serão obrigados a realizarem o psicotécnico, além de jogar na obscuridade se quem já possui armas será considerado um bandido por ter uma arma não condizente com as novas leis (2). A ambiguidade estimulou um dos jornais do país a sugerir que as ações do ministro do interior estão mais voltadas para segurança política do que segurança contra o terrorismo.

 

1 – Nota do tradutor: Reparem a diferença do legislador: Lá, o cidadão primeiro defende sua vida, para depois apresentar explicações. Aqui no Brasil, os legisladores e todos os envolvidos n no Estáburro do Desarmamento, assim comos os agentes que o seguem, fazem o contrário: primeiro temos que escapar várias vezes da morte e rezar para que nossa filhas e esposas consigam sugir do estuprador, (pois somente uma vez não é suficiente para os Delegados de Polícia Federal), para só depois, TALVEZ emitirem a autorização de compra.

2 – Nota do tradutor: Não conheço os princípios contidos na constituição do país nem os que regem a coalização que é a União Européia, porém, pela notícia, percebemos que o princípio da retroatividade não existe, pois com as medidas anti-armas aprovadas, aqueles que já possuem as referentes armas serão considerados bandidos. Aparentemente na União Européia a “lei pode retroagir” para prejudicar.

Ladrão tenta roubar loja de armas e é morto pelo vendedor

Já ouviu aquela máxima “Nunca vi roubo em loja de arma, clube de tiro ou delegacia”? Pois é, um sujeito da Georgia, nos EUA, resolveu tentar a sorte. Obviamente, o plano acabou mal para o criminoso, que acabou morto pelo próprio lojista.

É, parece que armas continuam trazendo sim muita segurança.

Confira a reportagem original abaixo (em Inglês):

 

A reboque do Ministério da Justiça, DFPC deve aumentar prazos de renovação de registros

Foi publicada no dia de ontem (21) no site oficial da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército Brasileiro, nota dando conta que este departamento adequaria as suas atividades às exigências legais. A DFPC, subordinada ao COLOG, é responsável pelas normais que regem as armas de uso restrito no Brasil, além dos Colecionadores, Caçadores, Atiradores e Clubes de Tiro.

Espera-se que os prazos de renovação dos Certificados de Registro e documentos dele decorrentes acompanhem os prazos já em vigor na Polícia Federal, conforme detalhado na matéria publicada recentemente no portal do DEFESA.

Veja também:

A íntegra da publicação no site da DFPC está no link a seguir:

http://www.dfpc.eb.mil.br/index.php/ultimas-noticias/359-medidas-decorrentes-da-promulgacao-do-decreto-nr-8-935-de-19-de-dezembro-de-2016

 

Governo altera prazos de renovação de registros de armas

Foi publicado no Diário Oficial da União de hoje o DECRETO No 8.935, que “Altera o Decreto nº 5.123, de 1º de julho de 2004, que regulamenta a Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas – SINARM e define crimes.”

Na prática, o que as alterações propõem são exigir o exame técnico apenas a cada 10 (Dez) anos, e os antecedentes criminais a cada 5 (cinco), ao invés dos 3 (Três) anos em vigor até ontem.

O link do D.O.U. de hoje com o texto do Decreto está abaixo:
http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=7&data=20%2F12%2F2016

O que o Instituto DEFESA fez em 2016?

Como já é de praxe, objetivando a transparência e a prestação de contas aos nossos associados e partes relacionadas, ao final de cada ano o Instituto DEFESA publica um breve resumo de suas ações nos últimos 12 meses.

Ao contrário de 2015 e 2014, o ano de 2016 foi extremamente atípico e politicamente instável, limitando as ações desta entidade diretamente no legislativo federal. O impedimento da vice-chefe da quadrilha petista, então Presidente da República, prisões de grandes criminosos políticos como Eduardo Cunha, Guido Mantega, Sérgio Cabral, José Dirceu. Delações contra Renan Calheiros e Lula. João Vaccari Neto, Gim Argello e outros nomes assustadores roubaram – além do erário – os próprios holofotes da política, paralisando momentaneamente a tramitação de projetos pró-armamento.

Ainda assim, o Instituto DEFESA conseguiu realizar ações significativas e inéditas em outros cenários, conforme seguem:

      • Clubes
      • Estandes
      • Cursos
      • Campeonatos
      • Despachantes
      • Informações sobre como comprar armas
      • Psicólogos aptos a emitirem laudos para compra de armas
      • Instrutores de tiro
      • Mitos e verdades
      • Estatísticas e artigos científicos sobre armas
      • Artes “pró-arma” nas principais redes sociais
  • Distribuímos milhares de camisetas, adesivos e bonés e panfletos que divulgam o ativismo pró-armas em todas as regiões do Brasil

 

Isso é só o resumo, não para por aí. Nossas ações apenas são possíveis graças a pessoas como você, que saem de sua zona de conforto e vem nos ajudar.

Torne-se um associado premium e ajude a financiar as atividades do Instituto DEFESA em 2017, participando ativamente também com sugestões e ações pró-armas em todo o Brasil. Nosso lema não é “UNIDOS SOMOS INVENCÍVEIS” à toa. Junte-se a nós e ajude-nos a construir um DEFESA melhor.

 

Postagem decorrente de ação judicial

Prezado leitor,

Na data de 21 de março de 2016, a Companhia Brasileira de Cartuchos – CBC (CNPJ 57.494.031/0001-63), impetrou ação de Indenização por Dano Moral com valor de causa de Cem Mil Reais (R$100.000,00)  contra o Instituto DEFESA e seu presidente, Lucas Silveira, decorrente de posts considerados imprecisos por aquela companhia. O processo está registrado no Poder Judiciário do Paraná sob o número 0007130-61.2016.8.16.0001 e pode ser consultado na íntegra por quem desejar.

A empresa considerou incorretas as informações veiculadas pela Campanha do Armamento e por Lucas Silveira, que afirmavam que 1) “a CBC trabalha para que você não possa comprar uma Glock G25, e seja obrigado a adquirir uma ‘similar nacional'”; 2) “um produto CBC seria menos confiável para defesa pessoal do que um paralelepípedo” e 3) comparação do jogo “Monopoly” com a política administrativa da empresa autora desta ação.

Em atendimento a obrigação legal decorrente desta ação, reproduzimos abaixo a seguinte nota de esclarecimento, a quem interessar possa:

 

Nota de Esclarecimento

 

Nos dias 23.12.2015, 01.02.2016 e 02.02.2016 divulgamos publicações envolvendo a empresa CBC – Companhia Brasileira de Cartuchos.

 

Contudo, diante de alguns esclarecimentos que nos foram prestados, nos foi dado conhecimento de que as veiculações podem ter contido alguns equívocos.

 

Reafirmando nosso compromisso de prestar informações corretas ao público, compartilhamos os seguintes esclarecimentos:

 

– A definição da política de importação de munições, armamentos e acessórios bélicos e a regulamentação de sua venda no mercado nacional é definida exclusivamente pelo Ministério da Defesa, especificamente pela DFPC – Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército Brasileiro, nos moldes do Decreto nº 6.7013/2008. Ou seja, a regulamentação do setor cabe a órgãos governamentais e, diante da importância estratégica deste mercado, é o Ministério da Defesa quem credencia as chamadas EED (Empresas Estratégicas de Defesa), sujeitas a intensa fiscalização – entre as quais, a CBC.

 

– A CBC fabrica única e exclusivamente armas longas (rifles, carabinas de pressão e armas com canos entre 14 e 24 polegadas de comprimento), voltadas especialmente para caça, pecuária e tiro esportivo. A CBC não fabrica armas curtas.

 

– A CBC informou que atua com Certificação de Qualidade Internacional ISO9001 há mais de 15 (quinze anos) e mantém modernos laboratórios balísticos e centros de pesquisa voltados para o desenvolvimento de novos produtos e ensaios de qualidade.

 

 

Membros premium do DEFESA terão desconto na Academia Brasileira de Armas

Com o início de atividades previsto para fevereiro de 2017, a Academia Brasileira de Armas (ABA) constituirá um centro de referência internacional na produção e ensino de conhecimento de táticas e técnicas relacionadas à segurança e ao tiro.

Em parceria com o Instituto DEFESA, a ABA oferecerá cursos de diversas naturezas com valores promocionais para os membros premium (de carteirinha) da associação pró-armas.

O objetivo da parceria é facilitar o acesso à educação sobre armas para todos os interessados, fomentando a cultura de segurança por todo o país.

Os cursos serão divulgados no website oficial da Academia e no mailing list do DEFESA.

Se você ainda não é um membro de carteirinha, filie-se agora e prepare-se para treinar na ABA em 2017.

Instituto DEFESA lança outdoor em Botucatu/SP – Visite!

Outdoor em Botucatu/SP
——————————
Nosso lema é “Unidos somos invencíveis” não por acaso. É uma honra poder contar com homens como o Marcelo Danfenback​ e a equipe toda do Tactical Shoot que nos apoiaram na colocação de MAIS UM OUTDOOR, desta vez na praça Coronel Moura, bem no centro de Botucatu, SP. Confiram a mensagem e o outdoor.

Aproveitem para visitar a loja Tactical no mesmo endereço e agradecê-lo pela parceria.

Mais do que nunca, UNIDOS SOMOS INVENCÍVEIS! Confiram o vídeo e as fotos.

whatsapp-image-2016-10-21-at-19-15-54-1

whatsapp-image-2016-10-21-at-19-15-54

whatsapp-image-2016-10-21-at-19-15-56

De volta ao combate. Pra cima com o PL 3.722/12

Novo R-105. Ep. 11. 9mm para CACs


Novo R-105. Episódio 11. 9mm para CACs por institutodefesa

Próximos eventos
  1. Curso C.A.R. System Curitiba – Center Axis Relock

    fevereiro 11 @ 8:00 - fevereiro 12 @ 17:00
  2. Curso de Combate com Facas Nível I

    fevereiro 25 @ 8:00 - 17:00
  3. Curso de Bastão Expansível Tático Nível I

    fevereiro 26 @ 8:00 - 17:00