Arquivo mensais:julho 2014

Sonia Raposo


Faça como a Sonia Raposo, mostre que está preparada .

Perfil de Sonia Raposo

“Se você ensinar seus filhos como atirar, quando atirar, no que atirar e onde atirar, a liberdade será mais fácil de ser mantida.” – Erin Canales

Cristiano Werle


Faça como o Cristiano Werle, mostre que está preparado .

Perfil de Cristiano Werle

Direito e liberdade trás consigo responsabilidade, eu escolhi viver e você?

roberto carlos correa


Faça como o roberto carlos correa, mostre que está preparado .

Perfil de roberto carlos correa

Vítima de tentativa de assalto reage e mata suspeito dentro da residência

30/07/2014 09h14 – Atualizado em 30/07/2014 09h14

Caso ocorreu nesta quarta-feira, na Cidade Universitária, em Campinas.
Outros dois criminosos participaram da ação; um foi preso e outro fugiu.

Uma tentativa de assalto terminou com um dos suspeitos de pertencer a uma quadrilha morto no ínicio da madrugada desta quarta-feira (30) em Campinas (SP). Ao tentarem invadir uma residência na Cidade Universitária, por volta da meia-noite, os suspeitos foram surpreendidos por um morador armado com uma pistola. Segundo relatado no boletim de ocorrência, ele disparou quatro vezes contra um dos invasores, que tentava entrar por uma janela da cozinha portando uma espingarda. Um dos tiros atingiu o peito do assaltante que morreu no local, na Rua Giuseppe Máximo Scolfaro.

Outros dois homens que participavam da ação fugiram. Na residência foram apreendidas a espingarda e também a pistola usada pelo morador da casa, que não foi localizado. De acordo com a Polícia Civil, após receber informações de parentes do suspeito morto, buscas foram realizadas em uma chácara no Bairro das Palmeiras, onde um segundo assaltante, de 19 anos, foi encontrado e detido. Ele foi encaminhado para a cadeia anexa o 2º Distrito Policial, no bairro São Bernardo. O terceiro ainda está foragido.

Extraído de http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2014/07/vitima-de-tentativa-de-assalto-reage-e-mata-suspeito-dentro-da-residencia-campinas.html

Suprema corte decide que motoristas de Wisconsin podem ignorar “batidinha” de policiais no vidro do carro

Traduzido por Lucas Parrini.

Quando os policiais de Wisconsin dão uma batidinha no vidro e gesticulam ao motorista para baixar o vidro, a Suprema Corte decidiu com 5 votos a 2, que o motorista pode ignorar as ordens e continuar seguindo seu caminho.
“Mesmo sabendo que este é um caso encerrado, acreditamos que quando um policial bate na janela e ordena que o vidro seja baixado, não constitui por si só um ato de autoridade que dê margem a uma pessoa acreditar que ela não é livre pra seguir adiante.” Disse o Juíz David T Prosser para a Suprema Corte.
Os juízes argumentaram sob o contexto de 25/12/2011, no incidente onde o Delegado Small fez essas duas ações, bater na janela e mandar baixar o vidro, no carro de Daniel A. Vogt, que estacionou às 2 da manhã com o motor ligado no estacionamento Riverdale Park, no povoado de Cassville. Estavam 37⁰F naquela manhã. Vogt não faz nada ilegal, mas o Delegado Small pensou ser suspeito pois o estacionamento fechou às 23h.
O Xerife parou atrás do carro de Vogt com seu farol ligado, porém com o giroflex desligado. Saiu da viatura, andou até o carro de Vogt e o viu no banco de motorista e ao banco de passageiros, estava Kimberly Russell. O Xerife testemunhou dizendo que “eu o teria deixado ir, pois não tinha razões para detê-lo.”
Vogt não saiu, pois acreditou que fazendo isso, estaria desobedecendo ou destratando a autoridade, então pensou não ter escolha senão continuar ali e obedecer. Quando Vogt baixou a janela, o Xerife sentiu um forte cheiro de álcool e percebeu a voz de Vogt afetada, o que ocasionou na prisão de Vogt por dirigir sob a influência de álcool. A Suprema Corte argumentou que a interação inicial foi voluntária.
“O objetivo das leis e dos policiais que a seguem é de servir e proteger a comunidade,” alegou o juiz Prosser. “Sendo assim, a interação de um policial com um cidadão não pode ser vista como algo contraditório. Em uma situação dessas, a Corte precisa avaliar uma série de circunstâncias, procurando identificar a linha que separa a tentativa de um policial apenas conversar consensualmente com um cidadão e a tentativa de prender o indivíduo.”
Por não estar com o giroflex da viatura ligado, a Corte entendeu que um cidadão inocente na mesma situação, poderia sair do local no momento enquanto o policial desse a batidinha na janela. A maioria da Suprema Corte se recusou a comentar sobre o que teria acontecido se Vogt tivesse feito isso. Os juízes contrários a decisão comentaram que este posicionamento era um absurdo.
“O mundo legal não reflete o mundo real…” “… Acredito que nenhuma pessoa em sã consciência se sentiria livre para ignorar o policial e sair dirigindo, nas mesmas circunstâncias do caso apresentado em que o policial se aproxima do carro para instruir o cidadão a baixar a janela. Uma pessoa em sã consciência saberia que o ato de sair desse jeito, ignorando o policial, poderia ser visto como violações de várias leis, como desacato a autoridade, desobediência ou até mesmo fuga da polícia.” Alegou o Chefe de Justiça Shirley S. Abrahamson.

Uma cópia do caso (em inglês) foi publicado em um arquivo PDF, neste link: http://www.thenewspaper.com/rlc/docs/2014/wi-driveaway.pdf

Traduzido a partir do texto original: http://thefreethoughtproject.com/state-supreme-court-wisconsin-drivers-ignore-cop-knocking-car-window-drive/

Julio joao rosa


Faça como o Julio joao rosa, mostre que está preparado .

Perfil de Julio joao rosa

Prefiro ter uma uma arma e não precisar usar, do que precisar e não ter!!!

Ismael Petry


Faça como o Ismael Petry, mostre que está preparado .

Perfil de Ismael Petry

Rafael lucas Tavares


Faça como o Rafael lucas Tavares, mostre que está preparado .

Perfil de Rafael lucas Tavares

Andre Ataliba de Lima


Faça como o Andre Ataliba de Lima, mostre que está preparado .

Perfil de Andre Ataliba de Lima

Alexandre Damazio


Faça como o Alexandre Damazio, mostre que está preparado .

Perfil de Alexandre Damazio

“se o ladrão for pego roubando e for ferido a modo que morra,aquele que o feriu não será culpado pelo sangue” (exodo 22.2)
” até deus sabia da legitima defesa “

Próximos eventos
  1. Combat Rescue – Tactical Combat Casualty Care

    outubro 21 @ 8:00 - outubro 22 @ 17:00