Após libertação da farsa desarmamentista, como está a situação do Peru?

fotoPor Lucas Parrini – Colaborador do Instituto DEFESA

Esta foi a pergunta que eu fiz algum tempo atrás, e procurei a resposta diretamente na fonte: Perguntei ao Sr. J. Thomas Saldias, responsável pelo movimento Coalición Armas Legales Latinoamericanas, que lutou pelo direito de acesso as armas. Para explicar sem maiores delongas o que esta coalizão é, ela está para o Peru como o Instituto DEFESA está para o Brasil.

Com muita simpatia e atenção, Thomas cedeu um pouco de seu tempo para conversar um pouco comigo, pela internet, a respeito de como foi a luta para aprovar as leis que melhoraram o acesso as armas, consequentemente ao esporte, lazer e segurança do cidadão peruano.

Sorte. Foi esta a palavra usada para definir esta vitória. Claro, houve luta, mas Thomas definiu como sorte, pois ao contrário do que eu imaginava, a mobilização social não foi grande. Muitos queriam o direito de praticar o esporte, a caça, ao lazer e até mesmo se defender, mas poucos tiveram a coragem de entrar na luta, pois o medo ainda prevalece no cidadão peruano. Medo de quem? Do Estado. Ainda há o pensamento de “o Estado pode a qualquer momento entrar na minha casa, tomar minhas armas e me prender”. Infelizmente, a história nos permite entender, pelo menos de forma genérica, o motivo desse medo.

Mesmo assim, prova-se a cada dia, mais e mais, nos quatro cantos do globo, os benefícios econômicos e sociais do esporte, da caça, assim como a manutenção do direito a segurança. Prova-se a cada dia, que o cidadão quer o direito de praticar o esporte, de caçar, ou então de simplesmente se divertir em um estande, e principalmente de se defender.

Quando esses benefícios e direitos começam a ser cercados, surge a necessidade de lutar. Assim aconteceu com nossos vizinhos peruanos. Se uniram contra a tirania desarmamentista, identificaram os políticos, representantes do povo, que de fato estavam dispostos a fazer valer a vontade do povo, e juntos começaram a mudar a legislação. O resultado disso foi o congresso peruano aprovando a nova lei de acesso as armas.

Ainda é cedo para analisarmos os efeitos dessa nova lei, mas o que os estudos e mais uma vez, a história nos mostra, é que quando um povo é desarmado, ele enfrenta o perigo de ter sua liberdade esmagada, muitas vezes não por um invasor, mas sim pelas mãos do seu próprio Estado. E nós sabemos muito bem quais são as grotescas consequências disso.

O que nós podemos aprender com isso? Que estamos no caminho certo. O poder emana do povo, e esse poder está cada vez mais presente em nosso parlamento, através dos representantes que de forma genuína, estão se unindo a nossa causa e através de instituições como nós, o Instituto DEFESA, formado por cidadãos que não se acovardam.

O Sr. J. Thomas Saldias honrou o Instituto DEFESA com o convite de nos unirmos a esta coalizão. Este convite foi repassado ao nosso presidente, Lucas Silveira, e será analisado.
Estamos nos unindo, estamos mais fortes do que nunca, estamos crescendo.

Agradeço ao Sr. Thomas pela atenção e simpatia fornecida na conversa, e aproveito para convidar a todos a conhecerem um pouco mais essa coalizão:

Facebook: http://www.facebook.com/armaslegales


Publicado em Entrevistas
Um comentário sobre “Após libertação da farsa desarmamentista, como está a situação do Peru?
  1. Adones disse:

    Acredito que será de grande valia a troca de experiências com outros países. Isso poderá ajudar a desconstruir essa mentira do desarmamento. É muito importante que nos debates sobre armas tenhamos boas informações de outros países para poder mostrar que se as armas forem liberadas não haverá o genocídio que a esquerda diz…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*