Bloomberg, Obama e a mídia liberal amordaçados pela redução na criminalidade com armas

Por Emily Miller, The Washington Times.
Tradução de Daniel Ribeiro, Defesa.org.

O prefeito de Nova Iorque Mike Bloomberg não disse um piu sobre o controle de armas desde quando foi divulgada a notícia de que as mortes relacionadas com armas de fogo despencaram. O presidente Obama ignorou isso e continuou a persistir leis para maior controle de armas. A reação deles mostra o quanto essas notícias bagunçaram o seu trabalho de esconder dos americanos a queda nos homicídios relacionados a armas de fogo para que eles possam aprovar restrições na segunda emenda constitucional.

Bloomberg

O departamento de justiça publicou um estudo na terça-feira que mostrou que os homicídios relacionados a armas de fogo nos EUA reduziu 39%, de 18.253 em 1993 para 11.101 em 2011. Crimes não-fatais com armas de fogo reduziram 69%, de 1.5 milhão para 467.300 no mesmo período.

O Sr. Bloomberg, que normalmente é um grande divulgador das notícias relacionadas a armas, ficou mudo. Nem ele, e nem a sua organização altamente ativa “Prefeitos contra armas ilegais” disse nada sobre as notícias dessa semana. Um porta-voz do Sr. Bloomberg não respondeu a um pedido de comentário. Se as notícias tivessem sido sobre um bando de pessoas baleadas, você pode ter certeza que o Sr. Bloomberg estaria em frente aos microfones.

O presidente não comemorou as boas notícias – pelo contrário – Depois de aprender que os americanos estão mais seguros agora do que nunca dos criminosos armados, o Sr. Obama lançou uma campanha por mais leis de armas. Ele twittou da sua conta Barack Obama: “Essa é quente: voluntários da @OFA estão prestes a entregar 1.4 milhões de assinaturas ao Congresso pedindo maior verificação de antecedentes para venda de armas.” OFA significa “Organização para a América”, que é o grupo de campanha política de Obama.

O Sr. Obama pediu aos seus seguidores que vigiem a conta da OFA para “maior cobertura sobre a entrega da petição sobre violência armada ao Congresso.” Ele usou a hashtag #NotBackingDown (#NãoDesistirJamais em tradução livre). Com isso ele pretende manter a pressão sobre mais restrições para a segunda emenda. Na quarta-feira, ele jantou com Democratas da casa para planejar como passar as leis de controle de armas.

A razão deles estarem escondidos agora é porque eles não querem que o público saiba que os crimes diminuíram ao mesmo tempo em que a posse e as permissões de porte de armas aumentaram. Isso tem – até agora – sido efetivo para esconder estes fatos.

No mesmo dia que a Justiça divulgou seu relatório, o Centro de pesquisas Pew divulgou uma enquete que chegou a conclusão que 56% dos americanos acreditam que os crimes com armas são maiores hoje do que 20 anos atrás e 26% pensam que não houve mudança entre os cenários das duas épocas. Apenas 12% sabem que os crimes diminuíram. A queda mais dramática foi no meio de 1999, mas tem acontecido uma redução constante desde então. A enquete mostrou que o público não está muito ciente dos dados de crimes mais recentes. Perguntado sobre as tendências em crimes com armas de fogo, “nos últimos anos”, 45% pensam que o número cresceu, 39% pensam que permaneceu igual, e apenas 10% estão certos de que a taxa reduziu 13% nos últimos 5 anos.

David Keene, que acabou de deixar um cargo de 2 anos como presidente da NRA, chamou isso de “impressionante”, apesar desta evidência, o público continua acreditando que as taxas de homicídio estão aumentando.

“Lincoln disse que você não pode enganar todas as pessoas ao mesmo tempo.”, me disse o Sr. Keene na terça-feira. “Mas Obama, seus amigos e seus aliados na mídia estão contando com uma narrativa falsa para enganar as pessoas por tempo suficiente para que eles possam forçar suas ‘soluções’ para ‘uma violência epidêmica’ que simplesmente não existe.”

A mídia é o principal responsável por este equívoco. O velho ditado sobre as notícias da TV – “Se está sangrando, dá Ibope” – explica a super-cobertura para qualquer morte relacionada a armas comparada com outros eventos noticiosos. O tiroteio na escola primária de Sandy Hook em Dezembro foi horrível porque as vítimas eram crianças inocentes em uma escola, mas foi um evento muito raro e não indica um aumento nos massacres armados. No entando, a mídia fez uma cobertura dia-e-noite por semanas e o Sr. Obama e seu financiador, Sr. Bloomberg, usaram este terrível crime para lançar seu plano para banir as “armas de assalto”.

Há também uma tendência anti-armas na mídia de massa. Enquanto nós que cobrimos as questões da segunda emenda sabemos que os homicídios por armas de fogo diminuíram de forma constante ao olhar para os dados anuais do FBI, a maioria não se preocupa em fazer isso. Foi necessário um estudo específico colocando juntos os dados, combinados com uma nova enquete sobre o tema para que a mídia impressa noticie isso. Até o noticiário da noite demonstra ter ignorado as notícias.

Os ladrões de armas usam táticas de medo para empurrar suas agendas. O povo americano deveria saber que eles estão mais seguros agora do que nunca, graças a seus amigos proprietários de armas.

Link da notícia original: http://p.washingtontimes.com/news/2013/may/9/miller-bloomberg-obama-and-liberal-media-muzzled-a/

obama


Publicado em Artigos
2 comentários sobre “Bloomberg, Obama e a mídia liberal amordaçados pela redução na criminalidade com armas
  1. mauricio reis disse:

    Estamos juntos

  2. Lucas Parrini disse:

    Não é de hoje que esse Bloomberg se dá mal, rs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*