Arquivo do blog

Análise do Coldre Super Velado

Este Coldre está a venda em http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-753035970-coldre-super-dissimulado-velado-discreto-_JM

Contador de munição Radetec

O controle do fluxo de munições em um combate é importante. As recargas administrativas e táticas devem ser feitas conscientemente e é necessário que o operador sempre saiba de modo mais preciso possível o que tem disponível para o combate.

A Radetec, uma empresa espanhola fundada em 2004, desenvolveu um sistema de contagem eletrônica em tempo real de munições.o AmmoControl™ Digital Counter. Trata-se de um dispositivo acoplado a empunhadura das pistolas ou fuzis que funciona conjuntamente com carregadores específicos. A cada disparo, o display mostra a quantidade exata de munições disponíveis no carregador.

A empresa também desenvolveu um modelo mais simples, o AmmoControl™ LED Advisor, que não mostra o número exato de munições, mas acende um LED nos últimos três tiros, avisando antecipadamente a necessidade da recarga.

Sistemas AmmoControl instalados em pistolas.

Sistemas AmmoControl instalados em pistolas.

O sistema funciona com um conjunto de imãs no carregador, que são detectados pela empunhadura eletrônica. De acordo com o posicionamento do imã, o dispositivo calcula o número de munições disparadas e/ou restantes.

Ammocontrol instalado em AR-15.

Ammocontrol instalado em AR-15.

Veja um vídeo de funcionamento em uma 1911:


 

Para mais informações, visite o site da empresa: http://www.radetec.com/

Novo dispositivo estanca ferimentos a bala em até 20 segundos

XStatRecentemente aprovado pela FDA (Food and Drug Administration), o XStat® é um dispositivo hemostático ímpar desenvolvido para o tratamento de ferimentos de tiros e estilhaços no campo de batalha. O XStat® injeta uma porção de pequenas esponjas de rápida expansão na cavidade do ferimento, com o uso de um aplicador semelhante a uma seringa. Cada esponja contém um marcador detectável em Raio-X.  No ferimento, o XStat® se expande e se adapta, quando em contato com o sangue, preenchendo a cavidade em até 20 segundos, o que cria uma barreira para o fluxo de sangue e proporciona pressão hemostática.

“XStat® é um dispositivo inovador, que pode ser rapidamente empregado, permitindo um controle hemorrágico imediato para estabilizar um paciente para o transporte.”

Foi o que disse Christy Foreman, diretor do escritório de avaliação de dispositivos da FDA.

“Esta será uma opção importante de tratamento para os militares da nossa nação, para tratar os soldados feridos distantes de um hospital de campanha.”

Indicações de uso:

XStat® é um dispositivo hemostático para o uso em sangramentos dificilmente estancados com torniquete, como nas articulações.

É um dispositivo temporário, que pode ser usado por até 4 horas até o atendimento médico. XStat® foi desenvolvido para o uso no campo de batalha.

XStat® não é indicado para o uso no tórax, na cavidade pleural, no mediastino, no abdome, no espaço retroperitonio, no espaço sacral acima do ligamento inguinal ou em tecidos acima da clavícula.

O XStat compacto inclui um êmbolo telescópico e uma válvula selada.

O XStat compacto inclui um êmbolo telescópico e uma válvula selada.

O Xstat12 foi desenvolvido para ferimentos finos.

O Xstat12 foi desenvolvido para ferimentos finos.

Guia básico sobre coldres

Lucas Silveira é presidente do Instituto DEFESA.

1. INTRODUÇÃO

Se você pretende tirar sua arma de casa de forma responsável, o coldre é um acessório que merece enorme atenção. Não economize tempo para estudar, escolher, perguntar ou pesquisar sobre coldres, no fim das contas, pode ser a diferença entre a vida e a morte.

Coldre é um acessório construído para transportar armas de porte (mas não as portáteis) com segurança. Pode ser feito de diversos materiais e com várias formas de retenção da arma, o que implica em diferentes níveis de segurança e dissimulação.

Antes de continuar lendo este texto, é recomendável que você conheça as Modalidades de Porte de Arma, que devem estar bem compreendidas para seguirmos. Se você não conhece as distintas modalidades, clique aqui e leia este texto primeiro.


 

2. CLASSIFICAÇÃO

2.1. Quanto ao posicionamento em relação à cintura da calça

Basicamente existem dois grandes grupos de coldres que precisamos distinguir logo no início desde texto.

  1. Coldres de porte por dentro da cintura da calça (Inside Waistband – IWB) e

  2. Coldres de porte por fora da cintura da calça (Outside Waistband – OWB).

iwb vs owb

É importante frisar que esses dois tipos de coldre (IWB e OWB) nada têm a ver com as modalidades ostensiva ou encoberta. Ao contrário do que os iniciantes possam pensar, é possível portar coldres IWB ostensivamente, e é possível portar coldres OWB encobertos.

iwb1

owb1

É verdade, contudo, que os coldres IWB são mais adequados para o porte encoberto, ao passo que os coldres OWB são mais propícios para o porte ostensivo. Além disso, os coldres OWB proporcionam maior velocidade no saque e mais facilidade para recoldrear a arma, especialmente nos modelos de kydex, que serão vistos abaixo.


 2.2. Quanto ao material de construção

2.2.1. Kydex e outros materiais plásticos

kydex1

 

Kydex é um tipo de plástico desenvolvido em 1965 por Rohm and Raas para o uso na parte interna de aeronaves. A linha foi comprada pela Kydex,LLC. em 1985.

Ele é desenvolvido em folhas termomoldáveis o que popularizou seu uso em coldres e bainhas.

Empresas especializadas em coldres passaram a usar também outros tipos de plástico que, no final das contas, produzem efeitos equivalentes.

A vantagem destes coldres é a facilidade em sacar e coldrear a arma, já que o coldre é perfeitamente ajustado ao armamento. A desvantagem é que para o uso em contato com a pele é desconfortável, se comparado com o couro.


 

2.2.2. Nylon

nylon1

 

O nylon é um material que dificilmente se justifica para o coldre de armas.  Ele normalmente tem o maior perfil entre todas as opções, não se adapta perfeitamente às armas o que dificulta o coldreamento.

Uma das poucas vantagens deste material é a resistência a umidade.


 

2.2.3. Couro de vaca

leanther1

 

O couro é ouro dos materiais de coldre. Os coldres mais luxuosos são feitos desse material, que é confortável para o uso IWB, e pode ser usado como OWB também.

Permite trabalhos artísticos elaborados para quem vê o coldre como muito mais que um acessório. É o clássico.

A desvantagem é que o material é pouco resistente à umidade e, especialmente no caso dos IWB, permite que o suor do usuário passe para arma, facilitando a oxidação.


 

2.2.4. Neoprene

neoprene1

 

Neopreno (ou neoprene) é o nome comercial de um elastômero sintético policloropreno, polímero docloropreno1 . Foi inventado pelos cientistas Elmer K. Bolton do laboratório de DuPont, que se baseou em pesquisas de Julius Arthur Nieuwland, um professor de química na Universidade de Notre Dame. (via Wikipedia)

Para a confecção de coldres, permite um material confortável e de perfil baixo, facilitando a dissimulação, especialmente quando portado na perna, coxa ou subaxilar.

 


 

2.2.5. Outros materiais

Em menor proporção, encontra-se coldres feitos de materiais exóticos como couro de jacaré ou crocodilo, de tubarão, e outros animais.

Neste caso, o valor é consubstanciado exatamente pela excentricidade, pouco importando a funcionalidade. Ótimo para colecionadores.


2.3. Quanto aos níveis de retenção

Tratar de níveis de retenção em coldres tem relação direta com os porte ostensivo.

Imagine-se em uma multidão, com uma arma em seu coldre. E se alguém tentar pegar sua arma? E se, por alguma razão você for obrigado a usar força não letal contra alguém e sua arma, ostensiva,  ficar próxima do suposto inimigo. Como protegê-la?

Pensando nesses cenários, coldres foram desenvolvidos com dispositivos que prendam a arma ao coldre, dificultando o acesso por qualquer pessoa que não seja o próprio operador.

O crédito do sistema – ou pelo menos do termo – é dado à Rogers Holster, que alega tê-lo criado em 1975. Em 1985 a Rogers Holster foi adquirida pela Safariland.

Vamos fazer um texto especialmente para tratar dos níveis de retenção e sua relação com  a segurança do porte. Por hora é importante saber que os níveis de retenção vão de I a III, aumentando gradativamente a medida que se torna mais difícil que um terceiro retire a arma do operador.

A explicação oficial do fabricante pode ser encontrada neste aquivo pdf (em inglês).

 


 

2.4. Quanto ao local de porte

2.4.1. Coldres para porte na cintura

cintura1

A maior parte dos coldres é feito para o porte na cintura. Por meio de clipes ou passadores de cinto, os coldres se prendem ao cinto do operador, tanto no modo IWB como no modo OWB.

É o local preferido pois permite um saque rápido, pode-se portar de modo ostensivo ou encoberto, e mantem-se relativo contato visual com a arma a maior parte do tempo, o que evita acidentes.


 

2.4.2. Coldres para porte na coxa

coxa1

Os coldres para porte na coxa tem prós e contras. Eles foram desenvolvidos especialmente para facilitar o saque por operadores que estejam usando coletes espessos, que atrapalham o saque a partir da cintura. O porte da coxa reduz o peso na linha cintura além de facilitar o acesso ao armamento pela mão não dominante, o que é consideravelmente importante em combate. Além disso, é mais fácil fazer uma transição a partir de uma arma longa, quando a segunda arma está na coxa e não na cintura.

A parte negativa é que o porte na coxa aumenta o tempo de saque, já que a arma tem que percorrer um trajeto maior até a linha dos olhos. Além disso, também chacoalha mais, quando se está corrento e, claro, chutando.

 

 

 

 

 


 

2.4.3. Coldres para porte na perna

ankle1

Este tipo de coldre é comum para o porte de backups (2ª arma). Limita-se a armas pequenas e costuma atrapalhar os movimentos de correr e chutar.

Também obriga o usuário a utilizar calças com as barras relativamente largas para que a arma não seja facilmente detectada.


 

2.4.4. Coldres subaxilares

subaxilar

O porte embaixo do braço facilita a dissimulação da arma. Obriga o saque cruzado, o que aumenta o tempo de resposta a um eventual ataque.

É normalmente utilizado por baixo de um blazer. Esses coldres têm partes de velcro que pode fazer sons bastante inoportunos quando se precisa de silêncio.

Também é fabricado acoplado a própria camisa.

Um grave defeito deste tipo de coldre é que o operador não raramente é forçado a desrespeitar uma norma de segurança, e aponta a arma para o próprio braço enquanto saca.

 

 

 

 

 


 

2.4.5. Coldres feitos para porte em outros locais

Com o intuito, especialmente, de dissimular armas compactas, encontra-se coldres desenvolvidos para regiões extraordinárias. Limitaremo-nos apenas a mostrar algumas delas:

2.4.5.1. Entre os seios

seios1

2.4.5.2. Genitais

genitais1

2.4.5.3. Bolsas e/ou maletas

bolsa1

2.4.5.4. Pescoço

neck holster

2.5. Quanto à função

2.5.1. Coldres operacionais (duty)

Os coldres operacionais são os coldres utilizados, por exemplo,  policiais e seguranças durante um turno normal de trabalho.


 

2.5.2. Coldres táticos

Os coldres táticos são os coldres utilizados em operações especiais.


 

2.5.3. Coldres para uso encoberto

Como o próprio nome diz, são coldres feitos com perfil reduzido, para passarem despercebidos aos terceiros.


2.5.4. Coldres esportivos

ipsc holster

Os coldres desenvolvidos para os esportes, especialmente o IPSC, são construídos com a função precípua de facilitar o saque. Não são recomendados para outros usos.


2.6. Outros tipos de coldre

2.6.1. Versa carry

versa

 

Os coldres da texana Versa Carry têm o objetivo de reduzir seu perfil ao mínimo. Lembram os coldres esportivos de IPSC< mas são desenhados para o porte IWB.

 

2.6.2. Trava de gatilho (Saf T Blok)

safe t

 

Imagine que você é um glockmaníaco e não consegue pensar em outra marca de armas.  Então você se dá conta de que portar uma arma sem trava, na condição 1, contraria o bom senso da segurança com armas de fogo. Ainda assim, você não quer perder a preciosa fração de segundo exigida pelo porte na condição 3 e não pode se dar ao luxo de portar sua glock ostensivamente num coldre de nível 3 de retenção.

Bem, saiba que você não está sozinho no mundo. o Saf-T-Block é um pequeno pedaço de plástico que funciona como uma trava de gatilho. Basta encaixar atrás da tecla do gatilho e, quando precisar usar a arma, basta retirar rapidamente com o dedo indicador.

2.7. Resumindo

classificao dos coldres

3. COMO ESCOLHER

Conforme o leitor já foi alertado logo nos prolegômenos deste texto, a escolha de um coldre adequado não deve ser feita com negligência. Os principais fatores a serem considerados quando da escolha entre tantos modelos disponíveis, são:

3.1. Arma a ser portada

Os coldres são desenvolvidos para uma variedade limitada de modelos de armas. Antes de escolher o coldre é necessário saber qual é a arma que será portada.

3.2. Modalidade do porte

Se a modalidade é ostensiva, encoberta, velada ou secreta, a escolha do coldre deve ser proporcional.

Se você não aceitou nosso conselho no começo do texto e não leu o artigo modalidades de porte de arma, e não faz a menor ideia do que estamos falando, vamos te dar mais uma chance: Clique aqui para ler.

3.3. Função do porte

Conforme explicado na classificação, existem coldres diferentes para objetivos diferentes. Evite usar coldres táticos no dia a dia, ou coldres esportivos para operações táticas.

3.4. Perfil (volume)

Ainda que você vá portar ostensivamente, praticar tiro no clube ou vá portar sua arma sem se preocupar em escondê-la, coldres com excesso de volume não são desejáveis. Tenha certeza de reduzir a silhueta do seu acessório na exata medida da possibilidade do caso concreto.

3.5. Segurança

Por último, mas absolutamente não menos importante, é preciso avaliar a segurança do coldre. É preciso se assegurar, neste sentido:

  • Que o coldre não facilitará disparos acidentais ou involuntários
  • Que o coldre não permitirá o acesso à arma por terceiros
  • Que o coldre não obrigará o operador a negligenciar alguma das regras de segurança com armas de fogo
  • Que o coldre e a arma permanecerão presos ao operador em condições extremas

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este texto não tem objetivo de esgotar o assunto “coldre”. Trata-se apenas de uma gota de informação em um mar de possibilidades.  Antes de comprar seu coldre, vá até a loja, experimente. Peça pra ver os coldres dos amigos.

Se não gostou da primeira aquisição – o que não é raro – não se estresse. Compre outro, faz parte.

Não subestime este importante acessório e garanta anos de segurança e conforto com a sua arma.

Você já ouviu falar na TrackingPoint?

Introdução aos dispositivos de pontaria a laser

Lucas Silveira é fundador e presidente do Instituto DEFESA.

INTRODUÇÃO

Tão importantes quanto as próprias armas, os dispositivos de pontaria são as ferramentas que conduzem o atirador a posicionar o seu equipamento de modo a efetuar disparos com precisão e velocidade. A evolução desta parte essencial dos armamentos foi o fator decisivo para a melhor utilização dos armamentos, notadamente em situações adversas, como baixa luminosidade ou estresse. Leia o artigo completo »

Próximos eventos
  1. Curso de Estudos de Política e Estratégia – CEPE – Paraná

    março 13 @ 8:00 - julho 31 @ 17:00
  2. Kalis Ilustrissimo no Brasil!

    setembro 16 @ 8:00 - setembro 17 @ 17:00